FRATURAS DOS OSSOS PRÓPRIOS NASAIS

Autores

  • Vívia Gomes Barros
  • Ellen Christie Tenório Teixeira Rodrigues
  • Jéssika Júlia Silva de Souza
  • Caroline Brígida Sá Rocha
  • Quiteria Edileuza Rezende de Araújo
  • Mateus Barros Cavalcante
  • Caio Pimenteira Uchoa

Resumo

Fraturas dos ossos próprios nasais (OPN) contabilizam 39% de todas as fraturas faciais, devido à posição proeminente que o nariz apresenta e à constituição relativamente fina dos ossos nasais. As fraturas ocorrem principalmente nos casos de acidentes esportivos e agressões. O diagnóstico é clínico, mas pode ser auxiliado por radiografias póstero anteriores (PA) Waters, perfil OPN, tomografia computadorizada (TC) de face e endoscopia nasal (EM). A maioria das lesões é tratada com reposicionamento ósseo com a ajuda de fórceps especiais, como o de Walsham (para os ossos nasais) e o de Asche (para o septo nasal). Pode ser feito imediatamente na hora do trauma, mas em geral é feito o tratamento tardio, três dias após o trauma, dentro de um prazo de até duas semanas, no intuito de melhor definir a posição anterior ao trauma, possibilitado quando há uma diminuição do edema. Após duas semanas é iniciada a cicatrização das fraturas. Em crianças, o tempo de consolidação é mais rápido e o tratamento deve ser realizado dentro dos primeiros sete dias após o trauma. O objetivo desse trabalho é relatar um paciente gênero masculino 16 anos de idade, vítima de agressão física apresentou-se ao serviço de cirurgia e traumatologia buco-maxilo-facial do Hospital da restauração com edema e desvio em região nasal. ao exame de imagem, sugeriu-se sinais de fratura dos ossos próprios do nariz, foi realizado o reposicionamento de forma incruenta com anestesia local, instalação de tampão nasal anterior e acompanhamento ambulatorial. Lesões de OPN é de fácil diagnóstico e tratamento ambulatorial com anestesia local. O nariz possui uma localização estética, logo o manejo do paciente de forma adequada e precisa é de suma importância para melhor prognóstico.

Downloads

Publicado

31/07/2019