Nas topografias de um encontro: movências coletivas de uma tipografia Pataxó

Autores

  • Laura Castro Universidade Federal da Bahia - UFBA
  • Carolina Fonseca Universidade Federal de Goiás - UFG

DOI:

https://doi.org/10.28998/rm.2021.n.especial.10481

Palavras-chave:

Pataxó. Tipografia. Criação coletiva. Artes Gráficas. Aldeia Kaí.

Resumo

Movendo-se entre uma constelação de encontros, entre professores e estudantes do Ensino Superior e Básico, entre a rede de artistas do coletivo gráfico Sociedade da Prensa e o Colégio Estadual Kijetxawê Zabelê, das comunidades pataxó de Cumuruxatiba e sujeitos vindos de diferentes lugares da Bahia e do Brasil, este artigo se põe a pensar quais terrenos e confluências foram acionados na criação coletiva de uma tipografia pataxó. Denominada pela comunidade de ATXÚHU KAÍ, é um alfabeto pataxó constituído a partir de uma série de carimbos artesanais em madeira, produzidos em encontros de saberes, conduzidos pela professora, artista e coordenadora pedagógica Rita Pataxó. Nos elos entre aldeia, escola indígena e universidade, o texto percorre os vetores de um processo criativo coletivo, em que se descortinam movimentos de uma contra-colonização epistêmica.

Biografia do Autor

Laura Castro, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Professora adjunta no Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC) da Universidade Federal da Bahia (UFBA), atua no Bacharelado Interdisciplinar em Artes,  no PROFARTES - Mestrado Profissional em Artes, do IHAC/UFBA e no Programa de Pós-graduação em Educação e Relações Étnico-raciais (PPGER), da CJA/UFSB. Doutora em Artes Cênicas (UFBA) e mestrado em Literatura e graduação em Letras pela Universidade de Brasília (UnB).

Carolina Fonseca, Universidade Federal de Goiás - UFG

Professora Adjunta da Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás, onde atua no Laboratório de Design Interlocutório. Doutora e mestra em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia e graduação em Design pela Universidade Federal de Uberlândia. 

Referências

ALMEIDA, Maria Inês de. Desocidentada – experiência literária em terra indígena. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

BISPO, Antônio. Colonização, quilombos: modos e significados. Brasília: INCT/UnB, 2015.

CASTRO, Laura. “O que pode um livro?”. In: CASTRO, Laura, FONSECA, Caca. (Org.). Kijetxawê Zabelê: Aldeia Kaí. 1ed.Salvador: Sociedade da Prensa/EDTÓRA, 2019, v. 1, p. 106-110.

CARVALHO, José Jorge; FLÓREZ FLÓREZ, Juliana. “Encuentro de saberes: proyecto para decolonizar el conocimiento universitario eurocéntrico”. Nómadas (Col), núm. 41, octubre, 2014, pp. 131-147.

GOLDMAN, Marcio. “Contradiscursos Afroindígenas sobre Mistura, Sincretismo e Mestiçagem Estudos Etnográficos”. In: Dossiê Contradiscursos Afroindígenas sobre Mistura, Sincretismo e Mestiçagem. Estudos Etnográficos. Revista de @ntropologia da UFSCar, 9 (2), jul./dez. 2017.

KRENAK, Ailton. “Ailton Krenak: culturas indígenas (2016)”. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=LEw7n-v6gZA Acesso em: 27 abr 2020.

LAGROU, Els. A Arte Indígena no Brasil: agência, alteridade e relação. Belo Horizonte: C/ Arte, 2009.

LOPES, Nei. Novo Dicionário Banto do Brasil. Rio de Janeiro: Pallas, 2006.

MELLO, Cecília Campello do Amaral. Obras de Arte e Conceitos: Cultura e Antropologia do Ponto de Vista de um Grupo Afro-Indígena do Sul da Bahia. Dissertação de Mestrado. Tese de Doutorado. PPGAS-Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2003.

OLIVEIRA, Cristiane Maria de; SILVA, Paulo de Tássio Borges da. Voos na Sabedoria: o ensino do Patxohã na Escola Estadual Indígena Kijetxawê Zabelê.. In. ZAPAROLI, Witembergue Gomes (Org.). Caminhos e Encontros na Educação de Indígenas. 1 ed. Imperatriz-MA: Editora Ethos, 2017, p. 327-347.

MIPÂY’RÉ’PÂX SUNIATÁ’XÓ. “Negra Índia”. In: LOBO, Jade Alcantara, et al. Revista Odù: Contracolonialidade e Oralitura. Ilhéus: Fundação Cultural do Estado da Bahia, 2021.

PATAXÓ, Jandaia. “Retomada do território”. In: CASTRO, Laura, FONSECA, Caca. (Org.). Kijetxawê Zabelê: Aldeia Kaí. 1ed.Salvador: Sociedade da Prensa/EDTÓRA, 2019, v. 1, p. 18-19.

PATAXÓ, Rita. Entrevista com a mestra Rita Pataxó. Disponível em: http://www.edicoeszabele.com.br/2021/04/entrevista-com-mestra-rita-pataxo.html Acesso em 09 abril 2021.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. Ed. 34, 2005.

SANTOS, Boaventura de Souza, ALMEIDA FILHO, Naomar. A Universidade no século XXI: para uma universidade nova. Coimbra: Almedina; 2008.

TAKUÁ, Cristine. “Seres criativos da floresta” (2020). Disponível em: http://selvagemciclo.com.br/wp-content/uploads/2020/11/CADERNO_4_TAKUA.pdf Acesso: 2 jan 2021.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Brasil, o país do futuro do pretérito. São Paulo: n-1 edições, 2019.

XACRIABÁ, Célia, Amansar o giz. In Revista Piseagrama Futuro, edição n. 14 disponível em AMANSAR O GIZ - Piseagrama, acesso em 11 abr 2021.

Downloads

Publicado

17/12/2021

Edição

Seção

Encontro de Saberes: Transversalidades e Experiências