ABORDAGEM PREVENTIVA E REABILITADORA COM USO DE PROTESES FIXA EM PACIENTE COM HIPOSSALIVAÇÃO: RELATO DE CASO

Autores

  • Betina Lopes de Farias Gama Jatobá
  • Ellen Christie Tenório Teixeira Rodrigues
  • Jéssika Júlia Silva de Souza
  • Laís Lemos Cabral
  • Emilliano de Gusmão Gonçalves

Resumo

A hipossalivação é a redução objetiva de produção salivar estimulada e não estimulada. Trata-se de um distúrbio comum multifatorial e estima-se que cerca de 20% da população geral esteja afetada por esta condição. O desconforto associado a xerostomia é o primeiro e mais comum sinal descrito pelos pacientes com hipossalivação. A diminuição da produção salivar pode levar às seguintes queixas: desconforto oral generalizado, disfagia, disgeusia, disfonia, halitose, fissuras e ardor nos lábios e na língua. O tratamento reabilitador protético é um alternativa mais definitiva para pacientes portadores de efeitos colaterais avançados da hipossalivação. O mesmo visa devolver ao paciente a fonética, função mastigatória e estética, assim como a harmonização estética otimizando sua qualidade de vida e reinserção social. O presente caso tem como objetivo relatar a hipossalivação associada com a necessidade de reabilitação protética em uma paciente do sexo feminino, portadora de hipossalivação associada a fatores sistêmicos, através da realização de coroa total em cerâmica de dissilicato de lítio em arcada superior. O tratamento proposto foi multidisciplinar, envolvendo Periodontia, Endodontia, Dentística e Prótese. Os cirurgiões dentistas, portanto, ao consultarem um paciente portador de xerostomia deve diagnosticar não só a hipofunção gandular salivar e estabelecer um protocolo de adequação bucal para prevenir efeitos secundários, como também propor um planejamento integrado às demais especialidades afim de estabelecer o melhor tratamento funcional-estético para o paciente.

Downloads

Publicado

04/08/2019