A cooperação no desenvolvimento de destinos turísticos: importância como política pública e como instrumento propulsor na comercialização de produtos turísticos locais.

Autores

  • Eduardo Jorge Costa Mielke King Abdulaziz University - Faculty of Tourism
  • Jorge Antonio Santos Silva Universidade Federal do Recôncavo Bahiano

Palavras-chave:

Cooperação, destinos, comercialização, política pública.

Resumo

Desde 2003, os planos nacionais de turismo pouco alteraram a direção sobre a importância dos processos endógenos de comercialização de produtos turísticos nos destinos brasileiros, por meio da cooperação. A responsabilidade compartilhada parte, em tese, do envolvimento dos atores sociais e agentes econômicos que efetivamente geram emprego e renda localmente. Com método exploratório, o presente artigo analisa e discute o turismo, fenômeno social e atividade econômica, como constituído por uma complexa cadeia de valor, abordando a relação entre cooperação, comercialização e desenvolvimento de destinos turísticos. A demanda por processos endógenos que sejam efetivamente reconhecidos e fomentados como parte central da política pública, deve corresponder a uma agenda mais inclusiva a fim de que o turismo no Brasil possa avançar de forma sustentada e responsável.

Biografia do Autor

Eduardo Jorge Costa Mielke, King Abdulaziz University - Faculty of Tourism

Professor Assistente do Departamento de Hospitalidade e Turismo da KAUFT. Graduado em Agronomia (1999), com mestrado em Ciências Florestais, area de concentração Economia Ambiental (UFPR, 2002) e doutorado em Desarrollo y Planificación del Turismo Sostenible (UMA - Espanha, 2007) – área de concentração e linha de pesquisa Política de Turismo. Pós-Doutor em Gestão responsável (LMU – Reino Unido, 2010). Membro Consultivo do Conselho Nacional de Turismo da Confederação Nacional de Bens, Serviços e Turismo - CNC. Assessor da Federação dos Conventions Visitors Bureau do Estado do Rio de Janeiro. Áreas de interesse: Desenvolvimento e Planejamento Turístico, Organização e Gestão do Terceiro Setor Turístico; Teorias de Desenvolvimento Econômico.

Jorge Antonio Santos Silva, Universidade Federal do Recôncavo Bahiano

Professor Adjunto da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB, do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública e do Mestrado Profissional em Gestão de Políticas Públicas e Segurança Social. Graduado em Administração de Empresas (1977) e em Economia (1988), com mestrado em Administração (UFBA, 1991) e doutorado em Ciências da Comunicação (USP, 2004) – área de concentração e linha de pesquisa Turismo. Membro do Observatório Estadual de Economia Criativa da Bahia – OBEC-BA. Membro do Grupo de Estudos de Economia Regional e Urbana – GERURB (UNIFACS). Áreas de interesse: Turismo: Planejamento, organização e gestão, Análise econômica; Clusters/APLs; Estado e Políticas Públicas; Teorias do Desenvolvimento; Desenvolvimento Regional/Local; Governança Territorial; Economia da Cultura e Economia Criativa.

Downloads

Publicado

21/09/2017

Edição

Seção

Artigos