O cinema documental e a construção da realidade e da memória coletiva dos destinos turísticos

O caso da Serra da Estrela, Portugal

Autores

  • Nelson Oliveira Instituto Politécnico da Guarda/ UDI-IPG – Unidade de Investigação para o Desenvolvimento do Interior

Palavras-chave:

Documentário, Destinos Turísticos, Imagem Turística, Perceções, Serra da Estrela.

Resumo

 

As sociedades modernas têm vindo a reconhecer um papel central aos mass media no processo de formação da opinião pública acerca da generalidade dos assuntos do quotidiano. Foi assim desde as teorias e estudos pioneiros sobre os efeitos dos media e continua a ser com as teorias mais recentes que denotam um olhar renovado a partir de perspetivas comportamental, afetiva e cognitiva. O estudo que suporta este artigo foi alicerçado teoricamente em teorias da comunicação recentes, em particular na Teoria da Construção Social da Realidade articulada com a Teoria da Memória Coletiva. Pretendeu-se refletir a forma como os media, em particular a sétima arte podem contribuir para a construção da imagem dos destinos turísticos focalizando a atenção analítica no efeito das representações, por eles veiculadas, na perceção subjetiva da realidade das suas audiências. Procurou-se aferir a forma como as histórias mais frequentes, as problemáticas mais comuns, as imagens mais icónicas de personagens, acontecimentos e lugares, presentes num conjunto de documentários sobre a Serra da Estrela se refletem nas perceções coletivas acerca destes territórios dos portugueses. Com esse propósito analisaram-se 11 documentários rodados na Serra da Estrela, entre 1965 e 2020 e que tomaram a segunda mais alta montanha portuguesa como atriz principal. As principais conclusões apontam para uma certa similaridade na forma como, ao longo do período em análise, os territórios que enquadram a região da Serra da Estrela têm vindo a ser retratados, indiciando que os documentários são agentes ativos na formação das perceções plasmadas na memória coletiva acerca destes territórios.

 

Biografia do Autor

Nelson Oliveira, Instituto Politécnico da Guarda/ UDI-IPG – Unidade de Investigação para o Desenvolvimento do Interior

Doutor em Investigação em Comunicação. Universidade de Vigo, Espanha. Professor adjunto no Instituto Politécnico da Guarda, Portugal.
Membro Integrado da UDI – Unidade de Investigação do Interior

Referências

ALMEIDA, P. La imagen de un Destino Turístico como Antecedente de la Decisión de Visita: análisis comparativo entre los destinos. (Tese Doutoramento). Badajoz: Universidad de Extremadura, 2010.

AUMONT, J. & MICHEL, M. A Análise do Filme. Lisboa: Edições Texto & Grafia Lda. 2013.

BATISTA, G. O ensino do cinema documentário como tarefa hermenêutica. DOC On-line: Revista Digital de Cinema Documentário, 2020, 27: 36-44.

BERGER, P. & LUCKMANN, T. A construção social da realidade: um livro sobre a sociologia do conhecimento. Lisboa: Dinalivro. 2004.

BONNEMAISON, J. & CAMBRÉZY, L. Le lien territorial; entre fronteires et identités geographies et cultures. Paris: L’Harmattan. 1996.

BRANDÃO, N. As Notícias nos Telejornais: Que serviço público para o século XXI? Lisboa: Guerra e Paz. 2010.

CARDOZO, P.; TALAVERA, A. Imagem turística projetada em vídeos: uma proposta metodológica. RITUR-Revista Iberoamericana de Turismo, 8.2: 4-20. 2018.

CHOI, S.; LETHO, X.; MORRISON, A. Destination image representation on the web: Content analysis of Macau travel related websites. Tourism Management, Vol. 28, pp. 118- 129. 2007.

COSTA, W. Estetização da violência e construção do lugar-espetáculo no documentário «Em busca de um lugarcomum». Cidades. Comunidades e Territórios, 2018, 37.

DA SILVA BRITO, A.; VIEIRA, V.; PERINOTTO, A. Cinema como ferramenta de promoção de destinos turísticos no Nordeste brasileiro. RITUR-Revista Iberoamericana de Turismo, 9.2: 191-216,2019.

DIAS, F. Promoção de destinos turísticos através do cinema: a via mais eficaz. Atas de 1st Conference on Cinema and Tourism (pp. 7 – 14). 2010. http://arttur.org/ICCT_10/10_ICCT.pdf.

DONAIRE, J. Turisme i cinema. In G. Rámon, Cinema, Publicitat i turismo. (pp. 145 – 153). Girona: Documenta Universitária. 2012.

FERREIRA, N. Adaptação cinematográfica e promoção turística: O turismo cultural no Reino Unido. Atas da 1ª Conferência Internacional Turismo e Cinema (pp. 21 – 25). 2010. http://arttur.org/ICCT_10/10_ICCT.pdf.

FUENTE-ALBA, F. & BASULTO-GALLEGOS, O. An epistemology of documentary genre for social memory in Chile. Cinta de moebio (61), 12-27, 2018. https://dx.doi.org/10.4067/S0717-554X2018000100012

GARCIA, J. Antropologia del territorio. Madrid: Taller de Ediciones. 1996.GARTNER, W. Temporal Influences on Image Change. Annals of Tourism Research, Vol. 13, nº 4, pp. 635-644. 1986.

GÓMEZ, J. Cine y viaje: las películas amateurs murcianas de los años cincuenta. Cuadernos de turismo, 2001, 8: 77-86.

GUISSONI, R.; ALENCAR, D. A representação mental e social do cinema brasileiro como espaço turístico. RITUR-Revista Iberoamericana de Turismo, 10.2: 211-236. 2020.

HALBWACHS, M. A memória Coletiva. São Paulo: Edições Vértice. 1990.

MARQUES, C. A Serra da Estrela: Estudo Geográfico. Lisboa: Assírio & Alvim. 1996.

MARTINS, H. Para Uma Antropologia Visual Do Turismo: O Uso crítico De Metodologias E Materiais Visuais». PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural 14 (2). 2016..

MERVILLE, H. Moby Dick, Global Edições, 2020. https://www.globalgreyebooks.com/index.html

MILLÁN, Á; GARCÍA, J. & DÍAZ, E. Film-induced tourism: A latent class segmentation based on satisfaction and future intentions. PASOS Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, v. 14, n. 4, p. 875-888, 2016.

NICHOLS, B. Introdução ao documentário. São Paulo: Papirus Editora. 2005.

NIETO FERRANDO, J.; DEL REY REGUILLO, A. & AFINOGUENOVA, E. Narración, espacio y emplazamiento turístico en el cine español de ficción (1951 – 1977). Revista Latina de Comunicación Social, n. 70, p. 584-610, 17 oct. 2015.

NOGUEIRA, L. Géneros Cinematográficos, Manuais de Cinema II. Livros LabCom. Covilha. 2010.

NORA, P. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História da PUC-SP, n. 10. São Paulo, dez.-1993. 1993.

ODIN, R. Filme documentário, leitura documentarizante. Significação: Revista de cultura audiovisual, 2012, 39.37: 10-30.

OLIVEIRA, N. Imagem cinematográfica, construção da realidade e atratividade turística dos territórios. Vista, n. 2 (Junho) :224-45. 2018.

OLIVEIRA, N. La construcción simbólica de la imagen de los territorios: la Serra da Estrela rntre las imágenes tradicionales y la imagen turística. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural 17 (6):1159-77. 2019.

OSÁCAR MARZAL, E. La Imagen turística de Barcelona a través de las películas Internacionales. PASOS Revista De Turismo Y Patrimonio Cultural 14 (4): 14.055. 2016.

PENAFRIA, M. MERINO, F. & MADAÍL, G. Perspectivas de desarrollo para el documentalismo, el documental en soporte digital. Revista latina de comunicación social, (22), 8. 1999.

RAMOS, F. Mas afinal...o que é mesmo documentário? São Paulo: SENAC. .2008.

SANTOS, I. & PAULINO, F. O documentário etnográfico: Da memória ao produto turístico». Tékhne-Revista de Estudos Politécnicos, (14), 123-135. 2010.

SILVA, C. A imagem dos destinos turísticos de montanha: olhares dos residentes e dos turistas. (Tese de Doutoramento). Aveiro: Universidade de Aveiro. 2011.

WOLF, M. Los Efectos Sociales de los Media. Barcelona: Paidós. 1994.

Downloads

Publicado

29/06/2022 — Atualizado em 04/07/2022

Versões

Edição

Seção

Artigos