Cultura do consumo: da promessa da felicidade ao sofrimento psíquico

Autores

  • Breno Bittencourt Santos

DOI:

https://doi.org/10.28998/lte.2017.n.1.3064

Resumo

A partir da modernidade ocidental, o consumo passa a ocupar o espaço privilegiado de vetor da produção econômica, reprodução cultural e da constituição identitária de indivíduos e grupos sociais. Nesse contexto, os pressupostos da chamada cultura do consumo destacam o consumo como meio de efetivação da liberdade, realização pessoal e felicidade de indivíduos e coletividades. Contrariamente aos argumentos implícitos na cultura do consumo, neste artigo questiona-se em que medida a norma social da exigibilidade pelo consumo, ao contrário da promessa de satisfação das necessidades, de ampliação do bem-estar e da felicidade, pode levar a modalidades de sofrimento psíquico na contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-05-14

Como Citar

SANTOS, Breno Bittencourt. Cultura do consumo: da promessa da felicidade ao sofrimento psíquico. Latitude, Maceió-AL, Brasil, v. 11, n. 1, 2018. DOI: 10.28998/lte.2017.n.1.3064. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/3064. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos