ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL DA OCORRÊNCIA DE ALAGAMENTOS EM ÁREA INTENSAMENTE URBANIZADA

Autores

  • Paulo Sérgio de Rezende Nascimento UFS
  • Kisley Santos Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.28998/contegeo.v7i14.13407

Palavras-chave:

Alagamento; Impermeabilização; Canalização; Geotecnologia

Resumo

A intensa urbanização associada ao regime de marés altas e elevados índices pluviométricos favorece a ocorrência de alagamentos no município de Aracaju (SE) no período chuvoso. Este estudo visa realizar a análise espaço-temporal, entre os anos de 2010 e 2020, dos pontos de alagamento e identificar e espacializar as áreas vulneráveis e recorrentes ao alagamento. Técnicas de sensoriamento remoto e geoprocessamento, como geração de mapas de declividade e hipsometria e interpolação por Kernel, propiciaram a análise. Foi possível constatar que há uma tendência de recorrência dos pontos de alagamentos situados nos bairros 13 de Julho e São José. Esses bairros localizam-se próximo ao estuário do rio Sergipe e expandiram-se em área de manguezal, naturalmente alagável. O bairro Jabotiana, que não apresentava nenhum ponto de alagamento no ano de 2010, apresentou 8 pontos em 2020, em função da sua proximidade com o rio Poxim e da recente urbanização com muitas edificações. Os bairros instalados no entorno das planícies de inundação fluviomarinha são suscetíveis a alagamentos. Conclui-se que as áreas mais vulneráveis aos alagamentos estão relacionadas com as maiores intervenções antrópicas, como a impermeabilização do solo, canalização, estreitamento, retilineação e soterramento inadequados de rios e córregos.

Referências

ARAÚJO, H. M. Impactos ambientais urbanos decorrentes da apropriação do relevo em Aracaju. In: CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DO QUATERNÁRIO, 9. Recife, 2003. Anais... Recife: ABEQUA, 2003, p. 1 - 4.

ARAUJO, H. M.; VILAR, J. W. C. WANDERLEY, L. L.; SOUZA, R. M. (Org). O Ambiente Urbano Visões Geográficas de Aracaju. São Cristóvão: Editora da UFS, 2010.

ARAGÃO, R.; ALMEIDA, J. A. P.; FIGUEIREDO, E. E.; SRINIVASAN, V. S. Mapeamento do potencial de erosão laminar na Bacia do Rio Japaratuba, SE, via SIG. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.15, n.7, p. 731 – 740, 2011.

BINDA, A. L; BUFFON, E. A. M.; FRITZEN, M. Análise espaço-temporal dos casos de inundações e alagamentos registrados na cidade de Chapecó-SC. RA’E GA, v. 26, p. 35 - 50, 2012.

DIONNE, J. C. Towards a more adequate definition of the St. Lawense Estuary. Geomorphology, v. 7, n. 1, p. 36 – 44, 1963.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Base de dados para o Estado de Sergipe: referenciais de solos para o desenvolvimento. Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2014.

FRANÇA, V. L. A. Relatório final do diagnóstico da cidade de Aracaju. Aracaju: PMA, 2014.

FRANCISCHETT, M. N.; BIZ, A. C. O mapa hipsométrico no estudo dos continentes. Revista Signos Geográficos, v. 2, p. 1 - 25, 2020.

GIAU. Gestão Integrada de Águas Urbanas em Aracaju - SE. Relatório do Diagnóstico Qualitativo. Aracaju: Grupo Técnico de GIAU, 2010.

MANTIS, A. B.; VAZ, J. A. Mapeamento de áreas de risco de alagamento do município de Guarujá-SP utilizando método de análise hierárquica. Leopoldianum, v. 45, n. 126, p. 69 - 85, 2019.

MATOS. N. M.; LEAL, F. A.; MATRICARDI, E. A. T. Análise do padrão de distribuição de queimadas no Bioma Pantanal. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 17. João Pessoa, 2015. Anais... João Pessoa – INPE, 2015, p. 5959-5966.

OLIVEIRA, K. S.; SILVA, M. L. B.; NASCIMENTO, P. S. R. Mapeamento temático de áreas vulneráveis a riscos de inundações na cidade de Aracaju - SE. In: ENCONTRO DE RECURSOS HÍDRICOS EM SERGIPE, 12. Aracaju, 2019. Anais... Aracaju: ABRHidro, 2019, p 1 – 4.

QGIS Development Core Team. QGIS Geographic Information System. A Free and Open Source Geographic Information Sistem 2020. Disponível em: <https://www.qgis.org/en/site/>. Acesso em: 31 de agosto de 2021.

REIS, P. E.; PARIZZI, M. G.; MAGALHÃES, D. M.; MOURA, A. C. M. O escoamento superficial como condicionante de inundações em Belo Horizonte, MG: Estudo de caso da sub-bacia Córrego do Leitão, bacia do Ribeirão Arrudas. Geociências, v. 31, n. 1, p. 31 - 46, 2012.

SANTOS, J. S.; CARVALHO, S. M. Ocorrências de alagamentos e enchentes na bacia do arroio da Ronda em Ponta Grossa, PR, Brasil. Terr@ Plural, v. 15, p. 1-17, 2021.

SANTOS, R. A.; MARTINS, A. A. M.; NEVES, J. P.; LEAL, R. A. Geologia e recursos minerais do estado de Sergipe. Brasília: CPRM/CODISE, 1998.

SANTOS, K. A.; RUFINO, I. A. A.; BARROS FILHO, M. N. M. Impactos da ocupação urbana na permeabilidade do solo: o caso de uma área de urbanização consolidada em Campina Grande-PB. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 22, n. 5, p. 943 - 952, 2017.

SANTOS, A.; SANTOS, W. A.; ARAÚJO, J. A. N.; NASCIMENTO NETO. J. A. Riscos geomorfológicos no bairro Santa Maria – Aracaju/SE. Revista Geográfica da América Central. Número Especial, p. 1 – 8, 2011.

SILVA JUNIOR, M. A. B.; SILVA, S. R.; ALCOFORADO, R. M. G. Avaliação do sistema de microdrenagem visando à sustentabilidade de área urbana com problemas de alagamentos e influência das marés. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, v. 4, n. 24, p. 1 - 17, 2016.

VALERIANO, M. M.; ROSSETTI, D. F. Topodata: Brazilian full coverage refinement of SRTM data. Applied Geography, v. 32, p. 300-309, 2011.

ZAMUNER, L. D.; NÓBREGA, M. T.; MARTONI, A. M. A urbanização e o desencadeamento de processos erosivos em área de preservação ambiental na cidade de Maringá, Estado do Paraná. Acta Scientiarum, v. 24, n. 6, p. 1793 - 1800, 2002.

Downloads

Publicado

25/07/2022

Como Citar

Nascimento, P. S. de R., & Oliveira, K. S. (2022). ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL DA OCORRÊNCIA DE ALAGAMENTOS EM ÁREA INTENSAMENTE URBANIZADA. Revista Contexto Geográfico, 7(14), 01–15. https://doi.org/10.28998/contegeo.v7i14.13407