AVALIAÇÃO DO USO DE CÁLCIO NA AÇÃO DE AGENTES CLAREADORES SOBRE O ESMALTE DENTAL

Autores

  • Ingrid Torres de Almeida
  • Danrley Kelven Ferreira Cavalcante
  • Liliane Santos Sousa
  • Lucas Nunes de Brito Silva
  • Izadora Quintela Souza de Moraes
  • Natanael Barbosa Santos
  • Larissa Silveira de Mendonça Fragoso

Resumo

Estudos sugerem que as adições de cálcio aos agentes clareadores diminuiriam a redução da microdureza do esmalte dental. A partir disto, este estudo teve como objetivo avaliar a eficácia do clareamento com peróxido de hidrogênio com e sem cálcio e a deposição do cálcio presente no gel clareador sobre o esmalte. Trinta blocos de esmalte bovino constituíram os grupos: G1- Controle; G2- Gel de Peróxido de hidrogênio 35% sem cálcio; G3- Gel de peróxido de hidrogênio 35% com cálcio. Realizou-se avaliações da cor nos tempos: 1) inicial (baseline); 2) após o manchamento; 3) após clareamento. Avaliou-se a deposição de cálcio antes e após a realização do clareamento em Espectrometria de Energia Dispersiva de Raios-x (EDX). Foi realizada uma análise qualitativa da superfície do esmalte no MEV. Os pHs dos clareadores foram mensurados através de pHmetro. Os dados foram submetidos à ANOVA 1 fator e teste de Tukey (p˂0,05). O G3 mostrou maior variação total de cor quando comparado aos grupos G2 e G1; não houve diferenças estatísticas nas concentrações de cálcio e fósforo antes e após o experimento; alterações morfológicas foram encontradas no G2 e G3 e ausentes no G1; os clareadores Whiteness HP Maxx e Whiteness HP Blue apresentaram valores de pH, respectivamente, 5,77 e 7,79. O grupo G3 apresentou maior potencial clareador. Diante do exposto é possível concluir que a adição de cálcio não teve eficácia na redução de alterações morfológicas e no aumento das concentrações de cálcio na superfície do esmalte.

Downloads

Publicado

25/07/2019