A hipo e a hipersegmentação em dados de escrita de alunos da 8ª série: influência exclusiva dos constituintes prosódicos?

Cristiano Egger Verçossi, Giovana Ferreira Gonçalves

Resumo


Neste artigo, tendo como base as
considerações teóricas de diversos pesquisadores
acerca das segmentações não-convencionais
de escrita, bem como as categorias elencadas
por Cunha (2004) para a análise de dados dessa
natureza, analisamos dados oriundos de produções
escritas de alunos de 8ª série de uma escola pública
do município de Santa Maria-RS. Tal como Silva
(1989; 1994) e Capristano (2007), dentre outros,
procuramos mostrar, por meio dos casos de hipo e
hipersegmentação analisados, a presença, na escrita
do aprendiz, de fatores não só da oralidade como
também de convenções próprias da escrita – ou
então, conforme a terminologia de Corrêa (2004) –
do “código escrito institucionalizado”.

 

DOI: 10.28998/0103-6858.2010v2n46p57-79


Texto completo:

Ler o artigo completo


Direitos autorais



ISSN (on-line): 2317-9945 (a partir de 2011)

ISSN: 0103-6858 (até 2010)

 

Indexações

      

 

 

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.