Propagação vegetativa de inhame (Dioscorea spp.) por estaquia

Autores

  • Eurico Eduardo Pinto de Lemos Universidade Federal de Alagoas
  • Roseane Cristina Predes Trindade Universidade Federal de Alagoas
  • Thiago Barros Oliveira Universidade Federal de Alagoas
  • Luiz Eduardo Rocha e Silva Universidade Federal de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.28998/rca.v11i1.824

Resumo

O presente trabalho teve o objetivo de estabelecer uma forma alternativa de propagação de inhame através de enraizamento de estacas de ramos vegetativos. O experimento foi conduzido no CECA/UFAL, em estufa com nebulização intermitente, em um esquema de blocos casualizados com três tratamentos e oito repetições. As estacas foram obtidas de plantas sadias com idade de 180 dias e colhidas em três diferentes alturas (andares) definidas pelo número de nós contadas a partir da base no caule principal, a saber: 1° andar (do 1º ao 6º nó), 2° andar (do 7º ao 12º nó) e 3° andar (do 12º ao 18º nó). Utilizaram-se estacas com cinco nós deixando-se um par de folhas cortadas à metade para reduzir a transpiração, imersas em solução fungicida e plantadas em bandejas com células de 230 cm3 contendo substrato comercial Bioplant®. Após 30 dias avaliou-se a percentagem de estacas enraizadas, o número e o comprimento das raízes. Cerca de 50 % das estacas do 1° e 2° andares enraizaram contra 30 % de estacas enraizadas no 3º andar. O comprimento médio das raízes foi de 3,47; 2,25 e 1,46 para o 1°, 2° e 3º andar, respectivamente. A capacidade de enraizamento de estacas vegetativas de inhame possibilita a produção de mudas saudáveis e em maior quantidade.

Biografia do Autor

Eurico Eduardo Pinto de Lemos, Universidade Federal de Alagoas

Professor Associado 3 da Universidade Federal de Alagoas do Centro de Ciências Agrárias

Roseane Cristina Predes Trindade, Universidade Federal de Alagoas

Professora Associado 1 do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Alagoas

Thiago Barros Oliveira, Universidade Federal de Alagoas

Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal de Alagoas

Luiz Eduardo Rocha e Silva, Universidade Federal de Alagoas

Engenheiro Agrônomo do Programa de Melhoramento da Cana-de-açúcar PMGCA/CECA/UFAL

Referências

Acha, I.A.; Shiwachi, H.; Asiedu, R.; Akoroda, M.O. Effect of auxins on root development in yam (Dioscorea rotundata) vine. Tropical Science, v. 44, p. 80-84, 2004.

Agele, S.O.; Ayankanmi, T.G.; Kikuno, H. Effects of synthetic hormone substitutes and

genotypes on rooting and mini tuber production of vines cuttings obtained from white yam (Dioscorea rotundata, Poir), African Journal of Biotechnology, v. 9, n. 30, p. 4714-4724, 2010.

Asante, B.O.; Otoo, E.; Wiredu, A.N.; Acheampong, P.; Osei-Adu, J.; Nsiah-Frimpong, B. Willingness to adopt the vine multiplication technique in seed yam production in the forest savanna transition, Journal of Development and Agricultural Economics, v. 3, n. 16, p. 710-719, 2011.

Ayankanmi, T.G.; Agele, S.O. Effects of Genotype, Root – Promoting Substances and Planting Media on Yam (Dioscorea Rotundata, Poir) Vine Cuttings for Mini Tuber Production, Advances in Environmental Biology, v. 4, n. 3, p. 353-359, 2010.

Behera, K.K.; Sahoo, S.; Maharana, T.; Pani, D. Response of Vine Cuttings to Rooting in Different Months in Three Department of Botany, Utkal University, Vanivihar, Bhubaneswar-751004, Orissa. Nature and Science, v.7, n. 12, p. 48-51, 2009. <http://www.sciencepub.net/nature/ns0712/09_2047_FResponse_ns0712_48_51.pdf>. 12 set 2012.

Correl, D.S.; Schubert, B.G.; Gentry, H.S.; Hawley, W. D. The search for plant precursors of cortisone, Economy Botanical, v. 9, p. 307-375, 1955.

Fachinello, J.C.; Hoffmann, A.; Nachtigal, J.C.; Kersten, E. Propagação vegetativa por estaquia. In: Fachinello, J.C.; Hoffmann, A.; Nachtigal, J.C. Propagação de plantas frutíferas. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, p. 69-109, 2005.

Garbuio, C.; Biasi, L.A.; Kowalski, A.P.J. Propagação por estaquia em Patchouli com diferentes números de folhas e tipos de estacas. Scientia Agrária, v.8, n.4, p.435-438, 2007.

Hartmann, H.T.; Kester D.E.; Davies Jr., F.T.; Geneve, R.L. Plant propagation: principles and practices. 7. ed. New Jersey: Prentice Hall, 2002. 880 p.

IITA. Yam. Research review. International Institute of Tropical Agriculture. Ibadan, Nigéria. p. 1-4, 2009.

Lima, N.P.; Biasi, L.A.; Zanette, F.; Nakashima, T. Produção de mudas por estaquia de duas espécies de guaco. Horticultura Brasileira, v. 21, n. 1, p. 106-109, 2003. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362003000100022

Melo Filho, P.A.; Satos, R.C.; Mafra, R.C.; Santos, J.W. Classificação de germoplasma de Dioscorea sp. através da análise das componentes principais. Ciência Rural, Santa Maria, v.30, n.4, p.619-623, 2000. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782000000400010.

Monteiro, D.A.; Peressin, V.A. Agricultura: tuberosas amiláceaes Latino Americanas. São Paulo: Fundação Cargill, 2002. 540p.

Moura, R.M. Doenças do inhame-da-costa (Dioscorea cayennensis). In: Kimati, H., Amorim, L., Rezende, J.A.M., Bergamin Filho, A. & Camargo, L.E.A. Manual de fitopatologia: doenças das plantas cultivadas. Vol. 2. São Paulo. Editora Agronômica CERES. p 415-419, 2005.

Njoku, E. The propagation of Yams (Dioscorea spp.) by vine cutting, Journal of the West African Science Association. v. 8, n. 1, p. 29-32, 1963.

Oliveira, A.P. Nutrição e época de colheita do inhame (Dioscorea sp.) e seus reflexos na produção e qualidade de rizóforos. ln: SANTOS, E.S.doS, (Ed) Simpósio Nacional sobre as culturas do inhame e Taro, 2., 2002. João Pessoa –PB. Anais... João Pessoa-PB:EMEPA-PB, v.1, p.83-98, 2002. < http://emepa.org.br/anais/volume1/av106.pdf> 23 ago 2012.

Pedralli, G.; Carmo, C.A.S.; Cereda, M. Uso de nomes populares para as espécies de Araceae e Dioscoreaceae no Brasil. Horticultura Brasileira, Brasília, v.20, n.4, p.530-532, 2002.

Peixoto Neto, P.A.S.; Caetano, L.C.; Lopes Filho, J. Importância sócio-econômica. In: Peixoto Neto, P.A.S.; Lopes Filho, J.; Caetano, L.C.; Alencar, L.M.C.; Lemos, E.E.P. Inhame o nordeste fértil. Maceió: Edufal, p. 19-23, 2000.

Pescador, R.; Voltoni, A.C.; Girardi, C.G.; Rosa, F.A.F. Estaquia de Pariparoba-do-Rio Grande do Sul sob efeito do ácido indol-butírico em dois substratos. Scientia Agraria, Curitiba, v. 8, n. 4, p. 391-398, 2007.

Ritzinger, C.H.S.P.; Santos Filho, H.P.; Abreu, K.C.L.M.; Fancelli, M.; Ritazinger, R. Aspetos fitossantários da cultura do inhame. Cruz das Almas. EMBRAPA/SPI. 2003.

Santos, M.Q.C. Enraizamento de estacas de gravioleira (Annona muricata L.) cv. “Gigante das Alagoas”. Dissertação (Mestrado em Agronomia: Produção Vegetal) – Universidade Federal de Alagoas. Centro de Ciências Agrárias. Rio Largo, 2010. < http://www.ufal.edu.br/unidadeacademica/ceca/pos-graduacao/agronomia/arquivos-dissertacoes-1/Maria%20Quiteria%20Cardoso%20dos%20Santos.pdf> 23 ago 2012.

Silva, F.A.S.; Azevedo, C.A.V. Programa computacional Assistat para o sistema operacional Windows Versão 7.6 beta – Disponível em <http://www.assistat.com>. Acesso em: 10/12/2011.

Silva, L.E.R. Enraizamento de estacas de inhame (Dioscorea spp.). Rio Largo-AL: Universidade Federal de Alagoas, 2012. 40p. (Trabalho de conclusão de curso).

Taiz, L.; Zeiger, E. Fisiologia vegetal. Porto Alegre: Artmed. 2004. 820p.

Wilson, J. E. Recent developments in the propagation of yam (Dioscorea spp.). Yams: Ignames (Miège, J. and Lyonga, S. N., eds), pp. 55-59. Oxford: Oxford University Press, 1982. 411 p.

Publicado

08/08/2013

Edição

Seção

Produção Vegetal