Miragem dissipada ao vento: efeitos de uma análise microhistórica do turismo

Autores

  • Esdras Matheus Matias Universidade Federal da Paraíba - UFPB Centro de Comunicação, Turismo e Artes - CCTA Departamento de Turismo e Hotelaria - DTH https://orcid.org/0000-0002-2178-7100
  • Aline Vieira de Carvalho Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais da Unicamp (NEPAM/Unicamp) e da Pós-Graduação em História (IFCH/Unicamp). https://orcid.org/0000-0001-7380-5940
  • Flávia Consoni Programa de Pós-graduação em Política Científica e Tecnológica do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). https://orcid.org/0000-0002-2096-1357
  • Aleix Altimiras-Martin Departamento de Política Científica e Tecnológica do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). https://orcid.org/0000-0002-1230-3792

Palavras-chave:

Turismo, Micro-História, São Miguel do Gostoso

Resumo

Este estudo tratou de entender as transformações socioeconômicas advindas do turismo no cotidiano dos nativos do município norte riograndense de São Miguel do Gostoso. Esta pesquisa é a última de uma trilogia que alinhou a Teoria da Micro-História e o Turismo, pautada nas microrrelações entre seus habitantes e o fluxo turístico. A investigação se deu por meio de imersões de campo realizadas entre 2015 e 2017. Usou-se como recorte metodológico a seleção de dois grupos de entrevistados: um composto por sujeitos que exerciam cargos como secretários municipais, prefeita e vice-prefeito.  O segundo grupo representado pelos donos das empresas de esportes náuticos, atividade esta que proporcionou a alavancagem do turismo na cidade a partir da metade dos anos 2000. Os depoimentos revelaram que: especulação imobiliária, poder aquisitivo local, surgimento de novos empreendimentos, supervalorização dos preços de mercadorias, hospedagens e passeios; projeção nacional e empregabilidade sazonal, apresentam uma cidade que cede ao apelo turístico e se confronta com ele cotidianamente. Por fim, conclui-se que as revelações dos depoimentos sobre melhoria das condições de vida, não refletem em totalidade outras dimensões do bem-estar social de São Miguel do Gostoso e não devem ser aceitos como exclusivos ou únicos ao enxergar um município. Além disso, a pesquisa revelou transformações socioeconômicas consideráveis atribuídas ao turismo, mais fortes que a emancipação municipal ou a energia eólica.

Biografia do Autor

Esdras Matheus Matias, Universidade Federal da Paraíba - UFPB Centro de Comunicação, Turismo e Artes - CCTA Departamento de Turismo e Hotelaria - DTH

Doutorado em Ambiente & Sociedade pela Universidade Estadual de Campinas ( Unicamp, 2017). Chefe do Departamento de Turismo e Hotelaria da UFPB. Professor e pesquisador do curso de Turismo da Universidade Federal da Paraíba. Integrante dos grupos de Pesquisa: Método do Caso (UFRN) e Geografia, Turismo e Patrimônio Cultural( Unicamp).

Aline Vieira de Carvalho, Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais da Unicamp (NEPAM/Unicamp) e da Pós-Graduação em História (IFCH/Unicamp).

Pesquisadora e professora no Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais da Unicamp (NEPAM/Unicamp) e da Pós-Graduação em História (IFCH/Unicamp). Responsável pelo Laboratório de Arqueologia Pública Paulo Duarte (LAP/Nepam) e corresponsável pelo Laboratório Interdisciplinar do Patrimônio, Comunidades e Ambiente (LIPAC/Nepam) Doutorado (Nepam, IFCH/Unicamp,2009) e mestrado em História Cultural (História/IFCH/ Unicamp,2005).

Flávia Consoni, Programa de Pós-graduação em Política Científica e Tecnológica do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Professora e pesquisadora do Programa de Pós-graduação em Política Científica e Tecnológica do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Coordenadora do LEVE (Laboratório de Estudos do Veículo Elétrico). Graduação em Ciências Sociais pela UFSCar (1995), mestrado (1998) e doutorado (2004) em Política Científica e Tecnológica pela Unicamp. Pós-doutorado no Departamento de Sociologia da Universidade de São Paulo (USP,2006). Endereço: Unicamp. Instituto de Geociências (IGE). DPCT. Rua Carlos Gomes, 250. Cidade Universitária. Cep: 13083855 - Campinas, SP

Aleix Altimiras-Martin, Departamento de Política Científica e Tecnológica do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Professor e pesquisador do Departamento de Política Científica e Tecnológica do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Graduação em Engenharia Industrial (2002). Mestrado em Engenharia Mecânica (Ecole Centrale Paris, França, 2006). Mestrado em Engenharia Industrial (Universitát Politécnica de Catalunya, Espanha, 2006). Doutorado em Economia Agrária (University of Cambridge, Inglaterra, 2015). Endereço: Unicamp. Instituto de Geociências. Departamento de Política Científica e Tecnológica (DPCT). Rua Carlos Gomes, 250. Cidade Universitária. Cep: 13083855 - Campinas, SP.

Downloads

Publicado

05/11/2020

Edição

Seção

Artigos