PRODUÇÃO E QUALIDADE DE TRÊS VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR CULTIVADAS NO NORDESTE DE MINAS GERAIS

Autores

  • Mauro Wagner de Oliveira Universidade Federal de Alagoas
  • Vinicius Santos Gomes da Silva Universidade Federal de Alagoas
  • Lígia Sampaio Reis Universidade Federal de Alagoas
  • Daniele Costa de Oliveira Universidade Federal de Alagias
  • José Cléber Tenório da Silva Universidade Federal de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.28998/rca.v12i1.960

Resumo

Estudou-se no ciclo de cana-planta, a área foliar, o estado nutricional, o acúmulo de nutrientes, a qualidade do caldo e a produção de açúcares das variedades de cana-de-açúcar: RB867515, RB92579 e SP791011. O estudo foi conduzido em Serra dos Aimorés, localizada no vale do Mucuri, Nordeste de Minas Gerais. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, com quatro repetições. A avaliação da área foliar e o estado nutricional foram realizados na fase de crescimento máximo da cultura, aos sete meses após o plantio. Aos dezessete meses, quando a cana estava madura foram avaliados a produção de colmos industrializáveis e a qualidade do caldo. O maior índice área foliar foi observado na RB92579, com valor médio de 5,04. Constatou-se diferença varietal quanto aos teores foliares de nutrientes, mas não houve nenhuma variedade com maior teor foliar para todos os elementos. Em relação a qualidade dos colmos e produção de açúcares verificou-se efeito varietal para a produção de açúcar, uma vez que a SP791011 foi cerca de 20% menos produtiva que a RB867515 e RB92579, que não diferiram entre si. Entretanto, devido à rusticidade da SP791011, seu vigor de rebrota e caldo de fácil industrialização, sugeri-se mantê-la entre as variedades cultivadas, mas implementando medidas para melhorar seu estado fitossanitário, uma vez que o raquitismo da soqueira pode estar comprometendo seu potencial produtivo.

Downloads

Publicado

21/05/2015

Edição

Seção

Produção Vegetal