Manifestações de rua como laboratório político – 2013 e suas emergentes formas

Autores

  • Flávio José de Moraes Junior Bacharel em Ciências Sociais na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em História Comparada pelo Programa de Pós-Graduação em História Comparada (PGHC) na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) http://orcid.org/0000-0002-9145-7924

DOI:

https://doi.org/10.28998/rchv11n21.2020.0021

Resumo

Neste artigo pretendemos analisar comparativamente formas de comunicação e métodos de luta de distintos movimentos sociais e grupos políticos em manifestações de rua no Rio de Janeiro entre os anos de 2013/2014. No início do século XXI houve um expressivo surgimento de movimentos sociais e grupos políticos que ficaram conhecidos globalmente como movimentos “antiglobalização”. Esses movimentos tiveram como característica central uma ação política pautada no horizontalismo, em estruturas organizacionais de inspiração libertária.   A partir do ano de 2013 táticas amplamente difundidas ao redor do globo como o black bloc tomaram as ruas do Brasil.  Nesse contexto, antigos formatos de manifestações de rua caracterizados por uma centralidade em líderes políticos de meios institucionais foram desestabilizados. Buscaremos compreender quais são os novos elementos e táticas que emergiram em 2013 nas ruas do Rio de Janeiro e quais são suas particularidades políticas em relação aos antigos formatos de manifestações de rua.   

Biografia do Autor

Flávio José de Moraes Junior, Bacharel em Ciências Sociais na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em História Comparada pelo Programa de Pós-Graduação em História Comparada (PGHC) na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Bacharel em Ciências Sociais na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em História Comparada pelo Programa de Pós-Graduação em História Comparada (PGHC) na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 

Atuou também no cinema com o Curta-metragem Rádio Livre (2014) e curta O que não se fala nos carros de som (2017)

Referências

BLOCH, Marc. Para uma História Comparada das sociedades europeias: História e Historiadores. Lisboa: Teorema,1998.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança – movimentos sociais na era da internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

CHOMSKY, Noam. Mídia - Propaganda política e manipulação. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

COSTA, Leon Denis da. Manuais de condutas de tropas de choque: fundamentos para repressão. Revista brasileira de Segurança Pública. V.11 nº2, 2017.

DUPUIS-DÉRI, Francis. Black Blocs. São Paulo: Veneta, 2014.

DUPUIS-DÉRI, Francis. black blocs: abaixo às máscaras. São Paulo: Revista Verve, V nº30, 2016.

GELDERLOOS, Peter.. Como a Não Violência Protege o Estado – Editora Deriva, 2009.

GORDON, Uri .Anarquia viva! Política antiautoritária da prática para a teoria. Porto Alegre: Editora Subta, 2015.

GRAEBER, David. A respeito da violenta polícia da paz – uma carta aberta a Chris Hedges. Revista da Biblioteca Terra Livre, V.1, 2002.

GRAEBER, David. Um Projeto de democracia – uma história, uma crise, um movimento. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

LUDD, Ned. Urgência das ruas: Black Bloc, Reclaim The Streets e os Dias de Ação Global. São Paulo: Corand, 2002.

MORAES, Wallace de. Governados por quem? Diferentes plutocratas nas histórias políticas de Brasil e Venezuela. Curitiba: Editora Prismas, 2018a.

MORAES, Wallace. 2013 – Revolta dos governados: ou pra quem esteve presente, revolta do vinagre. Rio de Janeiro: WSM Edições, 2018b.

NERY, Vanderlei Elias. A campanha Diretas Já e a transição brasileira. Revista Lutas Sociais. V. 18, n. 32, 2014.

OLIVEIRA, S. D. P.; Marinho, M. G. S. M. C. Diretas Já, um movimento social híbrido. Revista Debates, v. 6, n. 3, 2012.

SEOANE, José. Movimientos sociales y recursos naturales en América Latina: resistencias al neoliberalismo, configuración de alternativas Sociedade e Estado. Revista Soc.estado, vol. 21, Nº1, 2006.

WALTER, Nicolas. Do anarquismo. São Paulo: Editora Imaginário, 2000.

Downloads

Publicado

14/07/2020

Como Citar

de Moraes Junior, F. J. (2020). Manifestações de rua como laboratório político – 2013 e suas emergentes formas. Revista Crítica Histórica, 11(21), 337–365. https://doi.org/10.28998/rchv11n21.2020.0021