Permanecer ou evadir-se?

Perfil e expectativas de alunos de cursos superiores da UFPB

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13nEspp492-513

Palavras-chave:

Educação Superior, Evasão, Permanência

Resumo

O texto discute a questão da evasão e permanência em cursos de graduação do ensino superior na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Campus I, expondo o perfil, as perspectivas para permanecer ou abdicar do curso, bem como as dificuldades e facilidades para a tomada dessa decisão por parte do alunado. A pesquisa, desenvolvida ao longo de três períodos letivos (2016.2 a 2017.1), caracteriza-se como uma pesquisa de natureza longitudinal e de metodologia quantitativa. As informações empíricas acerca de 16 cursos de graduação que apresentavam os maiores e os menores índices de evasão e de permanência, abarcando todas as áreas de conhecimento, foram coletadas através de um questionário, organizado seguindo aportes de modelos teóricos relacionados com a evasão e a permanência no ensino superior. A análise dos dados possibilitou concluir que a existência de aspectos contraditórios, e ao mesmo tempo relacionais, dinamiza a evasão e/ou permanência, segundo as condições objetivas ou subjetivas do alunado, em que ocorrem as relações de sociabilidades, as condições contextuais e estruturais, as políticas e os programas de permanência voltados para minimizar os efeitos da desigualdade social na Educação Superior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edineide Jezine, Universidade Federal da Paraíba

Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Amazonas (1988), Mestrado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (1997), Doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (2002) e Pós-doutoramento na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - Lisboa/PT (CAPES/FCT), com instância acadêmica na Universidade de Valência (Espanha, 2011). Professora Titular da Universidade Federal da Paraíba como atuação no ensino, pesquisa e extensão, na Graduação e Pós-graduação. Faz parte do Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO). É membro efetivo da Rede de Pesquisa Universitas/Br ? EIXO 5 Acesso e Permanência. Faz parte do Conselho de Redação da Revista Lusófona de Educação (Lisboa/PT) e atua como investigadora associada do Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento (CEIEd/UHLT/Pt). É atualmente coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas, Gestão e Avaliação da Educação Superior (MPPGAV) e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Superior e Sociedade (GEPESS), desenvolvendo as pesquisas ?Os impactos das políticas de cotas no contexto da inclusão na Universidade Federal da Paraíba: acesso, permanência e Evasão na Educação Superior? (PIBIC/UFPB) e ?Permanência e evasão na Educação Superior: fatores interferentes, interfaces com ensino médio público e possibilidades de avanço nas políticas públicas (FAPEMAT). Possui publicações e atuação nos seguintes temáticas: Política de Educação Superior; Inclusão Social e da Pessoa com Deficiência; Educação Popular e Educação do Campo e Extensão Universitária.

Emília Maria Prestes, Universidade Federal da Paraíba

Possui graduação em Licenciatura e em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1971), graduação em Bacharelado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1972), mestrado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (1984) e doutorado em Estudios Latinoamericanos - Universidad Nacional Autónoma de Mexico (1992). Realizou pós doutorado na Universidade Autónoma de Barcelona (2002/2003) com Bolsa CAPES e Estágio Sênior na Universidade de Valência (2015/2016) ambos com bolsa CAPES. Bolsista de Produtividade do CNPq ( 2004 - ). Atualmente é professora Titular da Universidade Federal da Paraíba, Vice-coordenadora da Cátedra UNESCO de EJA da Universidade Federal da Paraíba. Coordena o convênio institucional, por parte da UFPB, com a Universidade de Valência. Compõe o Comitê Científico do Instituto de Creatividad e Innovaciones Educativas, da Universidade de Valência (2016) Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UFPB (1994/1998) e o curso de Mestrado Profissional em Gestão de Organizações Aprendentes (MPGOA) da UFPB (2011/2013); Coordenou o Projeto de Cursos de Especialização para professores e gestores da EJA realizado na África (Cabo Verde e Guiné Bissau) e financiado pelo MEC/SECADI; Atuou como Coordenadora do Programa Bilateral de Intercâmbio Internacional CAPES/FCT (2010/2012); Membro do Instituto de Desenvolvimento da Universidade Federal da Paraíba. Atuou como avaliadora da CAPES dos Programas de Pós Graduação - área Educação.(1999/2002); Coordenou o Programa Escola Zé Peão (2004/2206). Vice-Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Gestão nas Organizações Aprendentes (PMGOA/UFPB) - 2018- 2020. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação Profissional em Gestão nas Organizações Aprendentes (PMGOA/UFPB) - 2020- . Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educaçao de jovens e adultos, avaliação de políticas públicas para o trabalho, avaliação de políticas públicas, aprendizagens de pessoas jovens e adultas e educação de adultos.

Robson Palmeira, Universidade Federal da Paraíba

Mestre em Políticas Públicas, Gestão e Avaliação da Educação Superior (MPPGAV/ UFPB), tecnólogo com graduação em Sistemas para Internet, pelo Centro Universitário de João Pessoa (UNIPE). Técnico em Eletrônica pela Escola Técnica Redentorista (ETER). Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Arquitetura de Sistemas de Computação, Engenharia de software, gerenciamento e manutenção em equipamentos de Informática, equipamentos de laboratório e hospitalares. Atualmente é servidor público Federal trabalhando na área de Tecnologia da Informação como Coordenador de TI na Escola Técnica de Saúde da UFPB (ETS). É pesquisador no Grupo de Pesquisa " MAPA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NA PARAÍBA: ANÁLISE DO SETOR PÚBLICO E PRIVADO e GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA SOBRE A CONDIÇÃO DISCENTE, objetivos discutir, problematizar e entender a relação entre o estudante e as instituições de ensino no Brasil, com vistas a contribuir com a criação de um novo modelo educacional mais democrático, participativo e inclusivo.

Adriana Diniz, Universidade Federal da Paraíba

Atualmente é Diretora do Centro de Educação, tendo ingressado na Universidade Federal da Paraíba, no ano de janeiro de 2012, na área de Gestão Educacional; Professora Associado I, com atuação nos Mestrados Profissionais do PPGOA - Programa de Pós-Graduação em Gestão das Organizações Aprendentes e Políticas, Gestão e Avaliação da Educação Superior - PPGAV. É Coordenadora do Centro Colaborador de Apoio ao Monitoramento e à Gestão de Programas Educacionais - CECAMPE - Região Nordeste -, vinculado ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, desde 2019. Foi Assessora de Graduação do Centro de Educação (2013 - 2016). Foi Professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN (2010-2011). Doutora pela Universidade de Valência/ Espanha, reconhecido no Brasil pelo Doutorado em Educação da UFC (2011), com menção de Doutorado Europeu. Graduação em Pedagogia (UFPB, 1994) e em Ciências Contábeis (UNIPE, 1990). Especialização em Pesquisa Educacional (UFPB, 1994) e em Direitos da Criança (UV / UNESCO, 2007). No âmbito da educação básica, exerceu diversos cargos, destacamos: Secretária Municipal de Educação de Bayeux (2017), Secretária Adjunta de Educação e Cultura do Estado do RN (2011), Secretária Municipal de Educação e Cultura de João Pessoa (2003 ? 2004), Presidente NE da UNDIME (2003 - 2004). Atuação em Conselhos: Conselho Estadual do FUNDEB do RN (2011), Conselho Estadual da Educação da PB (2003 ? 2006), Conselho Municipal de Educação (1998 ? 2002), Conselho Estadual do FUNDEF da PB (2004 ? 2005), Conselho Municipal do FUNDEF (1999 ? 2000). Atuação em ONG de âmbito latino-americano (SLA MIEC ? JECI), com sede em Quito - Equador, entre 1995 - 1997, na área de educação para a cidadania. Atuação na alfabetização de adultos, no Projeto Escola Zé Peão (UFPB e Sintricom), no período de 1991 a 1995. Temas principais de estudo e pesquisa: gestão da educação pública, ensino superior, educação de jovens e adultos, aprendizagem ao longo da vida e teoria da biograficidade.

Referências

BARBOSA, M. L. de O. Democratização ou massificação do Ensino Superior no Brasil? Rev. Educ. Puc-camp., v. 24, n.2, 240-253, 2019.

BENEDITO A. C. La historicidad del objeto de conocimiento sociológico como principio de investigación de las relaciones entre educación y cambio social. Universidad de Valencia. Texto original sem paginação. Impresso. 2015. (n.p).

BOURDIEU, P. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: Nogueira, M.A.; Catani, A.M. (Org.). Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1998.

BOURDIEU, P. Razões práticas. Sobre a teoria da ação. Campinas: Papiros, 2007.

BOURDIEU, P.; PASSERON, A. Reprodução. Elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

BRAGA, M. M.; PEIXOTO, M. do C. L.; BOGUTCHI; T. F. A evasão no ensino superior brasileiro: o caso de UFMG. Avaliação: Revista de rede de avaliação institucional da educação superior, v. 8, n. 3, 161-189, 2003. Diponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/avaliacao/article/view/1237. Acesso em: 10 mar. 2021.

CABRERA, L. et al. El problema del abandono de los estudios universitarios, Revista Electronica de Investigacion y Evaluacion Educativa, v. 2, n. 2, 171-203, 2006. Disponível em: https://ojs.uv.es/index.php/RELIEVE/article/view/4226. Acesso em: 9 dez. 2020.

CASTELO BRANCO, U. V.; NAKAMURA, P. H.; JEZINE, E. Permanência na educação superior no Brasil: Construção de uma escala de medida. Revista de la Asociación de Sociología de la Educación (RASE), v. 10, n. 2, p. 209-224, 2017. Disponível em: https://ojs.uv.es/index.php/RASE/article/view/10060. Acesso em: 20 nov. 2020.

COSTA, A. F. et al. Um modelo teórico e metodológico. Análise do sucesso, insucesso e abandono no ensino superior. In: COSTA, A. F. da; LOPES, J. T.; CAETANO, A. (Orgs.). Percursos de Estudantes no Ensino Superior. Fatores e processos de Sucesso e Insucesso. Lisboa: Mundos Sociais, 2014.

DUBET, F. Justiça. In: VAN ZANTEN, A. (Coord.). Dicionário de Educação. Petrópolis: Vozes, 2011, p.524-528.

DUBET, F. O que é uma escola justa? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 34, n. 123, 539-555, set./dez. 2004.

DUBET, F. Qual democratização do ensino superior? Cad. CRH, Salvador, v. 28, n. 74, 255-266, 2015.

FERNÁNDEZ ENGUITA, M. F. La Educación em la Encrucijada. Fundación Santillana, 2016.

FERNÁNDEZ ENGUITA, M., MARTINEZ, M. L.; GÓMEZ J. R. Fracaso y abandono escolar en España, 29. Barcelona: Fundación “La Caixa”, 2010.

FIALHO, M. G. D. A evasão escolar e a gestão universitária: O caso da Universidade Federal da Paraíba. 2014. 107 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão de Organizações Aprendentes), Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2014.

FIALHO, M. G. D. Evasão universitária, planejamento docente e singularidade discente. 2020. Tese. (Doutorado em Educação), Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2020.

GABALDÓN-ESTEVAN, D. La promesa meritocrática: percepciones sobre el papel de la educación (terciaria) y su acceso. In: SOBRINHO, M.; ENNAFAA, R.; CHALETA, E. (Orgs.). La educación superior, el estudiantado y la cultura universitaria. Valencia: Neopàtria, 2016, p. 99-133.

GINER, S., ESPINOSA E. L. de; TORRES, C. (Orgs.) Dicionário de Sociologia. Madrid: Alianza Editorial, 2013.

IBÁÑEZ, Jesús. Perspectiva de la investigación social; el diseño en las tres perspectivas. In: FERRANDO, M. G.; ALVIRA; F., ALONSO, L. E., ESCOBAR, M. El análisis de la realidad social. Métodos e Técnicas de Investigação: Madrid: Alianza Editorial, 4. ed. 2015.INEP. Censo da educação superior: 2011; Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2013.

KOHLS, P. dos S. Permanência na educação superior: desafios e perspectivas. Brasília: Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade/Universidade Católica de Brasília, 2020.

LOBO, M. B. de C. M. Panorama da evasão no ensino superior brasileiro: aspectos gerais das causas e soluções. In: HORTA, C. E. R. (Org. e Coord.). ABMES Cadernos, 25. Brasília: Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior, 2012, p.9-58. Disponível em: https://abmes.org.br/arquivos/publicacoes/Cadernos25.pdf. Acesso em: 23 jan. 2020.

PESSOA, S. de, RAMALHO, B.; RAMOS, I.C. Sucesso e Insucesso de estudantes na trajetória escola-universidade; O caso da UFRN. In: SOBRINHO, M.; ENNAFAA, R.; CHALETA, E. (Orgs.). La educación superior, el estudiantado y la cultura universitaria. Valencia: Neopàtria, 2016, p. 251-280.

POLYDORO, S. A. J. O trancamento de matrícula na trajetória acadêmica do universitário: condições de saída e de retorno à instituição. 2000. 175f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2000.

PRESTES, E.M.T. et al. Educação e aprendizagens de adultos no espaço da universidade, Revista Temas em Educação, João Pessoa, v. 22, n. 2, 208-223, dez. 2013. Disponível em: https://www.periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rteo/article/view/17792. Acesso em: 12 jun. 2020.

PRESTES, E.M.T., PFEIFFER, D.K.; FIALHO, M. G. D. A evasão escolar no contexto do ensino superior. In: SOBRINHO, M.; ENNAFAA, R.; CHALETA, E. (Orgs.). La educación superior, el estudiantado y la cultura universitaria. Valencia: Neopàtria, 2016, p. 281-316.

PRESTES, E.M.T.; FIALHO, M. G. Evasão na educação superior e gestão institucional: o caso da Universidade Federal da Paraíba, Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 26, n. 100, 869-889, jul. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ensaio/v26n100/1809-4465-ensaio-26-100-0869.pdf. Acesso em: 8 mai. 2020.

PUIG, M. Abandonament escolar prematur: més pull que push. Reptes de l’educació a Catalunya. Anuari 2015, 84, 325-372, 2016. Barcelona: Fundación Jaume Bofill. Disponível em: https://fundaciobofill.cat/publicacions/abandonament-escolar-prematur-mes-pull-que-push. Acesso em: 19 jul. 2020.

REAY, D. El fracaso escolar de la clase trabajadora: perspectivas teóricas, cuestiones discursivas, y aproximaciones metodológicas. Ponencia inaugural. In: Conferencia Internacional del ABJOVES. Universitat Autonóma de Barcelona, 2016. Disponível em: https://www.cedefop.europa.eu/en/events-and-projects/events/international-conference-school-success-school-failure-and-early-school. Acesso em: 5 out. 2019.

SCOTT, J. Dictionary of Sociology. Oxford: University Press, 2014.

SERPA, G. R.; FALCON, A. L. Masificación, equidad, educación superior: la universalización de la educación superior cubana. Ensaio: aval. pol.públ.Educ., Rio de Janeito, v. 27, n.103, 291-316, jun. 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362019000200291. Acesso em: 22 de abr. 2020.

Sociologia da Educação. Análise Internacional. Porto Alegre: Pensa, 2013, p. 256-267.

SOLER P. V. Hacia una apertura de las nociones de éxito y fracaso escolar al campo de la educación superior. Elementos para una teoría integradora. In: M. SOBRINHO, R.; ENNAFAA; E. CHALETA (Orgs.). La educación superior, el estudiantado y la cultura universitaria. Valencia: Neopàtria, 2006, p. 317-332.

THOMSON, P. Trazendo Bourdieu para as políticas de aumento da participação no ensino superior; uma análise de caso do Reino Unido. In: APPLE, M.; BALL, S. L.; GANDIN, L. A. Sociologia da Educação. Análise Internacional. Porto Alegre: Pensa, 2013, p.347-350.

TINTO, V. Definir la deserción: una cuestión de perspectivas. Revista de Educación Superior. Distrito Federal, México, Asociación Nacional de Universidades e Instituciones de Educación Superior (ANUIES), v. XVIII, n. 3 1989.

TINTO, V. Dropout from higher education: A theoretical synthesis of recent research. Review of Educational Research, v. 45, n. 1, 89-125, 1975.

TINTO, V. Leaving college: rethinking the causes and cures of student attrition. Chicago: University of Chicago Press. 1993.

VAN ZANTEN, Á. A sociologia da educação das Elites. In: APPLE, M.; BALL, S. L.; GANDIN, L. A. Sociologia da Educação. Análise Internacional. Porto Alegre: Pensa, 2013, p. 358-369.

VAN ZANTEN. Á. (Org.) Dicionário de Educação. Petropólis: Editora Vozes, 2011.VILLAR, A. Absències en els estudis universitaris. Ubicación iitineraris heterrogenis. Tesis. (Doctorado en Educación). Universitat de València. Valencia, 2010.

Downloads

Publicado

2021-09-29

Como Citar

JEZINE, Edineide; PRESTES, Emília Maria; PALMEIRA, Robson; DINIZ, Adriana. Permanecer ou evadir-se? Perfil e expectativas de alunos de cursos superiores da UFPB. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. Esp, p. 492–513, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13nEspp492-513. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12094. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Formação de Professores e Práticas Pedagógicas: estratégias, inclusão e superações

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.