EXPERIÊNCIAS E REFLEXÕES SOBRE ESPAÇOS URBANOS DE PATRIMÔNIO E ARTE PÚBLICA A PARTIR DA DIMENSÃO SOCIOTÉCNICA

Autores

  • Carmen Lucia Souza da Silva Universidade Federal do Pará, Brasil

Palavras-chave:

Arte Pública. Dimensão Sociotécnica. Monumentos Urbanos. Patrimônio.

Resumo

Este artigo para além de apresentar a experiência, na Internet, do Projeto Transcodificações Urbanas, de virtualização dos monumentos, realizado em Belém do Pará, propõe uma reflexão teórica sobre como uma ordem sociotécnica vem efetivamente mudando não apenas formas de interação e produção, mas especialmente se voltam a vivências em espaços efetivos urbanos, permeados por patrimônios relacionados à Arte Pública, compreendidos como espaços sob afetação do processo de musealização.  Problematiza os usos sociais do patrimônio e os meios digitais e virtuais, seja como forma de socializar informação e conhecimento ou de consolidação de um espaço de acesso à memória e de vivência do patrimônio cultural presente nas cidades. Esta abordagem teórico-reflexiva fundamenta-se, entre outros, em autores como Canclini (2006) quando trata dos monumentos históricos na América Latina, Levy (1999) e sua abordagem acerca da desterritorialização, Castells (2003) e Fausto Neto (2008) ao discutirem acerca da dimensão sociotécnica.

Biografia do Autor

Carmen Lucia Souza da Silva, Universidade Federal do Pará, Brasil

Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Brasil. Professora da Universidade Federal do Pará, Brasil.

E-mail: carmensilva@ufpa.br

Downloads

Publicado

18/10/2014