Governança turística da cidade de Búzios: um estudo sobre um potencial destino turístico inteligente

Autores

  • Liana Cid Bárcia uff

Palavras-chave:

destinos turísticos inteligentes, governança turística

Resumo

Na década de 90 surgiu o termo smart city ou cidade inteligente com o significado atrelado ao desenvolvimento urbano. A partir desse termo foi desenvolvido o conceito de destinos turísticos inteligentes, que são destinos capazes de trazer mais inovação, competitividade, melhoria da qualidade de vida e da experiência turística em um território. Para que esses benefícios aconteçam, é necessário que o local receba investimentos principalmente nas áreas de sustentabilidade e tecnologia de informação e comunicação. Além disso, empresas, moradores e a governança local devem estar engajados no processo de transformação de um destino em inteligente. Em 2011, a concessionária de energia Ampla/Enel iniciou o projeto Cidade Inteligente Búzios, voltado para melhorias na rede elétrica para tornar a cidade inteligente. Por causa desse projeto e também por se tratar de um destino turístico internacionalmente conhecido, Búzios é um destino com potencial para se tornar inteligente. Em 2016 o projeto foi encerrado e Búzios não se tornou inteligente por alguns motivos, como falta de envolvimento dos atores locais e mudanças no governo do município. A partir desse contexto, esta pesquisa buscou identificar como a governança do turismo pode favorecer um destino turístico a se tornar inteligente. Além das pesquisas bibliográficas, foram feitas pesquisas em documentos sobre o Projeto Cidade Inteligente Búzios, atas das reuniões do Conselho Municipal de Turismo de Búzios, regimento interno e foram feitas entrevistas com pessoas relacionadas a esse conselho.

Biografia do Autor

Liana Cid Bárcia, uff

mestra em administração pela UFF

bacharel em turismo pela UFF

agente de viagens

Downloads

Publicado

03/06/2020

Edição

Seção

Artigos