CORRELAÇÕES FENOTÍPICAS, GENOTÍPICAS E DE AMBIENTE EM CLONES DE BATATA-DOCE (Ipomoea batatas (L.) Lam.), RIO LARGO - ALAGOAS

Autores

  • Jair Tenório Cavalcante Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Paulo Vanderlei Ferreira Universidade Federal de Alagoas
  • Lailton Soares Universidade Federal de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.28998/rca.v10i1.728

Resumo

O experimento foi realizado em Rio Largo - Alagoas, em 1999, objetivando avaliar clones de batata-doce, através de análise de variância, comparação das médias e correlações fenotípicas, genotípicas e de ambiente. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos casualizados, com 14 tratamentos e quatro repetições, analisando-se as variáveis: rendimento, comprimento, diâmetro médio e número de raízes comerciais, peso da parte aérea, rendimento de raízes não comerciais, resistência à broca do coleto e resistência à ferrugem branca. De um modo geral foram baixas as correlações entre as variáveis, com exceção dos coeficientes de correlações genotípicas. No entanto, houve uma maior contribuição dos fatores genéticos nas correlações. O rendimento foi influenciado positivamente tanto pelo diâmetro médio como pelo número de raízes comerciais e o diâmetro médio da raiz foi influenciado negativamente pelo comprimento da mesma. A variável peso da parte aérea não é eficiente na seleção dos clones mais produtivos

Biografia do Autor

Jair Tenório Cavalcante, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Escola Agrícola de Jundiaí

Paulo Vanderlei Ferreira, Universidade Federal de Alagoas

Centro de Ciências Agrárias

Lailton Soares, Universidade Federal de Alagoas

Centro de Ciências Agrárias

Referências

AMARAL JR, A.T. do. Análise multivariada e isozimática da divergência genética entre acessos de moranga. 1994. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

AZEVEDO, S.M.; MALUF, W.R.; FREITAS, J.A.; AYRES, F.A.B.; MARTINS, V.S.; MOTA, F.M.F.; SANTOS, E.P.; BRAGA, R.; S.; SILVA, R.M. Avaliação de clones avançados de batata-doce quanto à produtividade, formato e resistência a insetos do solo - UFLA - MG. Revista Horticultura brasileira, 1996. v.14, nº 1, p. 69. (Resumo).

CRUZ, C.D.; REGAZZI, A.J. Métodos biométricos aplicados ao melhoramento genético. Viçosa: U. F. V, Imp. Univ., 1994. 390p.

FALCONER, D.S. Introdução à genética quantitativa. Viçosa: U. F.V., Imp. Univ., 1987. 279p.

FERREIRA, G.A.D.; BORÉM, A. Correlações e análise de trilha em uma população de milho palha roxa (Zea mays L.) - Viçosa: 1996. 13p.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Anuário estatístico do Brasil. Rio de Janeiro: Secretaria de Planejamento da Presidência da República. 1999. v. 59, p. 3-36.

MIRANDA, J.E.C.; FRANÇA, F.H.; CARRIJO, O.A.; SOUZA, A.F.; PEREIRA, W.; LOPES, C.A.; SILVA, J.B.C. A cultura da batata-doce. Brasília: EMBRAPA. 1995. 94p.

MIRANDA, J.E.C.; FRANÇA, F.H.; CARRIJO, O.A.; SOUZA, A.F.; AGUILLAR, J.A.E. Cultivo da batata-doce (Ipomoea batatas (L.) Lam) EMBRAPA - CNPH, Brasília. 1984. 8p. (Instruções Técnicas, 7).

PEIXOTO, N.; MIRANDA, J.E.C. de; FILGUEIRA, F.A.R.; CÂMARA, F.L.A. Avaliação de clones de batata-doce em Goiás. Goiânia, EMGOPA-DDT. 1989. 12p. (EMGOPA. Boletim de Pesquisa, 16).

RESENDE, G.M. de; COSTA, N.D. Avaliação de cultivares de batata-doce (Ipomoea batatas (L) Lam.). Em condições de sequeiro no Norte de Minas Gerais ( EMBRAPA / CPATSA, Petrolina PE). In Revista Horticultura brasileira. 1995. v.13, nº 1, p. 107.

SILVA, J.B.C.; LOPES, C.A. Cultivo da batata-doce. 3. Ed. Brasília: EMBRAPA. 1995. 18p. (Instruções Técnicas de CNPHortalilças -7).

SOARES, L. Melhoramento de batata-baroa (Arracacia xanthorrhiza Bancroft). II - Divergência genética entre clones com base em procedimentos multivariados e estimativas de parâmetros genéticos. 1991. 73p. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG.

VENCOVSKY, R. Herança quantitativa. In: PATERNIANI, E. Melhoramento e produção de milho no Brasil. Piracicaba, ESALQ, 1987. 409p.

Downloads

Publicado

20/12/2012

Edição

Seção

Produção Vegetal