Desenvolvimento e Inovação no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/lte.2017.n.2.3859

Resumo

Este artigo relaciona o debate de desenvolvimento e de inovação econômica desde uma perspectiva sociológica. Analisa os conceitos de desenvolvimento capitalista contemporâneo e da sociedade do conhecimento e da informação, como atual contexto para a inovação. Através de dados provenientes de fontes nacionais e internacionais, são apresentados indicadores de inovação, do mercado de trabalho de profissionais qualificados, de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) e de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). Mostra-se a posição do Brasil e outros países da América Latina, comparados com economias de capitalismo avançado e alguns países asiáticos. Constata-se que os diversos modelos de desenvolvimento, intervencionistas e liberais, não têm superado o hiato em inovação com esses países. A educação, título de pós-graduação e qualificação estão fortemente associadas à renda, mas discriminações alertam para possibilidade de geração de desigualdades no mercado de trabalho. As empresas inovadoras ainda ocupam escassa mão de obra qualificada e investem pouco em P&D. No entanto, tendem a crescer os arranjos institucionais entre governos, empresas e universidades para promover a inovação através de parques tecnológicos e incubadoras, fazendo possível a aplicação de políticas proativas em inovação por parte destes atores.

Referências

ALBUQUERQUE, Eduardo da M. Sistema Nacional de Inovação no Brasil: uma análise introdutória a partir de dados disponíveis sobre a ciência e a tecnologia. Revista de Economia Política, Volume 16, n. 3, (63), p. 56-72, São Paulo, julho-setembro 1996.

ANDREWS, Dan; CRISCUOLO, Chiara. Knowledge-Based Capital, Innovation and Resource Allocation. In: Working papers OECD, 2013.

ANPROTEC. Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores. Estudo de Impacto Econômico. Segmento de Incubadoras de Empresas do Brasil. Brasília, DF : ANPROTEC : SEBRAE, 2016. 26 p.

BOLTANSKI, Luc et CHIAPPELLO, Eve : Le nouvel esprit du capitalisme. Paris, Gallimard, 1999.

BERTOLA, Luis e OCAMPO, José. Desenvolvimento, Vicissitudes e Desigualdade. Uma história econômica da América Latina desde a Independência. BID, Fundação Carolina, 2010.

BOURDIEU, Pierre. [1983] The forms of Capital. In: GRANOVETTER, Mark and SWEDBERG, Richard (org.). The Sociology of Economic Life. Edited by, Westview Press, Cambridge, USA, 2001.

BRESSER-PEREIRA, Luiz C. As Três Interpretações da Dependência. Perspectivas, São Paulo, v. 38, p. 17-48, jul./dez. 2010

CACCIOLATO, José E.; LASTRES, Helena M. M. Sistemas de Inovação e Desenvolvimento. As implicações da política. São Paulo em Perspectiva, v. 19, n. 1, p. 34-45, jan-mar, 2005.

CARDOSO, Fernando H., FALETTO, Enzo. (1970), Dependência e Desenvolvimento na América Latina: Ensaios de Interpretação Sociológica. São Paulo, Editora Afiliada, 1970.

CARDOSO Jr., José C. De volta para o futuro? As fontes de recuperação do emprego formal no Brasil e as condições para sua sustentabilidade temporal. Texto para Discussão nº 1099, IPEA, Brasília, 2007.

CASTELLS, Manuel. “A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura”. Vol. I. A Sociedade em Rede. Edit. Paz e Terra, 1999, São Paulo.

CASTELLS, Manuel & HIMANEN, Pekka. Reconceptualizing Development in the Global Information Age. Oxford University Press, 2014.

CGEE, Centro de Gestão e Estudos Estratégicos. Ciência, Tecnologia e Inovação. “Mestres 2010: Estudo da Demografia de Base Técnico-Científica Brasileira”. CGEE, Brasília, DF, 2012.

CGEE, Centro de Gestão e Estudos Estratégicos. Ciência, Tecnologia e Inovação. “Doutores 2010: Estudo da Demografia de Base Técnico-Científica Brasileira”. CGEE, Brasília, DF, 2010.

COCCO, Giuseppe. “Indicadores de Inovação e Capitalismo Cognitivo”. Em: Bases Conceituais em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação. Implicações para Políticas no Brasil. Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, Brasília, 2010.

ERBER, Fabio S. “Convenções de desenvolvimento no Brasil contemporâneo: um ensaio de economia política”, Em: Textos para a Discussão CEPAL-IPEA, nº 13, Brasília, 2010.

EDQUIST, Charles. The systems of innovation approach and innovation policy: an account of the state of art. DRUID Conference, Denmark, 2001.

ETZKOWITZ, Henry; ZHOU, Chunyan. Hélice Tríplice: inovação e empreendedorismo universidade-indústria-governo. Estudos Avançados, 31 (90), p. 23-48, 2017.

ETZKOWITZ, Henry. The Triple Helix: University-Industry-Government in action. Routledge, London, 2008.

ETZKOWITZ, Henry; MELLO, José M.C. de; ALMEIDA, Mariza. Towards “meta-innovation” in Brazil: The evolution of the incubator and the emergence of a triple helix. In: Research Policy, vol. 34, issue 4, p. 411-424, 2005.

ETZKOWITZ, Henry; LEYDESDORFF, Loet. The Dynamics of Innovation: From National Systems and '‘Mode 2'’ to a Triple Helix of University-Industry-Government Relations. Research Policy, vol. 29, issue 2, p.109-123, 2000.

FONSECA, Pedro. Desenvolvimentismo: a construção de um conceito, Texto para Discussão, IPEA, 2103, Brasília, 2015.

GERMANI, Gino. (1969-1970) Stages of modernization in Latin America. Cultures et dévelopement. Revue Internationale des sciences du développement , II (2), p. 275-313.

GRANOVETTER, Mark. Economic Action and Social Structure: The Problem of Embeddedness. In: GRANOVETTER, Mark; SWEDBERG, Richard (Org.). The sociology of economic life. Second Edition. Westview Press, Colorado, USA, 2001.

IBGE. Pesquisas Nacionais por Amostras Domiciliares. Séries 2009-2012. On-line: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2009/default.shtm

IBGE. Pesquisas de Inovação e Tecnologia (PINTEC), 2011 e 2014. On-line: http://www.pintec.ibge.gov.br/

JENSEN, J. et. al. “Os determinantes dos gastos de P&D no Brasil: uma análise com dados em painel.” Em: Estudos Econômicos, São Paulo, V. 34, N. 4, P. 661-691, Outubro-Dezembro, 2004.

LASTRES, Helena M. M.; CACCIOLATO, José E. Novas Políticas na Era do Conhecimento: o foco em arranjos produtivos e inovativos locais. Em: Revista Parcerias Estratégicas, Nro. 17, Setembro de 2003, Centro de Estudos Estratégicos, Ministério de Ciência e Tecnologia, Brasília, 2003. ISSN 1413-9375.

LUNDVALL, Bengt-Ake. (1992) National systems of innovation: towards a theory of innovation and an interactive learning. Londres, Pinter ed. 1992.

MCTI. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Parques & Incubadoras para o desenvolvimento do Brasil: Estudo de Práticas de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas / Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI ;  Brasília : MCTI, 2015.

MARX, Karl [1859]. Contribuição à Crítica da Economia Política. Editora Expressão Popular, 2 Edição, São Paulo, 2008.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich [1948]. O Manifesto Comunista. Editora Boitempo, São Paulo, 1998.

MAZZUCATO, Mariana. Entrepreneurial State. DEMOS, London, 2011.

MAZZUCATO, Mariana; PENNA, Caetano. O Sistema Brasileiro de Inovação: Uma Proposta de Políticas “Orientadas por Missões”, Temas Estratégicos para o Desenvolvimento do Brasil, n. 1, Brasília DF, CGEE, Março de 2016.

NUN, José. Marginalidad y Exclusión Social. Editora Fondo de Cultura Económica, México, México DF, 1969.

OECD. Organization in Economic Cooperation and Development. Oslo Manual. European Comission, Eurostat, 2005. Acesso on-line 12-10-2017 em: http://www.oecd.org/science/inno/2367580.pdf

OECD. Organization in Economic Cooperation and Development. “Main Science and Technology Indicators”. Vol. 2013/1. Accesso on-line 12/2017 em: http://www.oecd-ilibrary.org/science-and-technology/main-science-and-technology-indicators_2304277x

POLANYI, Karl. [1944] A Grande Transformação. As origens da nossa época Editora Compus Ltda. Rio de Janeiro, 2000.

PREBISCH, Raul. Desarrollo económico, planeamiento y cooperación internacional. Santiago, CEPAL, 1961. 94 p. (E/CN.12/582/Rev. 1. Junio de 1961).

RAMELLA, Francesco. Sociology of Economic Innovation. In: Routledge Advances in Sociology, Edit. Routledge, USA, 2016.

RANGA, Marina e ETZKOWITZ, Henry. Triple Helix Systems: An Analytical Framework for Innovation Policy and Practice in the Knowledge Society. In: Industry and Higher Education, Volume: 27 issue: 237-262, August 1, 2013

SEBRAE. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. “Sobrevivência das empresas no Brasil”. Coleção Estudos e Pesquisas, Gestão Estratégica Orientada para Resultados (GEOR), Brasília, DF, 2013.

SCHUMPETER, Alfred [1912]. Teoria do Desenvolvimento Econômico. Editora Nova Cultural Ltda., São Paulo, 1997.

SCHWARTZMAN, Simon. “Os desafios da educação no Brasil”. Em: Os desafios da educação no Brasil. Orgs. Colin Brock e Simon Schwartzman, Edit. Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 2005.

WALLERSTEIN, Immanuel. A reestruturação capitalista e o sistema mundial. Perspectivas, 20 (21), p. 249-267, São Paulo, 1998.

WEBER, Max. Economia e Sociedade. Volume II. 5ª Edição, Editora UNB, Brasília, DF, Brasil, 2009.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. Edit. Companhia das Letras, São Paulo, 2004.

Downloads

Publicado

12/07/2018

Como Citar

Rivero, P. S. (2018). Desenvolvimento e Inovação no Brasil. Latitude, 11(2). https://doi.org/10.28998/lte.2017.n.2.3859

Edição

Seção

Dossiê "Processos sociopolíticos e desenvolvimento econômico no Brasil"