Reflexões sobre o ensino de História da África no currículo escolar: estratégias de inovação à luz da Filosofia da Diferença

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n25p123-138

Resumo

 O presente artigo visou problematizar o ensino da história da África nos currículos escolares, traçando considerações a respeito da importância de um currículo inovador voltado para o ensino da história da África no processo de ensino-aprendizagem. Deste modo a pesquisa refletiu acerca de possíveis estratégias para sua inovação à luz da Filosofia da diferença referenciada pelo filósofo francês Gilles Deleuze, na perspectiva de sua proposta de um currículo rizomático, com vistas a auxiliar a compreensão acerca da importância de se pensar a educação como ação de criação. Tratou-se, assim, de um estudo bibliográfico de caráter descrito e qualitativo, destacando a filosofia da diferença como uma metodologia indispensável no âmbito educacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wéllia Pimentel Santos, Universidade de Salamanca (USAL)

Doutoranda pela Universidade de Salamanca - USAL; Mestre em Ensino em Saúde pela UFVJM. Especialista em Criminologia pela PUC -MG. Graduações em Serviço Social (DOCTUM -TO); Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades (UFVJM) e Letras-Inglês (UFVJM).

Referências

ARROYO, M. G. Educandos e educadores, seus direitos e o currículo. In: BRASIL, Ministério da Educação (MEC). Indagações sobre o currículo do ensino fundamental. 2007.

ASPIS, Renata Lima. Notas esparsas sobre filosofias da diferença e currículo. Revista Currículo sem Fronteiras, v. 16, n. 3, p. 429-439, set./dez. 2016. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol16iss3articles/aspis.pdf. Acesso: 18 de fev. 2019.

________. Ensino de filosofia e resistência. Tese (doutorado) Universidade Estadual de Campinas, 2012. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstream/REPOSIP/250741/1/Aspis_RenataPereiraLima_D.pdf. Acesso: 20 de fev. 2019.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Ensino de história: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2004.

BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília: 1996.

BRASIL, Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. Brasília, DF, Outubro de 2004.

CAMPOS, Paulo F. S. O Ensino, a História e a Lei 10.639. In: História e Ensino. Londrina: Editora UEL, 2004. Vol. 10.

CANDAU, V. M.; MOREIRA, A. F. B. Educação escolar e cultura(s): construindo caminhos. Revista Brasileira de educação, n. 23, Mai/Jun/Jul/Ago. 2003.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Tradução de Peter Pál Pelbart. – São Paulo: Ed. 34, 1992.

________. Proust e os Signos. 2ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

________. Diferença e Repetição. Tradução de Luiz Orlandi, Roberto Machado. 2. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? 2.ed. Trad. Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

________. Mil Platôs. Capitalismo e esquizofrenia. Vol. 1. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Celia Pinto Costa. São Paulo: Ed. 34, 1995.

________. Kafka: por uma literatura menor. Tradução e prefácio Rafael Godinho. Lisboa: Editions Minuit, 2002.

DELEUZE, Gilles. PARNET, Claire. Diálogos. Tradução de José Gabriel Cunha. Lisboa: Relógio D’Água, 1996.

FAVARETTO, C. F. Filosofia, ensino e cultura. In: KOHAN, W. O. (Org.). Filosofia: caminhos para seu ensino. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.

GALLO, S. Deleuze & a educação. Autêntica, 2003.

NIETZSCHE, Friedrich. Ecce Homo. Como se chega a ser o que se é. Tradutor: Artur Morão. Colecção: Textos Clássicos de Filosofia, Universidade da Beira Interior Covilhã, 2008.

RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante: cinco lições sobre a emancipação intelectual. Trad.: Lílian do Valle. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

SÁ, Edmilson Siqueira de. Introdução Conceitual para a História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Capítulo do livro – História da África (EaD/FH/UFG). Goiânia: UFG, 2014.

SILVA, Tomaz Tadeu. D. Currículo e identidade social: Território contestado. In:________.(Org.) Alienígenas na sala de aula. Petropóles, RJ, Vozes, 2013.

ZOURABICHVILLI, FRANÇOIS. Deleuze e a questão da literalidade. Revista Educação e Sociedade, Campinas, vol. 26, n. 93, p. 1309-1321, Set./Dez. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v26n93/27281.pdf. Acesso: 21 de fev. 2019.

Downloads

Publicado

2019-12-23

Como Citar

SANTOS, Wéllia Pimentel. Reflexões sobre o ensino de História da África no currículo escolar: estratégias de inovação à luz da Filosofia da Diferença. Debates em Educação, [S. l.], v. 11, n. 25, p. 123–138, 2019. DOI: 10.28998/2175-6600.2019v11n25p123-138. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/7167. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos