Cultura, racionalidade e valores no estudo do desenvolvimento econômico e seus enlaces com a questão distributiva

Autores

  • Alanna Santos de Oliveira UFU
  • Carlos Alves do Nascimento UFU

DOI:

https://doi.org/10.28998/repd.v13i30.13536

Resumo

O estudo do desenvolvimento econômico frequentemente tem sido abordado a partir de uma ótica distributiva, sobretudo com a ascensão das teorias do crescimento com distribuição de renda pós-keynesianas. Apesar disso, menor atenção é atribuída aos aspectos culturais e valorativos em torno dos quais a questão do desenvolvimento e suas bases distributivistas estão colocadas. Tendo em vista essa lacuna na literatura econômica sobre o tema, este trabalho visa apontar a perspectiva da cultura, da racionalidade e dos valores ao exame do desenvolvimento econômico associado à questão distributiva, inclusive, perpassando a estruturação de classes. Para tanto lança-se mão da pesquisa bibliográfica concentrada, primeiramente, nas obras de Thorstein Veblen, James Duesenberrry e Pierre Bourdieu, e, em seguida, na obra de Celso Furtado, apontando-se, inclusive, como alguns dos autores anteriores fornecem bases teóricas para a elaboração de sua teoria do desenvolvimento e subdesenvolvimento, centrada na noção de cultura.

Referências

BASTOS, C. P.; BRITO, G. Introdução. In: AGARWALA, A. N.; SINGH, S. P. A economia do subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Contraponto; Centro Celso Furtado, 2010.

BOURDIEU, P. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp; Porto Alegre, RS: Zouk, 2007.

DUESENBERRY, J. S. Renta, ahorro y teoria del comportamiento del consumidor. Madri Alianza, 1967.

FURTADO, C. Perspectivas da Economia Brasileira. Rio de Janeiro, ISEB, 1958.

FURTADO, C. Formação Econômica do Brasil. 34ª Edição, Rio de Janeiro: Companhia das Letras, (1959 [2007])

__________. Subdesenvolvimento e estagnação na América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

__________. Teoria e política do desenvolvimento econômico. São Paulo, Cia. Editora Nacional, 1967.

__________. O Mito do Desenvolvimento Econômico. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

__________. Introdução ao desenvolvimento: Enfoque histórico-estrutural. Rio de Janeiro, Cia. Editora Nacional, 1980.

__________. O Capitalismo Global. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

MANTEGA, G. A economia política brasileira. Rio de Janeiro: Polis/Vozes, 1984.

OREIRO, J. L. Lições de história do pensamento econômico: teorias alternativas de crescimento e distribuição de renda. Texto escrito como apoio de leitura para o curso de História do Pensamento Econômico da Faculdade de Economia e Finanças do IBMEC, 2000.

_________. Economia pós-keynesiana: origem, programa de pesquisa, questões resolvidas e desenvolvimentos futuros. Ensaios FEE, v. 32, n. 2, p. 283-312, 2011.

MACCORMICK, K. Duesenberry and Veblen: The demonstration effect revisited. Jornal of Economic Issues, v.17, p.1125-1129, 1983.

RODRÍGUEZ, Octavio. O estruturalismo latino-americano. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

TRIGG, A.B. Veblen, Bourdieu, and conspicuous consumption. Journal of Economic Issues, v. 35, p. 99-115, 2001.

VEBLEN, T. The theory of the leisure class. Oxford University Press, USA, 2009.

Downloads

Publicado

24/07/2022