A VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA ENQUANTO INOBSERV NCIA DOS DIREITOS DA PARTURIENTE

Autores

  • Teliane Lima Baptista

Resumo

A violência obstétrica constitui-se na inobservância dos direitos da parturiente, convergindo entre práticas desumanizadas de assistência a violência de gênero, isto é, a negação de direitos fundamentais da mulher. A pesquisa aqui proposta, então, trata-se de um estudo descritivo que utiliza como recurso metodológico pesquisa bibliográfica articulada a documental. Por conseguinte, concluiu-se que a violência obstétrica pode refletir iniquidades na assistência ao parto e nascimento demonstrando a influência da cultura e a percepção sobre o parto pela sociedade.

Referências

BALBINOTTI, I. A Violência contra a mulher como expressão do patriarcado e do machismo. Revista da ESMESC, Florianópolis, v.25, n.31, p.239-264 , 2018.

BRASIL. Lei n. 11.108, de 7 de abril de 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11108.htm. Acesso em: 19 ago. 2020.

LANSKY, S. et al. Violência obstétrica: influência da Exposição Sentidos do Nascer na vivência das gestantes. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v.24, n.8, p.2811-2824, ago. 2019.

Downloads

Publicado

09/09/2021

Como Citar

Baptista, T. L. . (2021). A VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA ENQUANTO INOBSERV NCIA DOS DIREITOS DA PARTURIENTE . Gep News, 5(1), 31–33. Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/gepnews/article/view/12855

Edição

Seção

Artigos