NÍVEL DE CATASTROFIZAÇÃO E DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR

Autores

  • Ana Cláudia Ramos Pinto
  • Antônio Sérgio Guimarães
  • Luciane Rodrigues Lacerda
  • Isabelle Janine Vieira do Carmo
  • Stela Maris Wanderley Nobre
  • Jorge Alberto Gonçalves
  • Ana Lêda Silva Trindade

Resumo

Disfunção temporomandibular (DTM) é um termo coletivo que abrange um amplo espectro de problemas clínicos da articulação temporomandibular (ATM) e dos músculos na área orofacial. Estas disfunções são caracterizadas principalmente por dor, sons na articulação, função irregular ou limitada da mandíbula e típica dor orofacial crônica. Diversos estudos têm demonstrado que a catastrofização, conjunto de processos emocionais e cognitivos negativos, é um importante fator de risco para a manutenção da dor. O objetivo deste trabalho é verificar em indivíduos classificados em um ou mais subtipos de DTM pelo Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders (DC/TMD) Eixo I, a relação entre o grau de catastrofização e a intensidade de dor, e avaliar a possível influência da catastrofização nas limitações causadas pela DTM. A amostra foi composta por 122 indivíduos diagnosticados com DTM, divididos igualmente em 02 grupos, que concordaram em participar do estudo e preencheram corretamente os questionários. O grupo I foi composto pelos pacientes que apresentam níveis moderados ou altos de catastrofização (30 pontos ou mais), o grupo II serão incluídos os indivíduos, que não apresentam níveis significativos de catastrofização. Ambos os grupos foram subdivididos em A e B que correspondem respectivamente ao grupo de indivíduos com menos de 3 meses de queixa de DTM e com mais de 3 meses. Todos os grupos responderam ao questionário da Escala de Catastrofização da Dor (Pain Catastrophizing Scale - PCS), e para quantificar a dor, a escala visual numérica (EVN).

Downloads

Publicado

25/07/2019