A performatividade do preâmbulo da carta da Organização das Nações Unidas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/revistaleitura.v1i73.13342

Resumo

Este trabalho tem por objetivo realizar um estudo da performatividade do preâmbulo da Carta da Organização das Nações Unidas dentro da perspectiva da enunciação a partir de John Austin, Oswald Ducrot e Eduardo Guimarães. Investigamos de que forma os sentidos são constituídos, observando conceitos de temporalidade e da cena enunciativa na performatividade do texto, ambos explorados por Guimarães, no espaço político-enunciativo, bem como a maneira pela qual as finalidades do texto são significadas e formuladas. Constatamos que a performatividade do preâmbulo não é única, se sustentando por enunciados coordenados que, assim como a cena enunciativa, podem ser constituídas de lugares sociais de sujeitos diversos.

Downloads

Publicado

30/08/2022

Como Citar

FERNANDES, A. T. A performatividade do preâmbulo da carta da Organização das Nações Unidas. Leitura, [S. l.], v. 1, n. 73, p. 107–122, 2022. DOI: 10.28998/revistaleitura.v1i73.13342. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/revistaleitura/article/view/13342. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos