Justiça Privada e Banditismo: Um Estudo sobre as Formas de Acomodação de Poder no Brasil Setecentista

Autores

  • Célia Nonata da Silva Universidade Federal de Alagoas
  • Renato da Silva Dias Universidade Estadual de Montes Claros

DOI:

https://doi.org/10.28998/rchvl2n03.2011.0006

Resumo

Este artigo analisa o banditismo rural como um fenômeno social de longa duração no país, compreendendo o pistoleirismo como parte integrante da cultura política e das relações de poder presentes no meio rural, comungando com a permanência de valores coloniais da valentia, da honra e das formas de vingança. O aporte teórico leva em consideração um complexo estudo a partir de seus principais arregimentadores: a sociologia e a história. Neste sentido, a busca pela compreensão do fenômeno social é uma tentativa em se compreender melhor o tema, pouco abordado pela historiografia brasileira. 

Biografia do Autor

Célia Nonata da Silva, Universidade Federal de Alagoas

História Social do Crime

Renato da Silva Dias, Universidade Estadual de Montes Claros

História

Referências

Fontes manuscritas:

Arquivo Histórico Ultramarino.

Arquivo Público Mineiro: Fundo: Seção Colonial – documentação encadernada da capitania das Minas.

Fontes Impressas:

FIGUEIREDO, Luciano Raposo de Almeida & CAMPOS, Maria Verônica. Códice Costa Matoso. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, 1999, p. 983.

Bibliografia:

ANASTASIA, Carla Maria Junho. “Salteadores, Bandoleiros e desbravadores nas Matas Gerais da Mantiqueira (1783-1786)”. In.: DEL PRIORE, Mary (org.). Revisão do Paraíso. p. 115-139.

BIEBER, Judy. Power, Patronage and Political Violence: State Building on a Brazilian Frontier, 1822-1889. Lincoln: University of Nebraska Press, 1999.

BIEBER, Judy. “A ‘Visão do Sertão’: Party Identity and Political Honor in Late Imperial Minas Gerais, Brazil.” In: Hispanic American Historical Review. – HAHR. 2001. v. 81. n. 02. p. 309-345;

BLOK, Anton. “The Peasant and Brigand: Social Banditry Reconsidered”. In. Comparative Studies in Society and History, 1972, n. 04. v. 14. p. 494-503

BRETAS, Marcos L. “O Crime na historiografia brasileira: uma revisão na pesquisa recente”. In.: Boletim informativo e Bibliográfico de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, n.º 32. (1991). Pp.: 49 – 61.

BERSTEIN, Serge. A Cultura Política. In.: RIOUX, Jean-Pierre & SIRINELLI, Jean-François. Para uma História Cultural. Estampa: Lisboa, 1998.

BURKE, Peter. A Cavalaria no Novo Mundo. In.: Variedades de História Cultural. Civilização Brasileira: Rio de Janeiro, 2000. pp.: 197-211.

CARDOSO, Manuel da Silveira Soares. The Guerra dos Emboabas, civil war in Minas Gerais, 1708-1709. The Hispanic American historical review, Washington, v. 22, n.º 3, pp. 470-492, 1942.

CHANDLER, Billy Jaynes. “Brazilian Cangaceiros as Social Bandits: A Critical Appraisal”. In: SLATTA, Richard W. Bandidos: the varieties of latin America banditry. United States of America: Greenwood Press, 1987. Pp. 97-112.

CZECHOWSKY, Nicole (org.). A Honra. Tradução: Claudia Cavalcanti. Porto Alegre: L&PM, 1992.

ELIAS, Norbert. O Processo Civilizador: formação do Estado e Civilização. Tradução: Ruy Jungmann. Rio de Janeiro: Zahar editor, 1998.

GAY, Peter. O Cultivo do Ódio. Tradução: Sergio Goes de Paula e Viviane de Lamare Noronha. São Paulo: Cia das Letras, 2001.

FIGUEIREDO, Luciano. “Furores sertanejos na América Portuguesa: rebelião e cultura política no sertão do rio São Francisco, Minas Gerais (1736)”. In.: Revista Oceanos. Lisboa. 1999. p. 128-144.

GURR, Ted. “Crime and Justice”. In.: An Annual Review of Research. 1994. Pp.: 295-351.

HOBSBAWM, Eric. Bandidos. Tradução: Donaldson Magalhães Garschagen. Rio de Janeiro: Forense, 1976.

IZARD, Miguel e SLATTA, Richard W. “Banditry and Social Conflict on the Venezuelan Llanos”. In: SLATTA, Richard W. Bandidos: the varieties of latin America banditry. United States of America: Greenwood Press, Inc., 1987. Pp. 33-48.

KUSCHNIR, Karina. & CARNEIRO, Leandro Piquet. “As dimensões subjetivas da política: cultura política e antropológica da política.” Revista Estudos Históricos – Cultura Política. Rio de Janeiro: FGV. n. 24, 1999. Pp.: 1-33.

LANNA, Marcos. “Troca e poder: da casa real portuguesa ao engenho nordestino – uma abordagem antropológica” In: Portugal – Brasil: memórias e imaginários. Congresso luso-brasileiro. Actas – volume I. Lisboa: GTMECDP, 2000. Pp.: 453-465.

MACHADO, Maria Helena. Crime e Escravidão: Trabalho, luta e resistência nas lavouras paulistas, 1830-1888. São Paulo: Brasileiense, 1987

MOTTA, Rodrigo Pato Sá. LPH: Revista de História, n.º 06, 1996. p. 86.

O’MALEY, Pat. “Social Bandits, Modern Capitalism and the Traditional Peasantry. A Critique of Hobsbawm.” In: The Journal of Peasant Studies. Pp.: 489-501.

PERNAMBUCANO DE MELLO, Frederico. Guerreiros do Sol: Violência e banditismo no Nordeste do Brasil. São Paulo: A Girafa, 2004.

SCHNOOR, Eduardo. Os Senhores dos caminhos. In: DEL PRIORE, Mary. Revisão do Paraíso: Os Brasileiros e o Estado em 500 anos de História. Rio de Janeiro: Campus, 2000, p. 161-208.

SLATTA, Richard W. “Conclusion: Banditry in Latin America”. In: SLATTA, Richard W. Bandidos: the varieties of latin America banditry. United States of America: Greenwood Press, Inc., 1987. Pp. 191-200.

SLATTA, Richard W. “Images of Social Banditry on the Argentine Pampa”. In: SLATTA, Richard W. Bandidos: the varieties of latin America banditry. United States of America: Greenwood Press, Inc., 1987. Pp. 49-66.

SLATTA, Richard W. “Introduction to Banditry in Latin America”. In: SLATTA, Richard W. Bandidos: the varieties of latin America banditry. United States of America: Greenwood Press, Inc., 1987. Pp. 1-10.

SILVA, Celia Nonata. Territórios de Mando: banditismo em Minas Gerais, século XVIII. Belo Horizonte: Crisálida, 2007.

SKINNER, Q. Liberdade antes do Liberalismo. Tradução: Raul Fiker. São Paulo: UNESP, 1999.

SPIERENBURG, Peter. “Faces of violence: homicide trends and cultural meanings: Amsterdam, 1431-1816.” Journal of Social History. (1994). Pp.: 701-716.

TALL, Kadya. “Le masque syncrétique em question. Fête-Dieu et sacrifice au dieu de la chasse dans le candomblé bahianais de nation Ketu”. In.: AGIER, Michel (org.). Cahiers du Bresil contemporain: Les Mots du Discours Afro-Bresilien en Debat. Paris, 2002. p. 109-125.

TAYLOR, Lewis. “Bandits and Politics in Peru: Landlord and Peasant Violence in Hualgayoc: 1900-1930”. In.: Cambridge:Centre of Latin American Studies. Cambridge, 1986.

TAYLOR, Willian. Drinking, homicide and rebellion in colonial mexican villages. Stanford University Press: London, 1979

THOMPSON, E.P. Senhores e Caçadores. Tradução: Denise Bottmann. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

TILLY, Charles. Social Movements: 1768-2004. Paradigm Publishers: London, 2004.

WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo.

WEBER, Max. A política como vocação.

WONG, Yue-Chim An Economic Analysis of the Crime Rate in England and Wales, 1857-92. P.: 235. In.: Economica (1995) 62. P.: 235.

Downloads

Publicado

01/06/2011

Como Citar

Nonata da Silva, C., & Dias, R. da S. (2011). Justiça Privada e Banditismo: Um Estudo sobre as Formas de Acomodação de Poder no Brasil Setecentista. Revista Crítica Histórica, 2(3). https://doi.org/10.28998/rchvl2n03.2011.0006