Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.
  • O texto está em espaço simples; usa uma fonte de 12-pontos; emprega itálico em vez de sublinhado (exceto em endereços URL); as figuras e tabelas estão inseridas no texto, não no final do documento na forma de anexos.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista e as informações bibliográficas estão corretas e completas.
  • As instruções disponíveis em Assegurando a avaliação pelos pares cega foram seguidas (a identificação do autor ou autora foi removida do texto e das "propriedades do documento")
  • Acompanham a submissão as informações relativas a formação acadêmica, organização e área em que atuam e endereço eletrônico e postal completos da autora e do autor, fonte de financiamento da pesquisa e potencial conflito de interesses.

Diretrizes para Autores

1. A Revista Mundaú aceita para publicação artigos inéditos em Ciências Sociais, que não estejam sendo apresentados simultaneamente em outro periódico. Também são aceitas resenhas de discussão de obras ou temas da área, quando relacionadas ao núcleo temático da respectiva edição.

2. A publicação de trabalhos está condicionada à aprovação por pareceristas e, em sendo o caso, ao cumprimento de suas recomendações. São levados em conta a originalidade do tratamento do tema, a consistência e o rigor da abordagem, sua contribuição para as Ciências Sociais e a linha temática da revista. Os nomes dos pareceristas permanecerão em sigilo, omitindo-se também os nomes dos autores perante os pareceristas.

3. Trabalhos são publicados em português, espanhol, inglês e francês. O tamanho máximo recomendado é de 40 mil caracteres, incluindo espaços. Artigos vêm acompanhados de um resumo de até 150 palavras em português, francês, inglês e espanhol no qual são sintetizados os propósitos, métodos e conclusões do trabalho, e uma lista de 3 a 5 palavras-chave, separadas por ponto e com a primeira inicial em letra maiúscula.

4. Os trabalhos são enviados anonimizados, em texto corrido e sem o uso de recursos sofisticados de formatação através da página da revista. Para envio e acompanhamento é necessário cadastrar-se na área de acesso, fornecer as informações relativas a sua formação acadêmica, organização e área em que atua, endereço postal completo, e, se desejar, indicar até duas publicações recentes mais relevantes.

5. A Revista Mundaú dois modos de submissão: para dossiês temáticos específicos, dentro de prazos previamente definidos, ou como texto avulso. Os textos para dossiês temáticos sãoavaliados em bloco e a decisão é divulgada após o término do prazo de submissão; Os textos avulsos são avaliados em fluxo contínuo e sua aprovação fica condicionada à perspectiva concreta de publicação.

6. Destaques no interior do texto são em itálico. As notas, quando indispensáveis, são de rodapé, curtas e substantivas, numeradas sequencialmente e sem formatação específica.

7. Gráficos, figuras e tabelas são enviados em arquivo à parte, com identificação de programa e versão; não podem ultrapassar as dimensões da página da revista (16,5 x 11,5 cm). A numeração sequencial e o título, bem como a fonte dos dados, vêm inseridos no texto como lugares-tenentes.

8. As notas de referências são inseridas no texto, seguindo o seguintepadrão: (AUTOR, ano, p. xx),  (AUTOR1, ano, p. xx; AUTOR2, ano, xx) ou (AUTOR; AUTOR, ANO). Havendo mais de uma obra do mesmo autor num ano, este vem acompanhado de uma letra sequencial do alfabeto. Exemplo: (AUTOR, 1998a; 1998b).

9. As referências são apresentadas no final do trabalho, listadas em ordem alfabética e sem numeração, segundo a norma NBR 6023. Exemplos:

a) livro: SOBRENOME, Nome. Título em negrito. Edição. Local de publicação: Editora, ano.

Ex.: FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de uma interpretação sociológica. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1987.

b) capítulo: SOBRENOME, Nome. Título do capítulo. In: SOBRENOME, N. (org.). Título do livro em negrito. Edição. Local de publicação: Editora, ano. p. xx-yy.

Ex.: McCARTHY, Thomas. Practical discourse: on the relation of morality to politics. In: CALHOUN, C. (Org.). Habermas and the public sphere. Cambridge: The Mit Press, 1992. p. 51-72.

c) artigo: SOBRENOME, Nome. Título do artigo. Título do periódico em negrito, v. ano-ou-volume, n. número-ou-fascículo, p. xx-yy, ano.

Ex.: BENHABIB, Seyla. O declínio da soberania ou a emergência de normas cosmopolitanas? Repensando a cidadania em tempos voláteis. Civitas, v. 12, n. 1, p. 20-46, 2012.

d) publicações eletrônicas: seguem o padrão acima, segundo seu gênero, acrescido do DOI ou de endereço completo e data da leitura.

DIAS, Bruno. Aprovada a resolução sobre ética em pesquisa nas Ciências Humanas e Sociais. In: Página da Associação Brasileira de Saúde Coletiva. 15 de abril de 2016. Disponível em: https://www.abrasco.org.br/site/noticias/formacao-e-educacao/aprovada-a-resolucao-sobre-etica-em-pesquisa-nas-chs/17194/. Acesso em: janeiro de 2017.

10. Toda a literatura deve ser submetida à verificação da existência de DOI em http://www.crossref.org/SimpleTextQuery/

11. Havendo mais de um autor, os editores serão informados qual a contribuição que cada um deu ao texto, da pesquisa à redação final.

12. A autora ou o autor informa, junto com sua identificação, fonte de financiamento da pesquisa e potenciais conflitos de interesse.

13. O envio espontâneo de artigos e a posterior aceitação para publicação implica, automaticamente, a cessão dos direitos da primeira publicação para a Revista Mundaú. Os direitos autorais permanecem com o autor. Eventual reprodução posterior, por qualquer meio, poderá ser feita somente mediante entendimento prévio entre a Revista e o autor e com a devida citação da fonte.

14. Os conceitos emitidos nos trabalhos são de responsabilidade exclusiva dos autores, não refletindo necessariamente a opinião da Comissão Editorial e do Conselho Editorial.

 

Diretrizes para elaboração de resenhas

 

1. As resenhas deverão ter em torno de 3 mil palavras.

 

2. Os livros resenhados devem ter relação com o escopo da revista, de preferência, publicados nos últimos cinco anos. Aconselha-se aos autores que consultem a lista de livros de interesse da revista para a resenha.

 

3. As resenhas podem conter:

  • Síntese do assunto tratado;
  • Informações sobre a/o/s autor/es do livro;
  • Inserção e posição do trabalho nas discussões contemporâneas sobre o tema;
  • Perspectivas críticas sobre o trabalho (pontos positivos e negativos, aspectos que poderiam ser mais explorados, aspectos inovadores e importantes do trabalho).

 

4. O/a autor/a da resenha deve preencher os Metadados da submissão no sistema.

 

Diretrizes para submissão de trabalhos no encarte visual

  1. São aceitos para publicação no Encarte Visual ensaios produzidos a partir de diferentes técnicas: fotografia, desenhos, ilustrações, frames de vídeos, entre outros, desde que inseridos no âmbito de uma pesquisa, projeto visual ou instalação de cunho antropológico;

 

  1. Os ensaios devem ter um texto de apresentação, com uma reflexão sobre a utilização da linguagem visual, contendo no máximo 1000 palavras e as seguintes informações: Título / Autor / Filiação institucional

 

  1. Serão aceitos no mínimo 6 e no máximo  18 imagens;

 

  1. As imagens devem ser enviadas identificadas e numeradas segundo a ordem de apresentação ou  acompanhadas de um layout.

Artigos fluxo contínuo

Fluxo contínuo

Espaço aberto

Debates, ensaios e reflexões de pesquisa.

Encarte Visual

Diretrizes para submissão de trabalhos no encarte visual

  1. São aceitos para publicação no Encarte Visual ensaios produzidos a partir de diferentes técnicas: fotografia, desenhos, ilustrações, frames de vídeos, entre outros, desde que inseridos no âmbito de uma pesquisa, projeto visual ou instalação de cunho antropológico;

 

  1. Os ensaios devem ter um texto de apresentação, com uma reflexão sobre a utilização da linguagem visual, contendo no máximo 1000 palavras e as seguintes informações: Título / Autor / Filiação institucional

 

  1. Serão aceitos no mínimo 6 e no máximo  18 imagens;

 

  1. As imagens devem ser enviadas identificadas e numeradas segundo a ordem de apresentação ou  acompanhadas de um layout.

Antropologia da Juventude

Organizadores: João Bittencourt (PPGAS/PPGS - UFAL) e   Alexandre Barbosa Pereira (PPGCS - UNIFESP)

Inicio da submissões 14/08/20

Término das submissões: 30/11/20

O dossiê antropologia da juventude busca reunir trabalhos das mais diferentes vertentes, das discussões teóricas às abordagens empíricas, especialmente etnográficas, com destaque para: 1) As práticas culturais juvenis – englobando expressões artísticas, de lazer ou políticas; 2) As juventudes nos contextos urbanos, rurais e institucionais – apresentando mobilizações, espaços de encontro e formas juvenis de habitar os lugares onde se vive; 3) Abordagens interseccionais da juventude – produzindo diálogos com questões como raça, gênero, sexualidade, classe social, territorialidade, corporeidade, religiosidade, entre outras possibilidades.

As fases da vida e os ritos de passagem sempre foram temas importantes na história da antropologia. Por esse motivo, propomos este dossiê com o objetivo de valorizar o olhar específico do saber antropológico para a categoria juventude, apreendendo-a, simultaneamente, como conceito e experiência vivida. Assim, se podemos afirmar que certa ideia de juventude foi inventada no pós-guerra, cabe também reconhecermos que essa ideia agencia relações e mudanças nos modos de ser e estar no mundo.  Da mesma forma como os próprios sujeitos considerados jovens modificam os sentidos dessa categoria que os nomeia, por meio de suas mais diferentes práticas e ações políticas. O que propomos aqui, portanto, é produzir um panorama das múltiplas vivências e representações da juventude no Brasil contemporâneo.

Antropologia do Gesto

Organizadores: Gabriel Luis Bourdin (UNAM) e Siloé Soares de Amorim (UFAL)

Inicio da submissões: 10/01/2021

Término das submissões: 30/06/2021

A investigação do gesto humano tem poucos antecedentes na etnologia e na antropologia sociocultural. A maioria dos estudos dedicados aos gestos expressivos provém da semiologia, semiótica, psiconeurologia das praxias, psicologia, história da arte, teatro e teoria da dança e outras disciplinas relacionadas com as linguagens e expressão não-verbal. As abordagens contemporâneas do fenômeno não podem ignorar sua natureza complexa e a evidente necessidade de abordá-lo com uma visão multidisciplinar. As descrições etnográficas das linguagens gestuais e mesmo do comportamento gestual espontâneo, ou seja, não codificado, é um campo aberto à exploração, que hoje conta com a ferramenta mais adequada: a antropologia visual. O presente volume 11 da Mundaú convida os estudiosos deste processo antropológico primordial, que é o gesto humano, a apresentarem suas contribuições e acolhe as várias perspectivas teóricas, metodológicas, temáticas e técnicas que desenvolveram.

 

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.