AS QUESTÕES DE GRAMÁTICA NA PROVA DO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM):

UMA ANÁLISE LINGUÍSTICO-DISCURSIVA

Autores

  • Natália Oliveira Souza Universidade Federal de Alagoas
  • Lúcia de Fátima Santos Fátima Santos Universidade Federal de Alagoas

Palavras-chave:

Gramática Normativa. ENEM. Análise Linguística.

Resumo

Este artigo resulta da adaptação de um trabalho de conclusão de curso em Letras-Português, que teve como objetivo analisar como as questões de gramática normativa são abordadas no ENEM. A escolha das reflexões gramaticais realizadas nesta pesquisa se justifica porque a gramática continua sendo o principal foco nas aulas de Língua Portuguesa, sobretudo pelas exigências do domínio de conhecimentos linguísticos exigidos em diversos contextos da sociedade, dentre eles, o acesso à universidade por meio do ENEM. Para fundamentar a análise, adota-se como referencial teórico estudos que abordam sobre ensino de gramática, como Geraldi (1997; 2012), Franchi (2006), Possenti (1996), Pietri (2003). Também são consideradas as reflexões de Chizzotti (2006) e de Lüdke e André (1986) para fundamentar a metodologia de pesquisa qualitativa. O corpus da análise foi constituído com as questões gramaticais do ENEM do período de 2013 a 2019. Para esse recorte temporal, foram considerados dois aspectos: os exames mais recentes e os temas mais recorrentes. A pesquisa possibilitou afirmar que o modo como são propostas as questões de gramática normativa no ENEM ainda está pautado apenas na metalinguagem, restrito à concepção de linguagem como expressão do pensamento ou como instrumento de comunicação. Não há, dessa forma, uma proposta com base na perspectiva da linguagem como interação social (BAKTHIN, 1997) nem em práticas de Análise Linguística (GERALDI, 2012).

Biografia do Autor

Natália Oliveira Souza, Universidade Federal de Alagoas

Graduada em Letras Português pela Faculdade de Letras da Universidade Federal de Alagoas. Participou do PET Letras Ufal no período de 2016-2019.

Lúcia de Fátima Santos Fátima Santos, Universidade Federal de Alagoas

Professora Doutora da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Alagoas.

Referências

ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Gramática Metódica da Língua Portuguesa. São Paulo: Saraiva, 2009.

ANDRÉ, Marli. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995

ANTUNES, Irandé. Muito além da gramática. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

ANTUNES, Irandé. Gramática Contextualizada: limpando ‘o pó das ideias simples’. 1 ª ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. feita a partir do francês por Maria Emsantina Galvão G. Pereira revisão da tradução Marina Appenzellerl. — 2’ cd. —São Paulo Martins Fontes, 1997.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. Traduzido por Trad. feita por Sheila Grilo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais – Língua Portuguesa – 5ª à 8ª série do ensino fundamental. Brasília: MEC/SEC, 1998.

BRASIL/SEMTEC. PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmentros Curriculares Nacionais: Linguagens códigos e suas tecnologias. Brasília, Distrito Federal: MEC/SEMTEC.

BUNZEN, Clécio; MENDONÇA, Márcia (org.); KLEIMAN, Angela (et al). Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

CAMPOS, Elísia Paixão. Por um novo ensino de gramática. Goiâna: Cânone Editorial, 2014.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em Ciências Humanas e Sociais. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2006.

ERICKSON, Frederick. Prefácio. In: COX, Maria Inês P. & ASSIS-PETERSON (Org.). Cenas de sala de aula. São Paulo: Mercado de Letras, 2001, p. 9-17.

FARACO, Carlos Alberto; TEZZA, Cristovão. Oficina de texto. Petropólis, Rio de Janeiro: Vozes, 2016.

FRANCHY, Carlos. Mas o que é mesmo “gramática”? São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

FRANCHI, Carlos. Linguagem – atividade constitutiva. In: Almanaque 5, São Paulo: Brasiliense, 1987.

GERALDI, J.W. (org.). O texto na sala de aula. São Paulo: Anglo, 2012/[1984].

GERALDI, João Wanderley. Portos de Passagem. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

KLEIMAN, Ângela B. Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado das Letras, 1995.

KLEIMAN, Ângela B. Preciso “ensinar” o letramento? Cefiel/IEL/Unicamp, 2005.

KLEIMAN, Angela B. – SEPULVEDA, Cida. Oficina de gramática: Metalinguagem para principiantes. Campinas, São Paulo: Pontes Editores- 3° Edição, 2018.

LINGUAGEM E (DIS)CURSO: Os estudos de letramento e a formação do professor de língua materna, 2008.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MENDONÇA, Marina. Língua e ensino: politicas de fechamento. In MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna. Introdução à linguística: domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2001.

MOITA LOPES, Luiz Paulo; FABRÍCIO, Branca; et al. Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

NEVES, M.H.M. Que gramática estudar na escola? Norma e uso da língua portuguesa. São Paulo: Contexto, 2003.

SANTOS, Laís Rafael dos. As implicações de uma perspectiva tradicional no ensino de língua portuguesa na formação dos alunos. 2014. Trabalho de conclusão de curso (TCC), Universidade Federal de Alagoas. Alagoas.

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

PERINI, Mário Alberto. Para uma nova gramática do português. 11 ª ed. São Paulo: Ática, 2007.

PIETRI, Emerson. A constituição do discurso da mudança no ensino de língua materna no Brasil. 2003. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

SIGNORINI, Inês. Linguística aplicada e transdisciplinaridade. Campinas: Mercado das letras, 1998.

SOUZA, Ana Lúcia Silva. Letramentos no Ensino Médio. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática – Ensino Plural. São Paulo: Cortez, 2003.

TRIVIÑOS, Augusto. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

Downloads

Publicado

15/11/2021

Como Citar

SOUZA, N. O.; SANTOS, L. de F. S. F. AS QUESTÕES DE GRAMÁTICA NA PROVA DO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM): : UMA ANÁLISE LINGUÍSTICO-DISCURSIVA. Revista Areia, [S. l.], v. 4, n. 5, p. 156–175, 2021. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/rea/article/view/12452. Acesso em: 25 maio. 2022.