Planejamento narrativo na educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n33p262-286

Resumo

O objetivo deste artigo é engendrar diálogos sobre planejamento narrativo na Educação Infantil, evidenciando novos significados para o ato de planejar. Do ponto de vista teórico-metodológico, desenvolveu-se um estudo exploratório de caráter bibliográfico situado na abordagem qualitativa de pesquisa, que consistiu em reflexões sobre planejamento na Educação Infantil, a partir dos estudos de Ostetto (2000), Corsino (2009) e Fochi (2015), e no fomento de discussões sobre o planejamento narrativo. Conclui-se que o planejamento narrativo se apresenta como uma possibilidade de ser guia para o trabalho pedagógico e de ser, concomitantemente, um (con)texto para a formação, a atualização do currículo, o estudo e a pesquisa sobre experiências do docente e das crianças na Educação Infantil.

Biografia do Autor

Marlene Oliveira dos Santos, Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Educação - Departamento I

Doutora em educação, Professora Adjunta da Faculdade de Educação da UFBA, lotada no Deártamento de Educação I, Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Infantil, Crianças e Infâncias (GEPEICI).  Área de atuação: Educação Infantil, políticas públicas de EI, docência, currículo e ação pedagógica com bebês e crianças bem pequenas.

Referências

ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. Memória, narrativas e pesquisa autobiográfica. História da Educação, ASPHE/FaE/UFPel, Pelotas, n. 14, 2003, p. 79-95.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira. Práticas cotidianas na Educação Infantil: bases para a reflexão sobre as orientações curriculares - Projeto de Cooperação Técnica MEC e UFRGS para construção de Orientações Curriculares para a Educação Infantil. MEC/SEB: Brasília, 2009. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br /index.php?option=com_content&view=article&id=13453&Itemid=936>. Acesso em: 26 maio 2009.

BHERING, Eliana; FULLGRAF, Jodete. Planejamento na Educação Infantil: intenções, reflexões e desejos. Revista Educação: Publicação Especial: Educação Infantil 2, São Paulo: Editora Segmento, p. 44-59, out./2011.

BOGDAN, Robert C.; BIKLEN, Sari K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994. 336 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB nº 20, de 11 de novembro de 2009a. Trata da revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12745&Itemid=866>. Acesso em: 31 mar. 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009b. Fixa as diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Diário Oficial da União, Brasília, 18 de dezembro de 2009b, seção 1, p.18.

BRUNER, Jerome. La fábrica de historias: derecho, literatura, vida. Argentina: Fondo de Cultura Económica, 2003.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. 2 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

CORREA, B.; ADRIÃO, T. Material apostilado utilizado em pré-escolas municipais paulistas: análise de dois casos. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Goiânia, v. 30, n. 2, p. 379-396, maio./ago. 2014.

CORSINO, Patrícia. Considerações sobre o planejamento na Educação Infantil. In: CORSINO, Patrícia (Org.). Educação Infantil: cotidiano e políticas. Campinas, SP: Autores Associados, 2009, p. 117-121.

DAHLBERG, Gunilla; MOSS, Peter; PENCE, Alan. Qualidade na educação da primeira infância: perspectivas pós-modernas. Porto Alegre: Artmed, 2003.

EDWARDS; GANDINI; FORMAN (Org.). As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância (V1). Trad. Dayse Batista. Porto Alegre: Artes Médicas sul Ltda, 1999.

EDWARDS; GANDINI; FORMAN (Org.). As cem linguagens da criança: a experiência de Reggio Emilia em transformação (V.2). Porto Alegre: Penso, 2016.

FALK, Judit (Org.). Abordagem Pikler: Educação Infantil. São Paulo: Omnisciência, 2016.

FOCHI, P. S. Planejar para tornar visível a intenção educativa. Revista Pátio. Educação Infantil, Porto Alegre, n. 45, p. 4-7, out./dez. 2015.

FORTUNATI, Aldo. Por um currículo aberto ao possível: protagonismo das crianças e educação - o pensamento, a prática, as ferramentas. Tradução Paula Baggio. La Bottega di Geppetto: San Miniato/Itália; Porto Alegre: Editora Buqui, 2017.

FREIRE, Madalena. A paixão de conhecer o mundo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, Madalena. Sonhar na ação de planejar. In: FREIRE, Madalena et al. Avaliação e Planejamento: a prática educativa em questão. Instrumentos Metodológicos II. São Paulo: Espaço Pedagógico, 1997, p. 54-58. (Série Seminários).

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. SP: Atlas, 2002.

KUHLMANN Jr., Moysés. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. Goiânia: Alternativa, 2004.

MALAGUZZI, Loris. História, ideias e filosofia básica. In: EDWARDS; GANDINI; FORMAN (Org.). As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância (V1). Trad. Dayse Batista. Porto Alegre: Artes Médicas sul Ltda, 1999, p. 59-104.

MARTINS FILHO, Altino José; DELGADO, Ana Cristina Coll. A construção da docência com bebês e crianças bem pequenas em creches. In: MARTINS FILHO, Altino José (Org.). Educar na creche: uma prática construída com os bebês e para os bebês. Porto Alegre: Mediação, 2016, p. 9-22.

MARTINS, Mirian Celeste. Repensando o planejamento do ensino da Arte. In: FREIRE, Madalena et al. Avaliação e Planejamento: a prática educativa em questão. Instrumentos Metodológicos II. São Paulo: Espaço Pedagógico, 1997, p. 58-68. (Série Seminários).

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução Eloá Jacobina. 8ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

NASCIMENTO, M. L. B. P. As políticas públicas de educação infantil e a utilização de sistemas apostilados no cotidiano de creches e pré-escolas públicas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 17, n. 49, p. 59-80, jan./abr. 2012.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia; KISHIMOTO, Tizuko Morchida; PINAZZA, Mônica Appezzato (Org.) Pedagogia(s) da Infância: dialogando com o passado e construindo o futuro. Porto Alegre: Artmed, 2007.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. Planejamento na Educação Infantil: mais que atividade, a criança em foco. In: OSTETTO, Luciana E. (Org.). Encontros e encantamentos na educação infantil: partilhando experiências de estágio. Campinas, SP: Papirus, 2000, p. 175-200.

RAMOS, Tacyana K. G.; ROSA, Ester C. de S. (Orgs.). Os saberes e as falas de bebês e suas professoras. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

REGGIO EMILIA. Regolamento Scuole e nidi d’infanzia del Comune di Reggio Emilia – Reggio Emília/Italia, 2009. Disponível em: <http://www.scuolenidi.re.it/allegati /Regolamentonidiscuolinfanzia%20.pdf>. Acesso em: 26 maio 2017.

RICOEUR, P. La vida: un relato en busca de narrador. In: RICOEUR, P. Educación y política: de la historia personal a la comunión de libertadores. Buenos Aires: 2009, p. 43-55.

RINALDI, Carlina. A pedagogia da escuta: a perspectiva da escuta em Reggio Emília. In: EDWARDS; GANDINI; FORMAN (Org.). As cem linguagens da criança: a experiência de Reggio Emilia em transformação (V.2). Porto Alegre: Penso, 2016, p. 235-247.

ROCHA, Eloisa Acires Candal. A pesquisa em Educação Infantil no Brasil: trajetória recente e perspectiva de consolidação de uma pedagogia. 1998. 187f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/251307>. Acesso em: 24 jul. 2018.

SANTOS, Marlene Oliveira dos. A solidão profissional de professoras de bebês. Revista Interinstitucional Artes de Educar. Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p. 512-531, mai.-ago. 2020: “Bebês e crianças: cultura, linguagem e políticas”.

SANTOS, Marlene Oliveira dos. "Nós estamos falando! E vocês, estão nos escutando?" Currículos praticados com bebês: professoras com a palavra. Tese de Doutorado em Educação. Universidade Federal da Bahia. Salvador, 2017.

STACCIOLI, Gianfranco. Diário do acolhimento na escola da infância. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2013.

TRIVINÕS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VASCONCELLOS, Celso dos S. Planejamento: Projeto de ensino-aprendizagem e projeto político-pedagógico – elementos metodológicos para elaboração e realização. São Paulo: Libertad, 2000. (Cadernos Pedagógicos do Libertad; v.1).

Downloads

Publicado

22/12/2021

Como Citar

SANTOS, M. O. dos. Planejamento narrativo na educação infantil. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 33, p. 262–286, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n33p262-286. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12653. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Educação Infantil e currículo(s):culturas, docência e formação em debate