Edições anteriores

  • Estudos Linguísticos e Literários
    n. 70 (2021)

    Organizadores:
    Débora Massmann (UFAL)
    Sóstenes Ericson (UFAL)

  • Dossiê Especial "Discurso, gênero, resistência"
    n. 69 (2021)

    Organizadoras

    Mónica G. Zoppi Fontana (UNICAMP)

    Ana Josefina Ferrari (UFPR)

    Maria Virgínia Borges Amaral (UFAL)

    Sóstenes Ericson (UFAL)

  • Estudos Linguísticos e Literários
    n. 68 (2021)

    Organizadores:
    Débora Massmann (UFAL)
    Sóstenes Ericson (UFAL)

  • Dossiê Especial "Ensino e Aprendizagem na Perspectiva da Linguística Aplicada"
    n. 67 (2020)

    Organizadoras: 

    Rita de Cássia Souto Maior (UFAL)

    Denise Lino de Araújo (UFCG)

    Luciane Sturm (UPF)

    MariaTeresa Tedesco (UERJ)

  • Estudos Linguísticos e Literários
    n. 66 (2020)

    Organizadores:
    Débora Massmann (UFAL)
    Sóstenes Ericson (UFAL)

  • Novo retorno a Saussure
    n. 62 (2019)

    Assistimos atualmente a mais um retorno a Saussure. Apesar da diversidade de perspectivas, os trabalhos que se desenvolvem têm em comum o fato de fornecerem imagens de Saussure consideravelmente distintas daquelas produzidas ao longo do século XX. Esse novo retorno a Saussure, que se inicia com a descoberta de novos manuscritos em 1996, revelam que suas ideias podem ainda desempenhar um importante papel na discussão de problemas contemporâneos da pesquisa linguística. Este número especial representa bem a vitalidade e relevância do tema reunindo 18 artigos de pesquisadores brasileiros, três traduções de trabalhos de renomados pesquisadores estrangeiros, uma resenha e uma entrevista com o presidente do Cercle Ferdinand de Saussure.
  • Estudos linguísticos, literários e formação de professores
    n. 60 (2018)

    Este volume reúne artigos submetidos à Revista Leitura em regime de fluxo contínuo, abarcando estudos linguísticos, estudos literários e reflexões acerca da formação de professores de línguas.
  • Homenagem a Denilda Moura
    n. 59 (2017)

    A professora Denilda Moura, atualmente aposentada, contribuiu imensuravelmente para o desenvolvimento dos estudos linguísticos no Brasil, sendo uma das responsáveis pela divulgação e projeção das pesquisas linguísticas realizadas no nordeste brasileiro em território nacional e internacional. 
  • Línguas de sinais: abordagens teóricas e aplicadas
    n. 58 (2017)

    O foco deste número são as LS em seus aspectos linguísticos, culturais e relativos ao ensino de LS, seja como L1, seja como L2. Em particular, objetiva-se discutir algumas questões fundamentais no que concerne aos estudos em LS:

    1. Como descrever LS? Que aspectos levar em consideração?

    2. Como ensinar e produzir literatura surda?

    3. Quais metodologias são mais adequadas ao ensino de LS, seja como L1, seja como L2? 

  • Poesia e História
    v. 2 n. 57 (2016)

    A história em perspectiva: sua representação em textos poéticos.  Com esse objetivo, pretende-se examinar as conivências que, desde a antiguidade clássica, se teceram entre poesia e história, num entrecruzamento que não se reduz a uma visão historicista-documental, mas se constrói num entrelaçamento dialético entre tempo e história (Bosi), entre história e construção literária. Desse modo, intertextos históricos podem ser vistos em seus vários redimensionamentos: poesia, história e memória; poesia, história e cotidianidade; poesia, história e cidade; poesia, história e paisagem. A complexidade de processos históricos constitui, para os estudos literários, um riquíssimo veio analítico de elaborações críticas.
  • Línguas de Sinais: abordagens teóricas e aplicadas
    v. 1 n. 57 (2016)

    O foco deste número são as LS em seus aspectos linguísticos, culturais e relativos ao ensino de LS, seja como L1, seja como L2. Em particular, objetiva-se discutir algumas questões fundamentais no que concerne aos estudos em LS: 1. Como descrever LS? Que aspectos levar em consideração? 2. Como ensinar e produzir literatura surda? 3. Quais metodologias são mais adequadas ao ensino de LS, seja como L1, seja como L2?
  • Capa

    Número regular
    n. 56 (2015)

  • Estudos em perspectivas dialógicas
    n. 55 (2015)

    Situando-nos no terreno da inter/trans/multidisciplinaridade, tão característico dos estudos em Linguística Aplicada, apresentamos, neste número, contribuições de autores e autoras que constituem seus trabalhos em campos de discussões que se entrelaçam pelo diálogo estabelecido com categorias do círculo bakhtiniano.

  • Leitura, Literatura e Outras Artes
    n. 54 (2014)

    Este número da Revista Leitura, do PPGLL/Ufal, traz artigos que abordam: 1. as relações entre literatura e outras artes e 2. questões relativas à recepção do texto literário. Cinema e literatura, canção e poema, ficcionalização das imagens do leitor, do autor, da escrita, releituras irônicas de clássicos, em prosa e em verso, esses são alguns dos temas e questões abordados pelos textos que compõem este número, que conta com a contribuição de pesquisadores/as de diversas instituições do País.

  • Formação de Professores de Língua Estrangeira
    n. 53 (2014)

    DOI da edição completa: 10.28998/2317-9945.2014v1n53

     

    O número 53 da Revista Leitura do PPGLL,
    da UFAL, primeiro de 2014, cujo tema é “Formação de
    professores de língua estrangeira”, dá continuidade às
    publicações do periódico. O número em tela contempla
    a área de concentração em Linguística e está focado na
    linha Linguística Aplicada, delimitando assim o espaço de
    uma das linhas de pesquisa do Programa.

  • Fonologia e gramática
    n. 46 (2010)

    O número 46 de Leitura. Revista do Programa de Pós-graduação em  Letras  e  Linguística  da  UFAL, que ora vem a público, cobre um campo de estudos da linguística que, na tradição das nossas universidades, mais especifcamente desta universidade, não tem se mostrado muito atraente, aquela parte da língua a que consideramos a expressão, em oposição ao conteúdo, ou seja, a parte do signifcante.  Por  isso,  tomo  emprestado  um  trecho  do artigo da Professora Maria Helena Mira Mateus, julgando que assim se fará melhor a apresentação deste número.

     

    Falar das unidades mínimas da língua nem sempre desperta o interesse (e muito menos a paixão) que sinto por estes estudos. Espero, no entanto, que o tema que aqui desenvolvo tenha pelo menos um pouco do encanto que tem para mim o estudo dos sons do português, sobretudo quando proponho aplicá-lo ao nível oral da língua. Assim, chamei a mim a agradável tarefa de tratar os sons da fala e dos sons da  língua, ou  seja, a  fonética e a fonologia. Tentarei de seguida apresentar alguns argumentos em favor da contribuição destas áreas da linguística para a aprendizagem do português.

    (Maria Helena Mira Mateus).

     

    Este número traz um conjunto de artigos que representam um pouco o que se vem fazendo na área dos estudos dos sons nas nossas universidades e os interesses e objetivos que podem ter esses estudos. Vai-se desde a descrição  pura  e  simples  de  um  fenômeno  linguístico, ainda  no  nível  fonético,  passando  pela  discussão  de abordagens  teóricas,  trazendo  evidências  para  sustentar novas  tendências  de  estudos,  propondo  aplicação  desse conhecimento, às vezes tão árduo de ser adquirido, pelo menos aparentemente, ao ensino de língua portuguesa, à aquisição da escrita.

    Novamente, aproprio-me, em certa medida, das descrições que os próprios autores fazem dos seus esforços e apresento os artigos que a Revista Leitura coloca à disposição dos leitores, sejam estes estudiosos dos sons das línguas naturais ou não.

    Na linha da aplicação ao ensino, Maria Helena Mira Mateus, grande estudiosa de Fonologia e Gramática, enfatiza a importância dos estudos de fonética e fonologia para o ensino e aponta os aspectos mais relevantes da  fonética  e  da  fonologia  do  português  quer  para  a aprendizagem  da  ortografa,  quer  para  a  produção  e compreensão da  língua  falada, quer para a utilização da prosódia apropriada às diversas circunstâncias do discurso oral. Raquel Meister Ko. Freitag parte da Fonologia de Usos,  utilizando  os  pressupostos  da  sociolinguística e aborda a realização da lateral palatal [ʎ] e suas variantes [l], [lj]  e  [y]  e os  correspondentes  grafêmicos  “lh”,  “l”  e “i” no universo de alunos do primeiro ciclo da educação básica, procurando mostrar uma relação entre frequência de uso e aquisição de escrita, enquanto Cristiano Egger Veçossi e Giovana Ferreira Gonçalves analisam dados de produções escritas de alunos de 8ª série de uma escola pública e procuram mostrar que os casos de hipo e hiperssegmentações na escrita desses alunos podem ser infuenciados  não  apenas  por  fatores  da  oralidade mas também por fatores concernentes às convenções próprias da escrita.

    Buscando  evidências  empíricas  para  novas abordagens teóricas, Thaïs Cristófaro Silva e Carlo Sandro de Oliveira Campos discutem casos de vogais médias com timbre intermediário entre fechado e aberto que ocorreram em casos de generalização fonológica em formas verbais do português brasileiro, explorando uma nova ideia para o estudo dos sons, a generalização fonológica baseada na frequência,  conforme  os  pressupostos  da  Fonologia  de Usos.   Giselly  de Oliveira  Lima  apresenta  os  processos fonológicos que estão diretamente envolvidos com a síncope  nas  proparoxítonas  no  Sudoeste  Goiano,  como ressilabação, assimilação e reestruturação dos pés métricos, avaliando se os processos fonológicos, provocados pela síncope da  vogal  postônica,  podem  ser  explicados pelos modelos métricos  de  Selkirk  (1982),  para  a  sílaba,  e  de Hayes (1995) para o acento.

    Discutindo  o  poder  explanatório  de  uma  teoria, Giovana Ferreira Gonçalves e Felipe Flores Kupske lidam com o fenômeno da Opacidade fonológica e buscam demonstrar que a teoria da otimidade não é capaz de formalizar  todos  os  casos  de  opacidade  existentes  nas línguas do mundo, e por  isso   advogam que a opacidade deve ser tratada como uma questão da representação linguística  adotada por  certos modelos de  formalização, defendendo, então, como possibilidade, um modelo multirrepresentacional  de  representação  linguística,  a Teoria de Exemplares.

    No terreno das línguas indígenas, e aventurando-se pela  fonética experimental,  com objetivos diferentes, que vão do léxico ao discurso, apresentamos dois artigos. Miguel Oliveira, Jr. procura investigar se – tal como acontece em diversas línguas amplamente documentadas e analisadas – a prosódia participa na sinalização da estrutura do  discurso  em  Kisêdjê,  uma  língua  nativa brasileira pertencente ao grupo  Jê. Diogo Félix Cabral e Januacele Francisca da Costa analisam em Yaathe, outra língua Macro-Jê, o padrão prosódico de palavras que têm a mesma representação segmental, mas que são diferentes em termos de signifcados,  buscando  confrmar  para  o Yaathe o status de língua tonal, conforme já afrmado por outros estudiosos da língua.

    Finalmente, dois artigos fecham o número. Tatiana V. B. Farias e Valeria Muniz levantam uma questão talvez ainda impensada ao tentarem dissociar a pontuação da oralidade, ou seja, das pausas necessárias à produção dos enunciados, e tentarem demonstrar o seu papel na coesão e na coerência dos  textos,  estabelecendo,  desse modo,  um  vínculo  com  a  sintaxe. No único  artigo  que trata  de  gramática especifcamente  falando-se,  em  uma perspectiva histórica, Marco Antonio Martins apresenta uma  descrição  dos  padrões  empíricos  de  ordenação dos  pronomes  clíticos  atestados  em  textos  escritos  por portugueses e por brasileiros nascidos ao longo dos séculos 13 e 20. O objetivo é evidenciar de que modo a  sintaxe da ordem dos clíticos tem sido interpretada por diversos autores como refexo de mudanças sintáticas que estão na origem de diferentes gramáticas do português.

  • O papel da crítica literária hoje
    n. 45 (2010)

    Este número da revista Leitura do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística, da Faculdade de Letras, da Universidade Federal de Alagoas, continua com o propósito de constituir-se em mais um espaço de encontro para o debate na área da crítica literária.

    Para  o  número  45,  organizado  pelo  professor Roberto  Sarmento Lima,  foi  enfatizada  a necessidade de realizar uma discussão sobre as diferentes tendências da crítica literária na atualidade. A perspectiva crítica e a multiplicidade de pontos de vista encontradas neste número demonstram  a possibilidade de  a diversidade formar um todo.

    Sempre preocupados com a relação entre o local e o universal, mais uma vez damos ênfase à produção dos  professores  do  Programa,  para  situarmos  nosso lugar  no  debate,  procurando  contemplar  olhares  de outros lugares.

    Com  este  número  de  Leitura  iniciamos  a possibilidade efetiva de periodização adequada ao ano da publicação. Esperamos, portanto, a concretização do que está  inscrito em seu nome, proporcionando novas leituras e novos debates.

     

  • Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística. 20 anos
    n. 43-44 (2009)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Ensino de língua portuguesa
    n. 42 (2008)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Os (não) lugares da representação de gênero
    n. 41 (2008)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Ideologia e práticas discursivas
    n. 40 (2007)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Linguística aplicada e ensino de língua inglesa
    n. 39 (2007)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Literatura e urbanidade: imagens da cidade
    n. 37-38 (2006)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Inglês: ensino e literaturas
    n. 36 (2005)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Funcionalismos
    n. 35 (2005)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • A lírica em verso e prosa
    n. 34 (2004)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Estudos em sintaxe comparativa
    n. 33 (2004)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Literatura e utopia
    n. 32 (2003)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Linguística e literatura: olhares multidimensionais
    n. 31 (2003)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Discurso: história, sujeito e ideologia
    n. 30 (2002)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Espaços híbridos
    n. 28-29 (2001)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.

  • Literatura e psicanálise
    n. 27 (2001)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Literatura dramática
    n. 26 (2000)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Teoria e análise linguística
    n. 25 (2000)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Literatura e sociedade
    n. 24 (1999)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Análise do discurso
    n. 23 (1999)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Literatura, cultura e sociedade
    n. 22 (1998)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Sala de aula de língua
    n. 21 (1998)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • A criança e o texto
    n. 20 (1997)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • O conto
    n. 19 (1997)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • A mulher na literatura: texto & con/texto
    n. 18 (1996)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Estudos linguísticos
    n. 17 (1996)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Crítica junguiana
    n. 15-16 (1995)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Estudos linguísticos
    n. 13-14 (1995)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Literatura - estudos críticos
    n. 11-12 (1994)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Língua, interação e ensino
    n. 9-10 (1993)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Linguagem e ensino
    n. 7-8 (1991)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Linguagem e humor
    n. 5-6 (1989)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Estudos linguísticos e literários
    n. 4 (1988)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.
  • Estudos linguísticos e literários
    n. 3 (1988)

    Agradecemos à Fapeal o apoio na recuperação do acervo da Leitura.


    DOI da edição completa: 10.28998/0103-6858.1988v1n3

1-60 de 62