https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/issue/feed Debates em Educação 2021-09-29T16:13:03-03:00 Inalda Maria dos Santos debatesemeducacao@gmail.com Open Journal Systems Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13020 Editorial 2021-09-29T15:14:23-03:00 Inalda Maria dos Santos inaldasantos@uol.com.br <p>É com prazer que apresentamos o V. 13, Número Especial da Revista Debates em Educação do ano de 2021. A edição é composta por artigos submetidos nos dois dossiês temáticos que compõem essa edição.</p> <p>Agradecemos a todos autores desta edição e pareceristas. Agradecemos também o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (FAPEAL), através do Edital Nº 08/2020 - apoio à editoração e publicação de periódicos científicos.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13022 Apresentação - Dossiê “Paulo Freire, cidadão do mundo: 100 anos de contribuições, diálogos, histórias e memórias" 2021-09-29T16:10:16-03:00 Marinaide Freitas naide12@hotmail.com Maria Hermínia Lage Fernandes Laffin herminialaffin@gmail.com <p>Este Dossiê temático denominado <strong>Paulo Freire, cidadão do mundo: 100 anos de contribuições, diálogos, histórias e memórias</strong> envolve um conjunto de produções de pesquisadores de universidades do Brasil, da Venezuela, do Peru e de Malta. Os estudos brasileiros são de diferentes estados (Alagoas, Goiás, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina), envolvendo as cinco regiões do país (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul), e inclui investigadores de oito instituições universitárias brasileiras e de três instituições estrangeiras. Os artigos objetivaram participar em rede das comemorações do Centenário de Paulo Freire dialogando com diferentes experiências e contextos com práticas sociais e educativas voltadas para a humanização, emancipação e resistência com e para homens e mulheres e mostrando para as futuras gerações que o pensamento de Freire permanece atual, vivo, e relevante para a educação e todas as demais áreas do conhecimento.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13023 Apresentação – Dossiê “Formação de professores e práticas pedagógicas: estratégias, desafios e superações" 2021-09-29T16:13:03-03:00 Carlos Alberto Vasconcelos geopedagogia@yahoo.com.br <p>O presente dossiê intitulado Formação de Professores e Práticas Pedagógicas: estratégias, desafios e superações, versa de artigos oriundos de diversos territórios e colaboradores, relatando experiências, suscitando reflexões, desafios e perspectivas pedagógicas no tocante ao processo de ensinar e aprender, especificamente da formação de professores. Apresenta diversidades temáticas e prismas teórico-metodológicos, em sua maioria originados do II Colóquio Interfaces Acadêmicas entre Graduação e Pós-graduação, realizado em 2020, organizado pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Formação de Professores e Tecnologias da Informação e Comunicação (FOPTIC), da Universidade Federal de Sergipe.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12056 Estratégias de ensino para a educação básica noturna 2021-06-30T16:48:57-03:00 Carlos Alberto Vasconcelos geopedagogia@yahoo.com.br Natalie Batista Oliveira natalieoliveira12@gmail.com <p>O propósito deste estudo, com fundamentação qualitativa e enfoque descritivo, foi sugerir estratégias que evidenciem os alunos do turno noturno, em posição ativa no processo de ensino-aprendizagem, auxiliando os professores no enfrentamento aos desafios vivenciados nessa realidade escolar. Os dados foram coletados através do método observacional, em uma escola no município de São Cristóvão (SE), no contexto de um estágio curricular, entre os anos de 2017 e 2018. Foram observados/as, jovens de uma turma do 1º ano do ensino médio regular noturno. O estudo possibilitou a caraterização dos participantes e a descrição de situações de ensino.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12051 Interculturalidade e inclusão 2021-07-20T17:22:17-03:00 Adriana Alves Novais Souza dria.novais.souza@gmail.com Veleida Anahí da Silva vcharlot@terra.com.br Rita de Cácia Santos Souza ritacssouzaa@yahoo.com.br <p>As discussões da decolonialidade têm por foco o oprimido, o aculturado, todo aquele que, apesar dos discursos em prol da diversidade, ainda sofre subjugo da cultura do colonizador, sendo desconsiderado em seus saberes, sua língua e cultura. Trata-se de um estudo bibliográfico, apoiado em Gil (2008), cujo objetivo é discutir a inclusão escolar de pessoas surdas no Brasil e as condições em que se deram tais políticas, a partir da análise de viés decolonial, especificamente segundo os conceitos de interculturalidade funcional e crítica, na perspectiva de Catharine Walsh. Nesse diálogo com as leituras decoloniais, lançamos um olhar crítico e mais aprofundado às políticas de inclusão escolar e de como o modelo educacional proposto, bastante superficial, não atende de forma efetiva às necessidades educacionais dos alunos surdos e segue, ao invés da inclusão proposta, excluindo-os e invisibilizando-os.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12116 Os desafios da formação docente para atuação no contexto da escola inclusiva 2021-08-10T14:19:27-03:00 Jailda Evangelista do Nascimento Carvalho jayldacarvalho@gmail.com Jose Batista de Souza batistinhadesouza@gmail.com Alecrisson da Silva alex.cjs.ba@bol.com.br <p>A Educação Inclusiva compreende a escola como um espaço para todos, favorecendo a diversidade na medida em que visa acolher as diferenças para atender às necessidades e especificidades de cada indivíduo. Esse trabalho objetiva refletir sobre os desafios da formação docente para atuação na escola inclusiva<strong>, </strong>analisando suas fragilidades e potencialidades. Utilizou-se como metodologia a pesquisa bibliográfica, e o relato de experiência, através do qual se verificou os benefícios da Sala de Recursos para o desenvolvimento de uma criança com síndrome de <em>down</em>. Através do estudo, inferiu-se que a obrigatoriedade da inclusão dos alunos com deficiência na rede regular de ensino foi uma conquista relevante para aquelas pessoas que durante séculos, tiveram seus direitos negados, mas que ainda existem fragilidades nas políticas públicas de atendimento que impedem que a inclusão aconteça.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12322 A integração das TDIC no ensino da língua portuguesa 2021-06-15T16:10:43-03:00 Denson Andre Pereira da Silva Sobral densonp@bol.com.br <p>Este artigo analisa como as TDIC estão sendo integradas no ensino da língua portuguesa nas escolas públicas do Estado de Sergipe. Para tanto, selecionou-se, por meio da página eletrônica do Repositório Institucional do Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS) da Universidade Federal de Sergipe (RI-UFS), um <em>corpus</em> composto pelas dissertações defendidas no período compreendido entre os anos de 2015 a 2019. Os dados foram analisados com base nos estudos de Presky (2005), Lévy (2010) e Almeida e Valente, (2011). Os resultados apontam que o processo de integração das TDIC nas aulas de língua portuguesa ainda é lento e isolado, uma vez que as ações realizadas pelos docentes nas escolas não passam pela articulação entre TDIC, currículo, gestão escolar e políticas públicas. Além disso, a integração das TDIC no ensino da língua materna corre o risco de se encerrar nas iniciativas dos professores que as realizam, no caso, dos docentes em formação em nível de mestrado, pois, a maioria delas não tem possibilidade de serem aplicadas em outras instituições escolares do Brasil, já que não observa todas as especificidades e demandas das diferentes realidades educacionais das escolas brasileiras.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12265 Educação a distância 2021-06-23T15:52:31-03:00 Sendy Torres Pereira sendytorresp@gmail.com Marcos Batinga Ferro marcosbating@gmail.com Maria Eliane de Andrade pedagogia.aju@mauriciodenassau.edu.br <p class="ResumoeAbstract">Este trabalho objetiva mostrar a interação e integração tecnológica do tutor com o aluno nas práticas educacionais, usando os recursos necessários para a formação de alunos na Educação a Distância. O estudo, realizado por meio de fontes indiretas como livros e artigos científicos, analisa os caminhos desta educação, apresentando a sua evolução e a forma de utilizá-la no cotidiano, numa relação constante com a didática. Parte-se do princípio de que a aprendizagem realizada por intermédio das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) abre novos espaços, tempos e ambientes de educação nos quais o professor/tutor se vê como coprodutor do conhecimento, devendo criar situações em que os alunos se sintam estimulados a examinar seus pensamentos e a buscar processos.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12332 As percepções dos licenciandos sobre o curso de formação de professores em educação do campo 2021-07-27T12:59:37-03:00 Marlene Rios Melo marlenemelo@furg.br Daniel José Puente Chacón danielpuente6@hotmail.com <p>O presente texto almeja entender como os licenciandos do penúltimo semestre do curso de licenciatura em educação do campo de uma Instituição Federal de Ensino Superior percebem sua formação. Partimos da pergunta: O que é a formação de professores da educação do campo? A resposta será obtida via pesquisa qualitativa com abordagem fenomenológica (BICUDO; KLÜBER, 2013). A análise dos discursos escritos e transcritos dos sujeitos colaboradores da pesquisa foi feita através da Análise Textual Discursiva (MORAES; GALIAZZI, 2007). Os resultados nos mostram que os licenciandos se dão conta de sua condição de oprimidos, bem como percebem uma recuperação do seu capital cultural, pela valorização e recuperação da sua identidade, o que lhes fortalece na criação de ações no universo campesino. No entanto, as relações com o conhecimento científico ainda se apresentam frágeis, mostrando traços de uma educação ainda não plenamente dialógica e libertadora.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12064 Práticas avaliativas do processo de leitura nos ciclos finais da educação de jovens e adultos 2021-08-18T15:54:49-03:00 Joseval dos Reis Miranda josevalmiranda@yahoo.com.br João Batista Condado de Matos condadopb@gmail.com <p>O presente estudo tem como objetivos analisar a concepção de avaliação que subsidia as práticas avaliativas, executadas por professores de Língua Portuguesa, no campo da leitura, nos ciclos finais da Educação de Jovens e Adultos, como também identificar as principais dificuldades do processo de avaliação da aprendizagem das práticas leitoras vivenciadas pelos discentes. A pesquisa está fundamentada na abordagem metodológica qualitativa. Para a geração e a coleta de dados foram utilizados como instrumentos a observação participante e a entrevista semiestruturada. Participaram como colaboradores, um professor e uma professora que atuam na Educação de Jovens e Adultos nos municípios de Cabedelo-PB e João Pessoa-PB, respectivamente. As dificuldades mais significativas identificadas pelos profissionais no processo avaliativo são a interpretação e a compreensão leitora dos alunos, resultante da ausência de instrumentos e critérios avaliativos capazes de possibilitar o acompanhamento eficaz da aprendizagem neste domínio.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12057 Relação entre teoria e prática pedagógica 2021-07-27T18:10:41-03:00 Isamary Roberta Ferreira Cézar isamaryrobertaferreiracezar@gmail.com Nilma Margarida de Castro Crusoé nilma.crusoe@uesb.edu.br <p>O presente trabalho tem como objetivo apresentar alguns aspectos que atravessam a relação teoria e prática, na formação de professores, dilema antigo e ainda presente nesse contexto. Trata-se de um estudo teórico, com base nos seguintes referenciais: sobre formação de professores (GATTI, 2000; 2013; 2014; 2017; 2019; PIMENTA, 1999; 2001, NÓVOA 1992; 1995; 2009) e prática pedagógica (LIBÂNEO, 2005; TARDIFF, 2002; CRUSOÉ, 2014; ALARCÃO, 2001).Os resultados apontaram para uma formação que deve considerar: a) a retroalimentação entre o campo acadêmico e profissional; b) as subjetividades, crenças e valores que atravessam a prática escolar e que interferem na conduta pedagógica do profissional professor; c) as identidades forjadas no campo da formação e da prática pedagógica.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12335 Construção de conhecimentos na educação superior sob a égide da interdisciplinaridade 2021-06-11T17:13:37-03:00 Maria de Fátima Gomes da Silva fatimamaria18@gmail.com Carlinda Leite carlinda@fpce.up.pt <p>Este artigo apresenta resultados de uma investigação de pós-doutoramento que teve por objetivo analisar o modo como a interdisciplinaridade está presente nas práticas docentes da Educação Superior em Portugal e no Brasil. O estudo recorreu a uma abordagem de orientação qualitativa, em que a coleta de dados foi feita por um questionário de pergunta aberta. Os dados foram analisados por meio da técnica de Análise de Conteúdo. Concluiu-se que, embora essa construção de conhecimento na docência universitária se perspective no sentido da interdisciplinaridade, a mesma apresenta uma visão cartesiana e simplista. Por isso, tornam-se relevantes práticas docentes universitárias na perspectiva de uma epistemologia da interdisciplinaridade, com base no diálogo, na parceria e no rigor científico.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12327 Atitudes socioambientais na educação infantil 2021-06-28T12:11:39-03:00 Gilvaneide Ferreira de Oliveira gildedufrpe@gmail.com Renata Carvalho da Silva renata.carvalho.prof@gmail.com <div> <div> <p>Este trabalho traz resultados de uma investigação sobre as estratégias didático-pedagógicas realizadas em um CMEI da rede municipal de Recife, tendo como objetivo compreender as dificuldades e possibilidades de trabalhar a Educação Ambiental crítica numa perspectiva atitudinal, rompendo com abordagens naturalísticas. Considera-se a necessidade de práticas educativas socioambientais inovadoras, inseridas desde a infância, fundamentadas em questões socioambientais transformadoras e emancipatórias, abordadas numa dimensão transdisciplinar, voltada para a formação cidadã de atitudes sustentáveis. Nesse sentido, indaga-se: quais as dificuldades e possibilidades de se trabalhar a Educação Ambiental na perspectiva atitudinal no contexto da Educação Infantil? Trata-se de um Estudo de Caso, de cunho qualitativo, investigado através de observações, entrevistas semiestruturadas e análise documental. Utiliza-se a triangulação dos dados para a análise dos resultados, estabelecendo um diálogo crítico com a base teórica referenciada no início deste trabalho. Os resultados apontaram para um repensar das práticas didático-pedagógicas de Educação Ambiental na Educação Infantil, no sentido de refletir criticamente, buscando atingir uma efetiva ruptura com as bases conservadoras que orientam as práticas da educação socioambiental no referido contexto.</p> </div> <div> <p> </p> </div> </div> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12339 Perspetivas dos alunos sobre as suas experiências de aprendizagem 2021-06-27T15:42:09-03:00 Fernando Ilídio Ferreira filidio@gmail.com <p>Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa inserida no projeto Europeu “New European Settings for Teachers and Teaching – NESTT”, que teve como principal objetivo conhecer as perspetivas das crianças/alunos sobre as suas experiências de aprendizagem, em contextos de educação formal (escolar) e não formal, procurando interrogar, desse ângulo, o ensino e a formação de professores. Foi aplicado um inquérito por questionário em escolas portuguesas, polacas e romenas, junto de 546 alunos com idades entre 10 e 16 anos. Três blocos de questões – o que gosto mais de aprender; onde aprendo mais e melhor; e como aprendo mais e melhor – estruturaram o questionário e também a análise dos dados, com base numa estatística descritiva. A interpretação e discussão dos resultados basearam-se em perspetivas teóricas da Sociologia da Infância, concebendo a criança como sujeito de direitos e ator social competente e com voz, a fim de evidenciar questionamentos e contribuições para uma reflexão crítica e transformadora em torno da formação docente.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12095 Um olhar sobre as mudanças curriculares e pedagógicas 2021-06-28T09:38:04-03:00 Daniela Ferreira danielaferreira@fpce.up.pt Louise Lima louiselima@fpce.up.pt Ariana Cosme ariana@fpce.up.pt <p>Desde 2017/2018 que o sistema educativo português tem vivenciado a sua terceira reforma curricular. É neste contexto que se convidam os líderes pedagógicos a refletir, em contexto de formação, sobre os desafios à mudança e à inovação. Assente nos pressupostos das teorias da aprendizagem e avaliação desenvolvemos a reflexão sobre a necessidade das práticas pedagógicas serem mais coerentes com os desafios sociais. O desenho de investigação assenta numa abordagem qualitativa, na perspectiva do paradigma fenomenológico interpretativo, com recurso à análise de conteúdo. Como conclusões destacamos que os desafios das escolas estão associados à motivação e ao trabalho cooperativo, sendo que os/as diretores/as referem a importância de envolver as lideranças intermédias na redefinição da estratégia e visão de escola. Assim, e apesar da resistência que caracteriza os processos de mudança, as vantagens são claras se é da construção de uma escola inclusiva e democrática que falamos: mais sucesso e mais inclusão.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12061 Três mais um, quatro do quatro e a história da formação de professores no Brasil 2021-06-21T12:07:41-03:00 Renato Sarti renatosarti.eefd@gmail.com Paula Ramos paularamos.ufrj@gmail.com <p>Lançando mão de uma digressão histórica, o presente ensaio tem por objetivo reconhecer a existência de interlocuções entre as inúmeras políticas de formação de professores no Brasil, compreendendo-as dentro de um território de disputas. Quatro momentos históricos são apresentados: nascimento da Escola Normal do Rio de Janeiro; a Reforma Francisco Campos; a criação da Universidade do Distrito Federal; e da Faculdade Nacional de Filosofia. Em diálogo com estes períodos, o ensaio empreende a reflexão sobre três celebrações contemporâneas que constituíram e vêm constituindo a educação brasileira: a formação técnica-profissionalizante; a morigeração; e a aproximação entre Universidade/Escola.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12094 Permanecer ou evadir-se? 2021-06-30T14:24:52-03:00 Edineide Jezine edjezine@gmail.com Emília Maria Prestes prestesemilia@yahoo.com.br Robson Palmeira robson@ets.ufpb.br Adriana Diniz drianavsdiniz@hotmail.com <p>O texto discute a questão da evasão e permanência em cursos de graduação do ensino superior na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Campus I, expondo o perfil, as perspectivas para permanecer ou abdicar do curso, bem como as dificuldades e facilidades para a tomada dessa decisão por parte do alunado. A pesquisa, desenvolvida ao longo de três períodos letivos (2016.2 a 2017.1), caracteriza-se como uma pesquisa de natureza longitudinal e de metodologia quantitativa. As informações empíricas acerca de 16 cursos de graduação que apresentavam os maiores e os menores índices de evasão e de permanência, abarcando todas as áreas de conhecimento, foram coletadas através de um questionário, organizado seguindo aportes de modelos teóricos relacionados com a evasão e a permanência no ensino superior. A análise dos dados possibilitou concluir que a existência de aspectos contraditórios, e ao mesmo tempo relacionais, dinamiza a evasão e/ou permanência, segundo as condições objetivas ou subjetivas do alunado, em que ocorrem as relações de sociabilidades, as condições contextuais e estruturais, as políticas e os programas de permanência voltados para minimizar os efeitos da desigualdade social na Educação Superior.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12263 Caminhos traçados 2021-06-15T15:52:32-03:00 Rodrigo Müller Marques rodrigomarques93@gmail.com Jane Márcia Mazzarino janemazzarino@univates.br <p>O artigo problematiza o panorama da formação de professores em Educação Ambiental (EA) entre desafios e potências. Tem-se por objetivo mapear e analisar a produção acadêmica e científica entre 1992 e 2017 em língua espanhola e em língua portuguesa disponível no Portal de Periódicos da Capes referente à formação de professores em EA. A metodologia utilizada foi quanti-qualitativa, bibliográfica e documental a partir da Análise Integrativa. Os resultados demonstram desafios infraestruturais, pessoais, institucionais e ideológicos que atravancam o desenvolvimento de formações significativas e potências quando se utiliza diferentes espaços, agentes e instituições para gerar experimentações através de metodologias plurais e diversificadas no fazer EA através da docência.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13021 Expediente 2021-09-29T15:33:35-03:00 Inalda Maria dos Santos inaldasantos@uol.com.br <p>v. 13 (2021): Número Especial</p> <p>Dossiê "Paulo Freire, cidadão do mundo: 100 anos de contribuições, diálogos, histórias e memórias"</p> <p>Dossiê "Formação de Professores e Práticas Pedagógicas: estratégias, inclusão e superações"</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/11994 Há (um) método Paulo Freire? 2021-06-23T15:57:37-03:00 Walter Omar Kohan wokohan@gmail.com <p>O presente trabalho problematiza a existência de um método Paulo Freire. Numa primeira parte apresenta antecedentes terminológicos e históricos da palavra método. A seguir oferece alguns apontamentos de Paulo Freire em relação ao método e o valor que outorgava à curiosidade e compromisso político em relação ao método. Numa seção posterior, ocupa-se das relações entre a presença ou não de um método na formação docente e na relação que o ou a docente estabelece consigo mesma. Finalmente, tece algumas considerações finais a respeito de uma pedagógica infantil (menina) da pergunta e sua relação com o método ou sua ausência. </p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12118 Os imprescindíveis de nosso tempo 2021-05-13T13:52:31-03:00 Jane Paiva janepaiva27@gmail.com Fatima Lobato Fernandes fatimalobato@gmail.com <p>A trajetória na educação de jovens e adultos, cruzada com ensinamentos da educação popular na vida e trajetória acadêmica e profissional das autoras, tem demonstrado o quanto Paulo Freire se mantém, no belíssimo poema de Brecht, como <em>imprescindível</em> para pensar o campo da educação com as classes populares. Atravessadas por reflexões de Freire em sua longa e insistente obra, e por experiências diretas vividas em tempos concomitantes e marcantes, impregnaram seus fazeres cotidianos de princípios que constituem acentos mais do que relevantes em defesa do direito à educação para todos, à dignidade humana e ao reconhecimento social devido a todas as gentes. Usando (como Certeau, 1994) sentidos próprios para o que pode ser considerado <em>imprescindível</em> na pesquisa-ensino-extensão, as autoras percorrem princípios freireanos que sustentam práticas de pesquisa e o exercício democrático na formação de profissionais no campo da educação de jovens e adultos, atualizando um Paulo Freire a quem seguem como o educador gostaria: reinventando-o.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12091 Paulo Freire en la EPJA de hoy y de los nuevos tiempos 2021-06-23T16:04:09-03:00 César Espinoza Picón crpicon@gmail.com <p>Este artículo pretende explorar la actualidad del pensamiento de Paulo Freire desde tres miradas:1-la realidad latinoamericana con incidencia en la Educación de Personas Jóvenes y Adultas-Epja en contextos territoriales de desigualdades estructurales y la carencia de oportunidades educativas de los jóvenes y adultos; 2-el legado freireano enriquece la cultura pedagógica de la educación en general y de la Epja en particular y sustenta las nuevas epistemologías emergentes de la Epja en una perspectiva transformadora; 3- impulsa la energía motivadora mediante las reflexiones críticas y propuestas sobre las políticas de la educación de personas jóvenes y adultas con sentido de nueva humanidad, dignidad humana, integralidad y justicia social. El mundo del que habla Freire no solamente es largo, sino también ancho y tremendamente desigual e injusto. Paulo Freire vive en América Latina y el Caribe y tiene una permanente actualidad en las mentes y espíritus de quienes conocen su pensamiento educativo, de quienes se atreven a aplicarlos con creación e invención. En los tres ejes temáticos de este artículo se explicita la vigencia inspiradora, indagadora, impulsora y multiplicadora del pensamiento de Paulo Freire sobre la Epja transformadora y la desafiante tarea histórica de su construcción.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12115 As contribuições da pedagogia de Paulo Freire à difícil tarefa da construção do poder das pessoas na Venezuela 2021-06-18T14:25:18-03:00 Samuel Hilcías Carvajal Ruiz cursosunesr2015@gmail.com <p>O ensaio reflete sobre as contribuições da pedagogia de Paulo Freire no processo de construção do poder popular na Venezuela. Para tanto, é realizada uma breve contextualização, tomando como referência os aspectos históricos e político-culturais do país. São expostos os principais eixos teóricos e práticos da proposta pedagógica freiriana e é feita uma aproximação com a construção do poder popular. Conclui, em uma síntese estreita, um percurso histórico - reflexivo da evolução política e social da sociedade venezuelana é feito, considerando os elementos mais significativos da hegemonia cultural vigente, bem como as chaves políticas pedagógicas que contribuem para o processo construtivodo do poder popular da Venezuela.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12117 A inflexão marxista de práxis na pedagogia politica de Paulo Freire 2021-06-15T16:13:05-03:00 Peter Mayo peter.mayo@um.edu.mt <p>Este artigo explica a noção freireana de práxis desenvolvida na <em>Pedagogia do Oprimido</em> e em outros escritos, de Freire, Marx e Gramsci, para capturar a relação dialética entre a consciência e o mundo, refletido ema abordagem pedagógica pela qual ele se tornou famoso. O conceito de práxis remonta à época dos gregos antigos e já em Aristóteles. Isso envolve uma reflexão sobre o processo de viver - uma função intelectual. Os processos de pensamento e de reflexão que acompanham a maioria das atividades e que se deve ajudar a nutrir com mudanças políticas em mente. A práxis está no cerne da abordagem política e pedagógica de Paulo Freire e deve ser distinguida da mera prática. Envolve a codificação da reflexão sobre a vida cotidiana em teoria e os meios de avaliar essa teoria em comparação com o resultado da reflexão sobre a vida cotidiana, incluindo a vida no trabalho e na comunidade.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12112 Pedagogia da resistência 2021-06-25T19:40:27-03:00 Marinaide Freitas naide12@hotmail.com Anderson Menezes anderufal@gmail.com Valéria Campos Cavalcante vccavalcante1@hotmail.com <p>No presente artigo, evidenciamos as contribuições das leituras de Freire (1975, 1979, 1992, 2005) e Honneth (2009, 2018) que fizeram parte da nossa trajetória profissional. Ressalta-se que nos percursos que vivemos em momentos distintos, na condição de professores/as, pesquisadores/as da Educação, tivemos a oportunidade de vivenciar práticas pedagógicas inovadoras, grande parte, com base no legado bibliográfico de Paulo Freire, que nos possibilitou/possibilita valorizar a relevância da ação político-pedagógica nas escolas. Trazemos o recorte de uma pesquisa realizada em quatro escolas públicas de Alagoas, investigação inserida no Observatório Alagoano de Leitura na EJA, que nos conduziram a constatar que as escolas se configuram como <em>espaçotempo</em> de exercício de autonomia, de estudantes e professores, apropriando-se da realidade. Inspirados ainda em Freire (1979) reafirmamos o compromisso com a Educação como prática da liberdade. Nesse contexto, a palavra é compreendida como “força de transformação do mundo”. Assim, podemos pensar com Freire (2005) e Honneth (2009; 2018) nas formas de engajamento e luta que evocam processos de humanização e libertação frente aos contextos de profunda coisificação e consequente esquecimento do reconhecimento subjetivo e social.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12025 O golpe na elaboração intelectual de Paulo Freire 2021-06-09T12:04:27-03:00 Jailson Costa da Silva jailson.costa@ifal.edu.br Andresso Marques Torres andressotorres@hotmail.com <p class="western">O artigo tem como objetivo explicitar como o Estado militar, ao criar o Mobral (1967-1985), em contraponto à educação libertadora, se apropriou dos aspectos metodológicos do Sistema Paulo Freire de Alfabetização. Desse modo, o texto traz fragmentos das vozes de interlocutores, narrativas coletadas por meio de entrevistas temáticas, ancoradas na metodologia da História oral. Os estudos evidenciaram a divergência do sentido da alfabetização, que não poderia ser o mesmo para os que idealizaram a educação para as massas e os que pensaram a educação com o povo. Vale destacar que o Mobral dedicou-se à massificação da educação a partir de esquemas operacionais simples e padronizados, atrelado à aquisição simplificada de técnicas de leitura e de escrita, enquanto que a base freireana era constituída de situações concretas dos alfabetizandos.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12020 O diálogo freireano em prática de educação de jovens e adultos em ambiente hospitalar 2021-08-04T13:08:17-03:00 Ivanilde Apoluceno de Oliveira nildeapoluceno@uol.com.br Priscila Costa Soares priscila_costa_soares@msn.com <p>O presente artigo corresponde a uma pesquisa de campo de abordagem qualitativa, cujo foco é para as práticas educativas com mulheres jovens e adultas promovidas por um Núcleo de Educação Popular de uma universidade pública do Estado do Pará em uma classe hospitalar. Esta classe está situada em um espaço de acolhimento, vinculado a um hospital, que é referência no tratamento de vítimas de acidente por motor de barco no Pará. Essas mulheres advêm de diversas regiões da Amazônia paraense para residirem na casa anexo ao hospital, a fim de realizarem tratamento médico. Mediante a visível demanda psicoemocional das educandas, o Núcleo formulou o projeto Roda de Sentimentos, inspirada nas rodas de conversa de Paulo Freire, que objetivou fomentar o diálogo e escuta sensível (entre educandas e educadores) sobre temas as quais emergiam no contexto hospitalar e que tinham importantes impactos na vida diária das educandas. O objetivo desta pesquisa é analisar a estratégia pedagógica da roda de conversa na prática educativa da educação popular com mulheres jovens e adultas da classe hospitalar do espaço de acolhimento. Trata-se de um estudo bibliográfico, participante e documental. Como resultados, observamos um aumento na capacidade de interação social no espaço que refletiu sobre o aumento da participação das educandas na EJA e minimização do sofrimento relacionado ao contexto do tratamento.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12054 Contribuições de Freire e Gramsci para pensar a EJA na Pandemia 2021-06-17T11:55:20-03:00 Maria Margarida Machado mmm2404@gmail.com Renato Ribeiro rhenato@gmail.com <p>O artigo compartilha reflexões de estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) em Goiás, no contexto da Pandemia de COVID-19, amparando-se nos pressupostos de Antonio Gramsci e Paulo Freire sobre o sujeito que aprende e o papel da educação. A partir das <em>vozes </em>dos educandos e educandas, em diálogo com as concepções gramscianas e freirianas, discute-se como se dá o acesso ao conhecimento historicamente produzido, no âmbito do Regime Especial de Aulas Não Presenciais (Reanp), adotado em Goiás. Os desafios e as limitações identificadas no estudo reforçam a necessidade de garantir aos estudantes da EJA acesso ao conhecimento, numa perspectiva transformadora, conscientizadora e libertadora, coadunando com uma escola “desinteressada” e não submetida aos interesses do capital.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12114 Resistências e esperanças em Freire 2021-09-12T09:36:03-03:00 Maria Hermínia Lage Fernandes Laffin herminialaffin@gmail.com Cassia Machado Cilene de Almeida Chalá cassiachala@yahoo.com.br Patricia Barcelos Martins patibmj@yahoo.com.br <p>Apresenta-se um estudo sobre a Educação de Jovens e Adultos e os desafios educativos enfrentados no contexto da pandemia por Covid-19. Trata-se de um estudo qualitativo, de análise descritiva de dados sobre a população a respeito das questões sociais, do trabalho e das demandas potenciais dessa modalidade da Educação Básica. Na fundamentação teórica, conta-se com o pensamento de Paulo Freire e sua educação conscientizadora, emancipatória e humanizadora. O texto está organizado em três eixos: as desigualdades no contexto da pandemia; quem são e onde se localizam os sujeitos da EJA e, os desafios das ações educativas para estudantes e docentes. Defende-se a constante luta e a defesa da universalização da educação pública como direito subjetivo a toda a população.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12182 Educação de Pessoas Jovens, Adultas e Idosas (EJA) 2021-08-17T12:46:11-03:00 Emeline Dias Lódi emelinedias@hotmail.com Adriana Regina Sanceverino adriana.sanceverino@uffs.edu.br <p>O presente artigo objetiva estabelecer reflexões pertinentes acerca do currículo que se pretende emancipador para a Educação de Pessoas Jovens Adultas e Idosas (EJA) a partir das contribuições da Pedagogia Freireana. Para tanto, realizou-se uma pesquisa de cunho bibliográfico, consubstanciada por reflexões teóricas realizadas pelas autoras, professoras pesquisadoras em ações de ensino, pesquisa e extensão. Como aportes teórico-metodológicos, para a compreensão da interface currículo da/para EJA abordaram-se autores como Freire (1989; 1987; 1979; 1975), Arroyo (2016; 2007; 2006), Oliveira (2009), Laffin (2013) Sanceverino (2019), Jardilino e Araújo (2014), entre outros(as) pesquisadores(as) que se referem a essa temática. Os resultados apontam que o currículo da/para a EJA deve garantir aos(às) educandos(as) aprendizagens significativas, considerar seus saberes e respeitar a diversidade dos sujeitos. Além disso, evidencia-se a urgência de superar a invisibilidade da EJA nos documentos legais que orientam a elaboração do currículo, bem como a necessidade de redesenhar currículos que, de fato, promovam a emancipação política, social e cultural das pessoas jovens, adultas e idosas.</p> 2021-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Debates em Educação