ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL COMO ESTRATÉGIA DE ADESÃO DO PACIENTE HIV

UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores

  • Kassia Alice Anjos de Lima
  • Amanda Cézar Vrijdags

Resumo

O vírus da imunodeficiência humana (HIV), causador da Síndrome da Imunodeficiência Humana (AIDS), ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças, sendo considerado um dos grandes problemas de saúde pública em esfera mundial. Devido a evolução da terapia antirretroviral combinada, a morbidade relacionada a este vírus reduziu bastante. O serviço do Hospital Dia abrange atendimento de pacientes de livre demanda e regulados em todo estado, dispõe de uma equipe multiprofissional e é cenário de prática para Residência Multiprofissional em Saúde do Adulto e do Idoso. O presente trabalho apresenta a importância da abordagem inicial multiprofissional a uma pessoa com diagnóstico de infecção pelo HIV como instrumento de estabelecer uma relação de confiança e respeito entre esta e a equipe multiprofissional do serviço de saúde, a fim de permitir a compreensão e o esclarecimento de eventuais dúvidas e abrir caminho para a superação das dificuldades, buscando a adesão do usuário ao tratamento.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de adesão para o tratamento de pessoas vivendo com HIV/AIDS. Brasília: Secretaria de Vigilância em Saúde, Programa Nacional de DST e AIDS, Ministério da Saúde, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria Interministerial nº45, de 12 de janeiro de 2007. Brasília: Ministério da Educação, 2007.

BRASIL, Ministério da Saúde. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para manejo da infecção HIV em adultos. Brasília: Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais, Ministério da Saúde, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº2, de 13 de abril de 2012. Brasília: Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde, Secretária de Educação Superior, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº3, de 4 de maio de 2010. Brasília: Ministério da Educação, 2010.

CARVALHO, D. J. M. D. et al. Egressos de residência em enfermagem e o mercado de trabalho. Rev. enferm. UFPE, Recife, v.13, 2019.

NUNES, K. C.; NOGUEIRA, A. C. C.; LIMA, F. L. T. Perfil dos egressos de Serviço Social da Residência Multiprofissional do INCA. Tempus Actas de Saúde Coletiva, Brasília, v. 10, n. 4, p.111-128, 2017.

SEIDL, E. M. F.; ZANNON, C. M. L. C.; TROCCOLI, B. T. Pessoas vivendo com HIV/AIDS: enfrentamento, suporte social e qualidade de vida. Psicol. Reflex. Crit., Porto Alegre, v.18, n.2, p.188-195, 2005.

SILVA, J. C. et al. Percepção dos residentes sobre sua atuação no programa de residência multiprofissional. Acta paul. enferm., São Paulo, v.28, n.2, p.132-138, abr. 2015.

Downloads

Publicado

09/09/2021

Como Citar

Lima, K. A. A. de ., & Vrijdags, A. C. . (2021). ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL COMO ESTRATÉGIA DE ADESÃO DO PACIENTE HIV: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA. Gep News, 5(1), 423–426. Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/gepnews/article/view/12945

Edição

Seção

Artigos