A Área de Ensino ou Área 46 da CAPES e suas relações com a Educação Matemática: um estudo a partir das linhas de pesquisa

Autores

Palavras-chave:

Educação Matemática, Pós-graduação, Área de Ensino, Mestrados, Linhas de pesquisa

Resumo

O objetivo deste estudo é identificar como se apresenta a Educação Matemática nos cursos de mestrado da Área 46 da CAPES, a partir da análise das linhas de pesquisa. A pesquisa natureza quantitativa, do tipo levantamento, analisou 67 documentos coletados da Plataforma Sucupira. As análises, que utilizaram-se de conceitos da estatística descritiva,  revelaram: a pouca informação trazida pelas Áreas de Concentração; que a presença da Educação Matemática se dá em diferentes níveis da estrutura dos cursos; a homogeneidade bastante grande entre as temáticas mais frequentes (‘Formação de Professores’, ‘Ensino e Aprendizagem’ e ‘Tecnologias’); que as diferenças são mais perceptíveis a partir da análise das temáticas ausentes ou, comparativamente, da contribuição que cada temática dá nas diferentes categorias. Também revelaram que os cursos com título ‘Educação Matemática’, ‘modalidade acadêmica’, e ‘aderência total’ identificam-se com as temáticas de ‘Cultura’ e ‘Filosofia, História, Sociologia e Epistemologia’, e que os cursos com título ‘Ensino de Matemática’, ‘modalidade profissional’, e ‘aderência compartilhada’ identificam-se com as temáticas ‘Metodologia’ e ‘Recursos’. Em relação à presença das temáticas na regiões brasileiras, identificou-se que: ‘Formação de Professores’, ‘Ensino e Aprendizagem’ e ‘Tecnologia’, são as temáticas mais frequentes em todas as regiões; a temática ‘Filosofia, História, Sociologia e Epistemologia’’, embora não seja a mais frequente, também é percebida em todas as regiões; na região Nordeste as temáticas menos frequentes são também menos discrepantes entre si, sendo que a região Norte é a que contempla um menor número das temáticas analisadas, sendo seguida pela região Centro-Oeste.

Biografia do Autor

Marceli Behm Goulart, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutora em Educação, professora do Departamento de Matemática e Estatística da Universidade Estadual de Ponta Grossa, membra do Grupo de Pesquisas Políticas Educacionais e Formação de Professores do CNPQ

Maria Tereza Carneiro Soares, Universidade Federal do Paraná

Doutora em Educação, professora do Departamento de Planejamento e Administração Escola da Universidade Federal do Paraná, membra do Grupo de Pesquisa Educação Matemática do CNPQ

Referências

BALDINO, R. R. Ensino da Matemática ou Educação Matemática? Temas & Debates, [s. l.], ano IV, n. 3, p. 51-60, 1991. Disponível em: <http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/td/issue/view/166>. Acesso em: 16 maio 2022.

BICUDO, I. Educação Matemática e Ensino de Matemática. Temas & Debates, [s. l.], ano IV, n. 3, p. 31-42, 1991. Disponível em: <http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/td/issue/view/166>. Acesso em: 16 maio 2022.

BICUDO, M. A. V. Ensino de Matemática e Educação Matemática: algumas considerações sobre seus significados. Bolema, [s. l.], v. 12, n. 13, p. 1-11, 1999.

BORGES-ANDRADE, J. E. Em busca do conceito de linha de pesquisa. RAC, [s. l.], v. 7, n. 2, p. 157-170, abr./jun. 2003. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rac/a/pGtjWsGbZDdJszmCLLctPKc/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em: 05 maio 2022.

BRASIL. Parecer nº 977/65, de 3 de dezembro de 1965, 1965. Disponível em: <https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/parecer-cesu-977-1965-pdf>. Acesso em: 26 jul. 2022.

CAPES. Documento de Área: Ensino, 2016. Disponível em: <https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/DOCUMENTO_AREA_ENSINO_24_MAIO.pdf>. Acesso: 02 mar. 2022.

CAPES. Portaria nº 389 de 23 de março de 2017. Dispõe sobre o mestrado e doutorado profissional no âmbito da pós-graduação stricto sensu, 2017. Disponível em: <https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/24032017-portaria-no-389-de-23-de-marco-de-2017-pdf>. Acesso em: 25 abr. 2022.

CAPES. Tutorial Sucupira – Coleta, s.d. Disponível em: <https://sites.google.com/view/tutorialsucupira/programa/linhas-de-pesquisa>. Acesso em: 8 maio 2022.

CAMPOS, M. M.; FÁVERO, O. A pesquisa em educação no Brasil. Cadernos de Pesquisa, [s. l.], n. 88, p. 5-17, 1994. Disponível em: <https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6208713> . Acesso em: 12 out. 2022.

CARVALHO, J. B. P. de. O que é Educação Matemática? Temas & Debates, [s. l.], ano IV, n. 3, p. 17-26, 1991. Disponível em: <http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/td/issue/view/166>. Acesso em: 16 maio 2022.

CURY, C. R. J. Quadragésimo ano do parecer CFE n. 977/65. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 30, p. 7-20, set./dez. 2005.

DIAS, A. M. I.; THERRIEN, J.; FARIAS, I. M. S. As áreas da educação e de ensino na Capes: identidade, tensões e diálogos. Revista Educação e Emancipação, São Luís, v. 10, n. 1, jan./abr. 2017, Disponível em: <https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/6974/4395>. Acesso em: 17 out. 2022.

FÁVERO, O. Pós-graduação em Educação: avaliação e perspectivas. R. Educ. Públ. Cuiabá, v. 18, n. 37. p. 311-327, maio/ ago. 2009. Disponível em: <https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/482>. Acesso em: 11 out. 2022.

FERES, G. G.; NARDI, R. A pós-graduação em Ensino de Ciências no Brasil: contribuições teórico-analíticas sobre o panorama histórico e o perfil dos cursos. In: NARDI, R.; GONÇALVES, T. V. O. A Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática no Brasil: memórias, programas e consolidação da pesquisa na área. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2014. p. 205-266.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em Educação Matemática. Campinas: Autores Associados, 2006.

FISCHER, T. Mestrado profissional como prática acadêmica. Revista Brasileira de Pós-Graduação, [s. l.], v. 2, n. 4, p. 24-29, jul. 2005. p. 24-29. Disponível em: <https://rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/74>. Acesso em: 19 abr. 2022.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

FOWLER JR, F. J. Pesquisa de levantamento. Tradução Rafael Padilha Ferreira. Porto Alegre: Editora Penso, 2011. 232 p.

GAB/CAPES. Portaria CAPES/MEC nº 9 de 23 de janeiro de 2008. Disponível em: <https://www.semesp.org.br/legislacao/migrado3184/>. Acesso em: 8 out. 2022.

GAB/CAPES. Portaria nº 83 de 6 de junho de 2011. Cria 4 áreas de Avaliação: Biodiversidade, Ciências Ambientais, Ensino e Nutrição. Disponível em: <https://www.gov.br/capes/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/avaliacao/sobre-a-avaliacao/avaliacao-o-que-e/sobre-a-avaliacao-conceitos-processos-e-normas/legislacao-especifica>. Acesso em: 06 set. 2022.

GAMBOA, S. S. As condições da produção científica em Educação: do modelo de áreas de concentração aos desafios das linhas de pesquisa. Educação Temática Digital, Campinas, v. 4, n. 2, p. 79-93, jun. 2003. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/624/0>. Acesso em: 13 out. 2022.

GOULART, M. B.; SOARES, M. T. C. Educação Matemática e a pós-graduação: uma análise dos cursos de mestrado da Área 46. In: Encontro Paranaense de Educação Matemática, 16, 2022. Foz do Iguaçu. Anais [...]. Foz do Iguaçu, 2022. (no prelo).

MARTINS, G. de A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MEGID NETO, J. Origens e desenvolvimento do campo de pesquisa em educação em ciências no Brasil. In: NARDI, R., GONÇALVES, T. V. (org.). A pós-graduação em ensino de ciências e matemática no Brasil: origens, características, programas e consolidação da pesquisa na área. [S. l.]: Livraria da Física, 2014. p. 98-139.

MENANDRO, P. R. M. Linha de Pesquisa: possibilidades de definição e tipos de utilização do conceito. RAC, [s. l.], v. 7, n. 2, p. 177-182, abr./jun. 2003. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rac/a/MjM8k6WKQgRm4dHnNktrnyg/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em: 5 maio 2022.

MENANDRO, P. R. M. RAC, Curitiba, v. 14, n. 2, mar./abr. 2010, p. 367-371. Disponível em: <https://rac.anpad.org.br/index.php/rac/article/view/746/743>. Acesso em: 20 abr. 2022.

MIGUEL, A. et al. A educação matemática: breve histórico, ações implementadas e questões sobre sua disciplinarização. Revista Brasileira de Educação, [s. l.], n. 27, p. 70-93, dez. 2004. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rbedu/a/qHNhYPrDsjNSbGwhWHKPywt/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em: 16 maio 2022.

MOREIRA, M. A. A nova área de Ensino de Ciências e Matemática na CAPES e o mestrado em ensino (Editorial). Revista Brasileira de Pesquisa em Ensino de Ciências, [s. l.], v. 1 n. 2, maio/ago. 2001. Disponível em: <https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4166/2731>. Acesso em: 12 out. 2022.

NARDI, R. A pesquisa em Ensino de Ciências e Matemática no Brasil. Ciência & Educação, Bauru, v. 21, n. 2, p. i-v, abr./jun. 2015. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/ciedu/a/LPyGt4zhrDnjqSj9jqSmfXr/?lang=pt&format=pdf>. Acesso em: 22 out. 2021.

ORTEGA, F. S.; BRANDÃO, C. da F. A história da pós-graduação no Brasil e a construção do espaço acadêmico científico da educação. Educação em Foco, [s. l.], v. 23, n. 39, p. 249-269, jan./abr. 2020. Disponível em: <https://revista.uemg.br/index.php/educacaoemfoco/article/view/3577>. Acesso em: 29 set. 2022.

PALACIOS, E. M. G. et al. Ciencia, Tecnologia y Sociedade: uma aproximación conceptual. [S. l.]: Organização de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura, 2001.

RAMOS, C. R.; SILVA, J. A. da. Emergência da área de ensino de Ciências e Matemática da CAPES enquanto comunidade científica: um estudo documental. Investigações em Ensino de Ciências, [s. l.], v. 19, n. 2, p. 363-380, 2014. Disponível em: <https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/viewFile/84/59>. Acesso em: 25 abr. 2022.

SALDAÑA, J. The coding manual for qualitative researchers. London: Sage, 2013.

SANTOS, A. L. A pós-graduação em Educação e o tratamento do tema política educacional: uma análise da produção do conhecimento no Nordeste do Brasil: UFE – Centro de Educação /PE, 271 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação UFPE – PE, Pernambuco, 2008. Disponível em: <https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3993>. Acesso em: 1 out. 2022.

SANTOS, C. M. dos. Tradições e contradições da pós-graduação no Brasil. Educ. Soc., Campinas, v. 24, n. 83, p. 627-641, ago. 2003. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/es/a/pXxfJjdHPRrpRbZvCHKLfsp/>. Acesso em: 01 out. 2022.

SOUZA, R. F. Áreas do Conhecimento. DataGramaZero, [s. l.], v. 5, n. 2, abr. 2004. Disponível em: <https://ridi.ibict.br/bitstream/123456789/109/1/RosaliDatagramazero2004.pdf>. Acesso em: 15 out. 2022.

SOUZA, R. F. Organização e representação de áreas do conhecimento em Ciências e Tecnologia: princípios de agregação em grandes áreas segundo diferentes contextos de produção e uso de informação. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, n. esp., p. 27-41, 1º sem. 2006. Disponível em: <https://brapci.inf.br/index.php/res/download/96108>. Acesso em: 15 out. 2022.

VIVEROS, R. S. et al. Por que Ensino e Educação são áreas diferentes de pesquisa no contexto CAPES/Brasil. Indagatio Didactica, [s. l.], v. 12, n. 5, p. 119-137, dez. 2020. Disponível em: <https://proa.ua.pt/index.php/id/article/view/23448>. Acesso em: 17 out. 2022.

Downloads

Publicado

28/11/2022

Como Citar

Behm Goulart, M., & Carneiro Soares, M. T. (2022). A Área de Ensino ou Área 46 da CAPES e suas relações com a Educação Matemática: um estudo a partir das linhas de pesquisa. Revista Diálogos Em Educação Matemática, 1(1), e202201. Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/redemat/article/view/14457