RODA DE CONVERSA COM MULHERES NO CONTEXTO HOSPITALAR

ESPAÇO DE CUIDADO E PROMOÇÃO DE SAÚDE

Autores

  • Tatiele Santos dos Reis
  • Clarissa Ferreira Bezerra Guimaraes
  • Edijane Alves da Silva
  • Jaíne Teixeira Bezerra
  • Larissa Oliveira Lessa

Resumo

A Roda de Conversa é uma metodologia de trabalho participativa, entendida como uma forma de diálogo singular entre as participantes, baseando-se em uma relação de colaboração mútua de forma horizontal, em que todas partilham seus saberes e percepções. O objetivo da atividade foi possibilitar um espaço de promoção de saúde através de autorreflexão e reflexão coletiva com vista a fomentar vínculo entre as participantes. Trata-se de um estudo descritivo, do tipo relato de experiência, realizado com mulheres da Unidade de Internação da Clínica Médica, totalizando 09 participantes entre pacientes e acompanhantes. Ao final das atividades pôde-se observar que houve participação efetiva das participantes, contribuindo para maior interação entre elas, promovendo o fortalecimento de vínculos. A realização da roda de conversa promoveu espaço de diálogo e alternativa para identificar as fragilidades e potencialidades das participantes, além de solidificar laços afetivos. Logo, este momento foi profícuo para trabalhar os anseios frente ao adoecimento e período de internação.

Referências

AFONSO, M. L. M.; ABADE, F. L. Para reinventar as Rodas. Belo Horizonte: RECIMAM, 2008

ANDRADE, G. R. B.; VAITSMAN, J. Apoio social e redes: conectando solidariedade e saúde. Ciência & saúde coletiva, Rio de Janeiro, v.7, p.925-934, 2002.

ANGERAMI-CAMON, V. A. et al. Psicologia hospitalar: teoria e prática. São Paulo: Pioneira, c1994.

ASSIS, S. G.; AVANCI, J. Q. Labirinto de espelhos: formação da auto-estima na infância e na adolescência. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2004.

AZEVEDO, A. P. de.; CRISTINO, J. S.; VIANA, M. F. Educação em saúde para acompanhantes de pacientes internados. Rev. Enferm. UFPE, Recife, v.12, n.4, p.1168-73, 2018.

BRANDENBURG, O. J.; WEBER, L. N. D. Autoconhecimento e Liberdade no behaviorismo Radical. Psicologia-USF, Itatiba, v.10, n.1, p.87-92, 2005.

BRASIL. Portaria nº 2.446, de 11 de novembro de 2014. Redefine a Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS). Diário Oficial da União, 2014.

FALKENBERG, M. B. et al. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Ciência & Saúde Coletiva, [s.l.], v.19, p.847-852, 2014.

FIGUEIREDO, M. F. S.; RODRIGUES NETO, J. F.; LEITE, M. T. de S. Educação em saúde no contexto da Saúde da Família na perspectiva do usuário. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, [s.l.], v.16, p.315-329, 2012.

MERHY, E. E.; FRANCO, T. B. Por uma Composição Técnica do Trabalho Centrada nas Tecnologias Leves e no Campo Relacional. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v.27, n.65, set./dez. 2003. Disponível em: https://www.pucsp.br/prosaude/downloads/territorio/composicao_tecnica_do_trabalho_emerson_merhy_tulio_franco.pdf. Acesso em: 01 set. 2019.

MOSQUERA, J. M. J.; STOBÄUS, D. C. Auto-imagem, auto-estima e autorealização: qualidade de vida na universidade. Psicologia, saúde & doenças, Lisboa, v.7, n.1, p.83-88, 2006.

PIETA, M. A. M.; FREITAS, L. B. de L. Sobre a gratidão. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Janeiro, v.61, n.1, p.100-108, 2009.

Downloads

Publicado

09/09/2021

Como Citar

Reis, T. S. dos, Guimaraes, C. F. B. ., Silva, E. A. da ., Bezerra, J. T., & Lessa, L. O. (2021). RODA DE CONVERSA COM MULHERES NO CONTEXTO HOSPITALAR: ESPAÇO DE CUIDADO E PROMOÇÃO DE SAÚDE. Gep News, 5(1), 235–241. Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/gepnews/article/view/12905

Edição

Seção

Artigos