O desejo no pensamento de Foucault: do indivíduo ao sujeito de uma sexualidade

Autores

  • Giovana Carmo Temple UFRB

Resumo

O objetivo deste artigo é desenvolver a noção de desejo no exercício do poder disciplinar e na biopolítica. Para tanto, indicaremos os caminhos no texto de Foucault que vão do indivíduo que emerge a partir do século XVIII no interior de
um campo político, problematizando a formação de uma alma (psique) como efeito e instrumento das práticas disciplinares de exercício do poder, ao sujeito de uma sexualidade, analisando a relação entre desejo, verdade e sujeito a partir das práticas da penitência ao dispositivo da sexualidade. Por fim, veremos como a “dessexualização do prazer” é uma via de acesso ao corpo e a multiplicação de prazeres que não reitera os termos do dispositivo da sexualidade. Nos reportaremos sobretudo aos cursos O poder psiquiátrico; Os anormais; Segurança, Território e População; e aos livros Vigiar e Punir; História da Sexualidade I, “A vontade de Saber”; História da Sexualidade II, “O uso dos prazeres”.

Biografia do Autor

Giovana Carmo Temple, UFRB

Professora de Filosofia da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia/UFRB. Doutora em Filosofia pela UFSCar, Mestre, licenciada e bacharel em Filosofia pela UNESP/Marília. E-mail: giovanatemple@gmail.com

Downloads

Publicado

17/12/2020