BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR: MUDANÇA OU REPRODUÇÃO?

Autores

  • Marilza PAVEZI Universidade Federal de Alagoas/ Campus do Sertão
  • Ana Clara de Sousa LIMA Universidade Federal de Alagoas/ Campus do Sertão

Resumo

O presente trabalho apresenta uma análise do cenário sociopolítico em que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é aprovada, além de discutir a história da educação brasileira. O objetivo é analisar e compreender, a contribuição da BNCC para a superação das desigualdades educacionais, e consequentemente para mudanças nas estruturas sociais vigentes. Assim, esta pesquisa é de abordagem qualitativa e natureza exploratória, desenvolvendo-se a partir de levantamento bibliográfico, com base na Teoria Social de Pierre Bourdieu (1989), para quem a condição estruturada e estruturante da escola permite que a instituição contribua para a conservação e a reprodução social por meio do seu currículo, ocultando relações de forças estabelecidas nesse processo. Como resultado principal, inferimos que a BNCC não se caracteriza uma ação educacional contra-hegemônica e que a política curricular nacional se apresenta mais como um instrumento de reprodução.

Downloads

Publicado

15/03/2022