A ECONOMIA DA POBREZA E AS DESIGUALDADES: COMO JULGAMENTOS E VIESES PODEM APROFUNDAR A DISTÂNCIA ENTRE RICOS E POBRES

Autores

  • Laudeny Fábio Barbosa Leão Sebrae Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.28998/contegeo.v7i14.13337

Palavras-chave:

Desigualdade, Politicas públicas

Resumo

O presente artigo apresenta o tema da economia da pobreza e as desigualdades múltiplas que as sociedades enfrentam, e suas repercussões em termos de exclusão social, principalmente em países pobres. A compreensão das causas das desigualdades é vital para a ampliação da renda e para a promoção da mobilidade social. Apesar de bastante estudado, as áreas que pesquisam as desigualdades ainda apresentam análises parciais do tema, muitas vezes abordando separadamente as questões econômicas das questões de raça e gênero. Nosso propósito, portanto, é ampliar a visão do tema para questões fora do mainstream econômico, como o impacto dos vieses cognitivos e dos julgamentos nas formulações de políticas públicas. A partir de análises de pesquisas e de leituras bibliográficas percebemos que a forma de pensar dos agentes econômicos modela suas ações,  com frequência gerando resultados adversos aos inicialmente pretendidos. Concluímos afirmando que as políticas públicas devem ser calibradas para cada caso específico e duradouras no longo prazo, para que realmente possam mudar as estruturas que promovem as desigualdades múltiplas no país.

Referências

ARIELY, D. Previsivelmente irracional: as forças invisíveis que nos levam a tomar decisões erradas. Tradução de Ivo Korytowski. Rio de Janeiro: Sextante, 2020.

ARIELY, D; KREISLER, J. A psicologia do dinheiro. Tradução de Ivo Korytowski. Rio de Janeiro: Sextante, 2019.

ARTHUR, B. W. Complexity and the economy. Oxford University Press, 2015.

ALVES, J. E.D. Curva Ambiental de Kuznets: mais desenvolvimento é a solução? Artigo publicado em: https://www.ecodebate.com.br/2012/12/19/curva-ambiental-de-kuznets-mais-desenvolvimento-e-a-solucao-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

ATKINSON, A. B. Desigualdade: o que pode ser feito? Tradução de Elisa Câmara. São Paulo, LeYa, 2015.

BANERJEE, A. V.; DUFLO, E. Poor economics: a radical rethinking of the way to fight global poverty. USA: PublicAffairs, 2011.

BONETTI, A. de L.; ABREU, M.A.A. (organizadores). Faces da desigualdade de gênero e raça no Brasil. Brasília: Ipea, 2011.

GIDDENS, Anthony. Sociologia. Porto Alegre: Artmed, 2005.

MARCONDES, M.M. (et al. orgs.). Dossiê mulheres negras: retrato das condições de vida das mulheres negras no Brasil. Brasília: Ipea, 2013.

MAZZUCATO, M. O estado empreendedor: desmascarando o mito do setor público vs. setor privado. Tradução Elvira Serapicos. São Paulo: Pontfolio-Penguim, 2014.

METTEN, A.; COSTA, L; GADELHA, A; MALDONADO, J. A introdução do complexo econômico industrial da saúde na agenda de desenvolvimento: uma análise a partir do modelo de fluxos múltiplos de Kingdon. Rev. Adm. Pública — Rio de Janeiro 49(4):915-936, jul./ago. 2015 . Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/51568

PIKETTY, T. A economia da desigualdade. Tradução de André Telles. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2015.

SANDEL, M. J. A tirania do mérito: o que aconteceu com o bem comum? Tradução de Bhuvi Libanio. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2020.

THALLER, R. H. Todo lo que he aprendido con la psicología económica. Traducido por Iván Barbeitos. Barcelona: Deusto, 2016.

THALLER, R. H.; SUNSTEIN. C. R. Nudge: como tomar melhores decisões sobre saúde, dinheiro e felicidade. Tradução de Ângelo Lessa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2019.

WILKINSON, R.; PICKETT, K. The spirit level: why equality is better for everyone. London: Penguin Books, 2009.

Downloads

Publicado

25/07/2022

Como Citar

Leão, L. F. B. (2022). A ECONOMIA DA POBREZA E AS DESIGUALDADES: COMO JULGAMENTOS E VIESES PODEM APROFUNDAR A DISTÂNCIA ENTRE RICOS E POBRES. Revista Contexto Geográfico, 7(14), 42–53. https://doi.org/10.28998/contegeo.v7i14.13337