ASPECTOS HISTOLÓGICOS DO CARCINOMA ADENOIDE CÍSTICO

Autores

  • Jamerson da Silva Santos
  • Amanda Rafaela da Silva Amorim
  • Ingrid Raysmin Brandão Ferreira
  • Kelly de Moura Ferreira
  • Marcos Paulo Santana de Oliveira
  • José de Amorim Lisboa Neto
  • Camila Maria Beder Ribeiro Girish Panjwani

Resumo

O carcinoma adenoide cístico (CAC) é uma neoplasia maligna de glândula salivar, oriunda das células do segmento do ducto intercalar ou do complexo terminal tubular, que apresenta uma distribuição igual entre os sexos, e com uma maior frequência em adultos de 40 a 60 anos. Histopatologicamente, pode expressar-se de forma variável, sendo reconhecidos três padrões principais: cribriforme, tubular e sólido. De acordo com o sistema de classificação patológica, as lesões cribriforme e tubular são descritas como grau I ou de baixo grau; lesões com áreas no padrão sólido/cribriforme e sólido/tubular com menos de 30% de elementos sólidos como grau II ou intermediário; e aquelas com distribuição predominantemente de áreas sólidas como grau III ou elevado. Suas características histopatológicas têm sido correlacionadas à sua evolução, no qual o padrão sólido está associado a um pior prognóstico quando comparado aos padrões cribriforme ou tubular. O presente trabalho tem o objetivo de apresentar o relato de caso de uma paciente do sexo feminino, 54 anos, encaminhada para realização de biópsia na glândula submandibular esquerda, com nodulação de evolução há cerca de 1 ano, e em paralelo a isso comparar as características do achado histológico com os dados já existentes na literatura. Para tal, foram utilizados artigos científicos das bases de dados PubMed, publicados entre 2004 e 2015, nas línguas portuguesa e inglesa. Os cortes histológicos revelaram uma neoplasia de origem epitelial glandular salivar constituída por células cuboidais e pseudoductos envolvendo material mucinoso dando conjunto um aspecto cribriforme. Sendo possível determinar o diagnóstico final como sendo de um CAC de padrão cribriforme, com margens livres, baixo grau de malignidade e sem invasão neural. Desta forma, tanto o sucesso do tratamento quanto a sobrevida do paciente estão relacionados ao tipo histológico, à localização, ao tamanho e ao diagnóstico precoce da lesão.

Downloads

Publicado

25/07/2019