TRAJETÓRIAS, TERRITÓRIOS E REDES: REFLEXÕES A PARTIR DA COMUNIDADE QUILOMBOLA DONA JUSCELINA E A RODOVIA TO-222

Autores

  • Marcos Pereira Neto UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
  • Raquel Almeida Mendes UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

DOI:

https://doi.org/10.28998/contegeo.v5i9.10126

Palavras-chave:

Trajetórias, Redes, Quilombo Dona Juscelina.

Resumo

O artigo em questão evidencia os processos de formação da comunidade quilombola Dona Juscelina no município de Muricilândia, localizado na porção norte do estado do Tocantins. O escopo da pesquisa transcorre no entendimento das trajetórias que resultaram na formação territorial de Muricilândia, da comunidade quilombola e a atuação das redes nesse ínterim. Trata-se de uma pesquisa de caráter qualitativo onde adota-se inicialmente um levantamento bibliográfico sobre as temáticas principais da pesquisa e posteriormente a observação da dinâmica da comunidade para alcançar os objetivos propostos. No contexto do quilombo e do município tem-se duas redes que remetem aos processos históricos e geográficos da comunidade sendo o rio Muricizal que anterior a rodovia era o meio de acesso dos moradores a outras localidades e a rodovia TO-222 que representa na atualidade a principal via de circulação no município. A constituição do quilombo Dona Juscelina é fruto de trajetórias advindas de mulheres e homens negros que visando melhores lugares para moradia se deslocaram em busca das Bandeiras Verdes. A matriarca que nomeia a comunidade quilombola teve seus trajetos rumo as terras muricilandenses motivados por esses aspectos supracitados. A articulação entre as temáticas levantadas contribui no entendimento da dinâmica espacial da comunidade quilombola e do município de Muricilândia.

Referências

ANJOS, Rafael Sânzio. Geografia, territórios étnicos e quilombos. In: GOMES, N. L. (Org.). Tempos de lutas: as ações afirmativas no contexto brasileiro. Brasília: MEC/ SECAD, 2006. p. 81-103.

CAPRA, Fritjof. As conexões ocultas. São Paulo: Cultrix, 2003.

CASTILHO, Denis. Modernização territorial e redes técnicas em Goiás. 2.ed. Goiânia : Editora UFG, 2017.

CASTILHO, Denis. Modernização Territorial e Redes Técnicas em Goiás. 2014. 221 f. Tese (Doutorado) - Curso de Geografia, Programa de Pesquisa e Pós-graduação em Geografia do Instituto de Estudos Socioambientais, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.

CIRQUEIRA, Diogo Marçal. Racismo e Experiência do Lugar em Estudantes Negras e Negros. Geografia, Ensino & Pesquisa, [s.l.], v. 21, n. 2, p.72-87, 1 set. 2017. Disponível em: <https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/viewFile/24136/pdf>. Acesso em: 19 jul. 2019.

CIRQUEIRA, Diogo Marçal. Entre o corpo e a teoria [manuscrito]: a questão étnico-racial na obra e trajetória de Milton Santos. Dissertação de Mestrado – Programa de Pós-Graduação do Instituto de Estudos Sócio-Ambientais. Goiânia: UFG. 2010.

GIL, Antônio Carlos, 1946 - Como elaborar projetos de pesquisa / Antônio Carlos Gil. - 4. ed. - São Paulo : Atlas, 2002.

HAESBERT, Rogério. O mito da desterritorialização: Do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. In:______. Dadiáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2009.

MINAYO, Maria. C. S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: Minayo, Maria. C. S (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

NASCIMENTO, Maria Beatriz. Quilombola e Intelectual: Possibilidades nos dias da destruição. Editora Filhos da África. 2018.

OLIVEIRA, Izarete da Silva de. Território e Territorialidade nos Limites do Rural e Urbano na Comunidade Quilombola Dona Juscelina em Muricilândia - TO. 2018. 183 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-graduação em Estudos de Cultura e Território, Universidade Federal do Tocantins, Araguaína, 2018.

RATTS, Alecsandro (Alex) J. P. Eu sou atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento. São Paulo: Instituto Kuanza; Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

RELPH, Edward. As Bases Fenomenológicas da Geografia. Geografia, v. 7, n. 4, p. 1-25, abr. 1979.

SOUSA, Ruberval Rodrigues de. Etnografia e História Oral: Evidências de uma comunidade remanescente de quilombo. 2016. Disponível em: <https://www.encontro2016.historiaoral.org.br/resources/anais/13/1462156433_arquivo_etnografiaehistoriaoral-textocompleto.pdf>. Acesso em: 01 ago. 2019.

TOCANTINS. Denominação de Rodovias: TO-222 - Rodovia Adeuvaldo de Oliveira Moraes. 2001. Disponível em: <https://www.seinf.to.gov.br/menu-lateral/rodovias/denominacao-de-rodovias-/>. Acesso em: 23 maio 2019.

VIEIRA, Maria Antonieta da Costa. À Procura das Bandeiras Verdes: Viagem, Missão e Romaria - Movimentos sócio-religiosos na Amazônia Oriental. 2001. 623 f. Tese (Doutorado) - Departamento de Antropologia, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

Downloads

Publicado

25/07/2020

Como Citar

Neto, M. P., & Mendes, R. A. (2020). TRAJETÓRIAS, TERRITÓRIOS E REDES: REFLEXÕES A PARTIR DA COMUNIDADE QUILOMBOLA DONA JUSCELINA E A RODOVIA TO-222. Revista Contexto Geográfico, 5(9), 74–82. https://doi.org/10.28998/contegeo.v5i9.10126

Edição

Seção

Artigos