Caminhada noturna em Criúva: sinalizadores para um Turismo-Trama-Ecossistêmico e sua relação com a Autopoise

Autores

  • Camila Carvalho de Melo Universidade de Caxias do Sul http://orcid.org/0000-0001-9285-4692
  • Maria Luiza Cardinale Baptista Universidade de Caxias do Sul (UCS) Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Palavras-chave:

Turismo, Trama Ecossistêmica, Autopoiese, Mapa Noturno

Resumo

O presente texto visa apresentar sinalizadores de um turismo-trama ecossistêmico, em diálogo com a proposta de Barbero (1997), na construção de um Mapa Noturno do Turismo em sintonia com o conceito de autopoiese. Trata-se de um desdobramento da dissertação produzida no Programa de Pós-Graduação em Turismo e Hospitalidade, intitulada “Caminhada Noturna do Turismo: Tramas Subjetivas e Comunicacionais no processo de Desterritorialização”, que tem como objeto empírico a Caminhada Noturna de Criúva, atividade proposta pela Casa Verde - Criúva Operadora. A estratégia metodológica utilizada é a Cartografia dos Saberes, proposta por Baptista (2014), orientada por pressupostos de uma Ciência Contemporânea, mais sensibilizada. No que diz respeito ao referencial teórico, o embasamento segue a proposta esquizoanalítica fundamentada por Deleuze e Guattari (2004, 1995, 1996, 1997, 1981) e Rolnik (1986). Para falar sobre Turismo, o diálogo é com Moesh (2004), Barretto (2014) e Trigo (2014).  Como resultados, a pesquisa revela que a Casa Verde - Criúva Operadora, em conjunto com a caminhada, exercita outro jeito de praticar o turismo, como uma atividade de aprendizado e transformação, no sentido da autopoiese e da amorosidade, pautado pela ética da relação. (MATURANA; VARELA, 1998)

Biografia do Autor

Camila Carvalho de Melo, Universidade de Caxias do Sul

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Turismo e Hospitalidade da Universidade de Caxias do Sul (UCS-BRASIL). Graduada em Comunicação Social, habilitação Publicidade e Propaganda pela UCS. Pesquisadora do Amorcomtur! Grupo de Estudos em Comunicação, Turismo, Amorosidade e Autopoiese. Taxista CAPES.

Maria Luiza Cardinale Baptista, Universidade de Caxias do Sul (UCS) Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Doutora em Ciências da Comunicação (USP), professora de Pós-Graduação em Turismo e Hospitalidade (UCS). Pós-doutoranda e Professora colaboradora da Pós-Graduação em Sociedade e Cultura da Amazônia (UFAM). Coordenadora do Amorcomtur! Grupo de Estudos e Produção em Comunicação, Turismo, Amorosidade e Autopoiese (CNPq-UCS). Integrante do Ecomsul: Epistemologias e Práticas Emergentes e Transformadoras em Comunicação, Mídias e Cultura, (UFRN). Jornalista (UFRGS). Brasil.

Downloads

Publicado

25/06/2019

Edição

Seção

Artigos