REABILITAÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA POR MEIO DE PROTOCOLO DE BRANEMARK SOBRE IMPLANTES ZIGOMÁTICOS

Autores

  • Mayara Cristina Cavalcante de Freitas
  • Wagner Sotero Fragoso
  • Vanio Santos Costa
  • Marcos Aurélio Bomfim da Silva

Resumo

Este trabalho teve o propósito de demonstrar a relevância clínica da confecção de uma prótese total fixa maxilar implanto-suportada, Protocolo Branemark, na reabilitação de maxila atrófica por meio de implantes zigomáticos. Numa maxila completamente desdentada e com rebordo residual extremamente reabsorvido, foram inseridos cinco implantes (Conexão Sistemas de Prótese®), três implantes padrão com hexágono externo e dois implantes zigomáticos, ao longo extensão do arco. Após período de seis meses, foi procedida uma sequência de procedimentos clínicos, os quais envolveram moldagem de transferência, obtenção de modelos e tomada da relação maxilo-mandibular, visando à montagem em articulador semi-ajustável numa correta posição espacial. Uma infraestrutura em cobalto-cromo foi fundida em segmentos e parafusada a abutments. As partes foram reunidas com resina acrílica para o procedimento de soldagem por brasagem. Uma vez soldada, a estrutura foi reinstalada e apresentou aceitável desajuste marginal. A seguir, os dentes artificiais foram montados e aplicada a camada de revestimento estético. Uma vez finalizada as etapas laboratoriais e clínicas, pôde-se concluir que: a prótese total fixa maxilar implanto-suportada proporcionou adequado ajuste de margens e restabeleceu os requisitos estéticos e funcionais, sobretudo repondo a grande quantidade de tecido ósseo ausente e a função fonética.

Downloads

Publicado

04/08/2019