Reflexões sobre museus, turismo e o compromisso público da Arqueologia

Autores

  • Manuelina Maria Duarte Cândido Universidade Federal de Goiás
  • Camila A. de Moraes Wichers

Palavras-chave:

Museus. Turismo. Sociedade. Arqueologia. Patrimônio Cultural.

Resumo

Este trabalho discute questões com as quais nos defrontamos na prática de construção do Museu do Alto Sertão da Bahia (MASB). Por um lado, esta experiência é marcada pelas inspirações advindas de movimentos e tendências, como a Museologia Social ou Sociomuseologia, que colocam em segundo plano aspectos da institucionalização dos museus, da constituição de acervos e outras demandas dos museus tradicionais, enfatizando o trinômio território-patrimônio-sociedade. Por outro lado, o patrimônio arqueológico, Bem da União no Brasil, traz desafios específicos. O compromisso público com o patrimônio arqueológico impõe a salvaguarda para as futuras gerações, limitando o discurso de uma “fluidez museal” defendida pela Sociomuseologia e suas congêneres, em que o museu, criado em torno dos problemas da comunidade, pode ser desarticulado enquanto tal quando tais problemas forem superados. A reflexão acerca da inserção do Turismo nessa complexa tecitura é especialmente instigante e desafiadora, visto que práticas do Turismo Cultural têm sido recorrentemente articuladas aos processos identificados com a Sociomuseologia, assim como evidenciamos esforços crescentes dos museus tradicionais de Arqueologia em inserir-se em circuitos turísticos. No MASB, a relação entre Museu, Turismo e Arqueologia tem se beneficiado desse modelo híbrido, privilegiando a tríade Motivação-Interpretação-Intervenção, e problematizando os conceitos de ambiente, patrimônio natural e patrimônio cultural.

Downloads

Publicado

07/10/2015