Dossiê Arte em tempos sombrios

Autores

  • Felipe de Paula Souza UFSB
  • Jorge Henrique da Silva Romero UNIFESSPA
  • Ednaldo Cândido Moreira Gomes UFAL

Palavras-chave:

artes, política

Resumo

Ao refletir sobre as relações entre Arte e Política, Jacques Rancière afirma que “a arte é considerada política porque mostra os estigmas da dominação, porque ridiculariza os ícones reinantes ou porque sai de lugares próprios para transformar-se em prática social” (RANCIÈRE, 2008, p. 52). 
Dessa forma, a Arte é capaz de reestabelecer os laços entre os indivíduos e, em simultâneo, contrapor-se aos discursos dominantes e às tentativas de controle social. Sendo assim, os modos de se figurar, de se expressar, e de criar artisticamente (poiesis) sempre representam ameaças ao sistema dominante, pois, além de desnudar os mecanismos hierárquicos e a rigidez das convenções sociais, a Arte produz o efeito de catarse tanto no sentido aristotélico (purificação) quanto no sentido psicanalítico (libertação de sentimento reprimido e método de se trazer à consciência recordações recalcadas).

Referências

editorial dossiê Arte e Política

Downloads

Publicado

16/08/2021

Como Citar

Souza, F. de P. . ., Romero, J. H. da S. ., & Gomes, E. C. M. . (2021). Dossiê Arte em tempos sombrios. CADERNOS CÊNICOS, 3(4), 1–2. Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/CadCenicos/article/view/12818

Edição

Seção

Dossiê