Honra e Conduta: Populares e Práticas Amorosas em Porto Alegre (1898-1923)

Autores

  • Carlos Eduardo Milengrosso Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.28998/rchvl2n04.2011.0009

Resumo

Este artigo é uma reflexão sobre as noções de honra dos acusados e das ofendidas, com base em processos criminais de defloramento na cidade de Porto Alegre, entre 1898 e 1923. Nele busca-se, basicamente, demonstrar as diferenças e variações de interpretação, vivência e manipulação da honra sexual de acusados e ofendidas nas relações íntimas e nos conflitos pessoais entre as camadas populares.   

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Milengrosso, Universidade Federal de Santa Catarina

História

Referências

Processos criminais

APERS. Comarca de Porto Alegre. Tribunal do Júri, caixa 2305, processo nº 5164, 1893.

APERS. Comarca de Porto Alegre. Tribunal do Júri, caixa 2400, processo nº 89, 1904.

APERS. Comarca de Porto Alegre. Processo criminal, processo nº 175, 1908.

APERS. Comarca de Porto Alegre. Tribunal do Júri, caixa 2308, processo nº 5186, 1912.

APERS. Comarca de Porto Alegre. Tribunal do Júri, caixa 2315, processo nº 5242, 1910.

APERS. Comarca de Porto Alegre. Tribunal do Júri, caixa 2400, processo nº 92, 1906.

APERS. Comarca de Porto Alegre. Tribunal do Júri, caixa 2400, processo nº 87, 1903.

APERS. Comarca de Porto Alegre. Tribunal do Júri, caixa 2308, processo nº 2308, 1912.

Jornais

Gazetinha, Porto Alegre, 12 de janeiro de 1896.

Gazetinha, Porto Alegre, 28 de janeiro de 1897.

Gazetinha, Porto Alegre, 17 de setembro de 1896.

Documentos oficiais

Código de Posturas Municipais sobre Construções. Atos do Intendente. Ato nº22, Lei nº2, 1893.

Bibliografia

ALVAREZ, Marcos César; SALLA, Fernando; SOUZA, Luís Antônio F.. A sociedade e a lei: o Código Penal de 1890 e as novas tendências penais na Primeira República. Revista Justiça & História, Porto Alegre, v.3, n.6, p.97-130, 2003.

AREND, Silvia Maria Fávero. Casar e amasiar? A família popular em fins do século XIX. Porto Alegre: Editora da Universidade, 2001.

CANCELA, Cristina Donza. Adoráveis e Dissimuladas: as relações amorosas das mulheres das camadas populares em Belém no final do século XIX e início do XX. 1997. Dissertação (Mestrado em História) Unicamp, Campinas, 1997.

CASTRO, Viveiros de. Os delitos contra a honra da mulher. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1936.

CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores da belle époque. São Paulo: Brasiliense, 1986.

CORRÊA, Marisa. Repensando a família patriarcal. In: CORRÊA, Marisa et ali. Colcha de retalhos. São Paulo: Brasiliense, 1982, p.35.

COSTA, Jurandir Freire. Sem fraude nem favor: estudo sobre o amor romântico. Rio de Janeiro: Rocco Editora, 1998.

DONZELOT, Jacques. A política das famílias. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1980.

ENGEL, Magali. Meretrizes e doutores: saber médico e prostituição no Rio de Janeiro (1840-1890). São Paulo: Brasiliense, 1989.

ESTEVES, Martha de Abreu. Meninas perdidas: os populares e o cotidiano do amor no Rio de Janeiro da Belle Époque. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

ESTEVES, Martha de Abreu; CAUFIELD, Sueann. 50 anos de virgindade no Rio de Janeiro: políticas de sexualidade no discurso jurídico e popular (1890-1940). Caderno Espaço Feminino, Uberlândia, v.2, ano II, n. 1, 1995.

FARGE, Arlette. Famílias, a honra e o sigilo. In: ARIÉS, Philippe; DUBY, George. História da Vida Privada: da renascença ao século das luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

FAUSTO, Boris. Crime e cotidiano: a criminalidade em São Paulo (1880-1924). 2ed. São Paulo: EDUSP, 2004.

FONSECA, Cláudia. Pais e filhos na família popular (início do século XX). In: D’INCAO, Maria Angela (org.). Amor e família no Brasil. São Paulo: Contexto, 1988.

FREYRE, Gilberto. Casa grande e senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. Rio de Janeiro: José Olympio, 1978.

GAVRON, Eva Lúcia. Seduções e Defloramentos: o controle normativo das práticas sexuais em Florianópolis – 1930/1940. 2002. 128 f. Dissertação (Mestrado em História) Universidade Federal de Santa Catarina, 2002.

GRINBERG, Keila. A história nos porões dos arquivos judiciários. In: PINSKY, Carla Bassanezi; LUCA, Tania Regina de. O historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2009.

GROSSO, Carlos Eduardo Millen. Poderiam viver juntos? Identidade e visão de mundo em grupos populares na Porto Alegre da virada do século XIX (1890-1909). 2007. Dissertação (Mestrado em História) Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

HECHT, Tobias. At home in the street: street children of North east Brasil. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

HERSCHMANN, Micael M. A arte do operatório. Medicina, naturalismo e positivismo 1900-1937. In: HERSCHMANN, Micael M; PEREIRA, Carlos Alberto Messeder. A Invenção do Brasil Moderno: medicina, educação e engenharia nos anos 20-30. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

HOHLFELDT, Antonio. A imprensa sul-rio-grandense entre 1870 e 1930. E-Compós, v.7, p.1-12, dez., 2006. (www.compos.com.br/e-compos)

LARA, Silvia Hunold; MENDONÇA, Joseli Maria Nunes (orgs.). Direitos e Justiça no Brasil. Campinas: Editora UNICAMP, 2006.

MACHADO, Roberto et ali. Danação da norma: medicina social e constituição da psiquiatria no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

MAUCH, Cláudia. Ordem Pública e Moralidade: imprensa e policiamento urbano em Porto Alegre na década de 1890. Santa Cruz: EDUNISC/ANPUHRS, 2004.

MEDEIROS, Darcy Campos de; MOREIRA, Aroldo. Do crime de Sedução. Rio de Janeiro: Livraria Freitas Bastos, 1967.

MONSMA, Karl. Histórias de Violência: inquéritos policiais e processos criminais como fonte para o estudo de relações interétnicas. In: DEMARTINI, Zeila de Brito Fabri; TRUZZI, Oswaldo Mário Serra (orgs.). Estudos Migratórios: perspectivas metodológicas. São Carlos: EdUFSCar, 2005, p.159-221.

MONTEIRO, Charles. Porto Alegre: urbanização e modernidade: a construção social do espaço urbano. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1995. MOREIRA Paulo Roberto Staudt. Entre o deboche e a rapina: os cenários sociais da criminalidade popular em Porto Alegre. Porto Alegre: Armazém Digital, 2009.

ODA, Ana Maria Galdini Raimundo; DALGALARRONDO, Paulo. História das primeiras instituições para alienados no Brasil. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v.12, n.3, Rio de Janeiro, p.983-1010, set.-dez., 2005.

PEREIRA, Cristiana Schettini. Lavar, passar e receber visitas: debates sobre a regulamentação da prostituição e experiências de trabalho sexual em Buenos Aires e no Rio de Janeiro, fim do século XIX. Cadernos Pagu. Campinas, (25), p.25-54, jul./dez/, 2005.

PERISTIANY, John G. (org.). Honra e Vergonha: valores das sociedades Mediterrâneas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1988.

PERROT, Michelle. Figura e papéis. In: PERROT, Michelle (org.). História da vida privada: da Revolução Francesa Guerra Mundial. São Paulo: Companhia das Letras, 1994, vol.4.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Uma outra cidade: o mundo dos excluídos no final do século XIX. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2001.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. O imaginário da cidade: visões literárias do urbano (Paris – Rio de Janeiro – Porto Alegre). 2 ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2002.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Os pobres da cidade (vida e trabalho 1880-1920). Porto Alegre: Ed. da Universidade, 1994.

PITT-RIVERS, Julian. Honra e posição social. In: PERISTIANY, John G. (org.). Honra e Vergonha: valores das sociedades Mediterrâneas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1988.

PROSPERI, Adriano. Dar a alma. A história de um infanticídio. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

RAGO, Margareth. Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinar (Brasil 1890-1930). 3 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1997

RAGO, Margareth. Trabalho feminino e sexualidade. In: DEL PRIORI, Mary (org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, p.578-606, 1997.

ROSEMBERG, André. Ordem e burla: processos sociais, escravidão e justiça em Santos. São Paulo: Alameda, 2006.

ROSEMBERG, André; SOUZA, Luís Antônio Francisco de. Notas sobre o uso de documentos judiciais e policiais como fonte de pesquisa histórica. Revista Patrimônio e Memória, Marília, v. 4, n.2, p.168-182, dez. 2009.

SAMARA, Eni M. As mulheres, o poder e a família. São Paulo: Marco Zero, 1989.

SANCHES, Maria Aparecida Prazeres. Fogões, pratos e panelas: poderes, práticas e relações de trabalho doméstico, Salvador 1900/1950. 1998. Dissertação (Mestrado em História) Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1998.

SANCHES, Maria Aparecida Prazeres. As razões do coração: namoro, escolhas conjugais, relações raciais e sexoafetivas em Salvador 1889/1950. 2010. Tese (Doutorado em História) Universidade

Federal Fluminense, Niterói, 2010.

SCOTT, James. Domination and the Arts of Resistance. New Haven: Yale University Press, 1990.

SOIHET, Raquel. Condição feminina e formas de violência: mulheres pobres e ordem urbana (1890-1920). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1989.

VIANNA, Adriana de Resende Barreto. O mal que se adivinha: polícia e menoridade no Rio de Janeiro, 1910-1920. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1999.

WEBER, Beatriz Teixeira. As artes de curar: medicina, religião magia e positivismo na República Rio-Grandense – 1889/1928. Santa Maria: Ed. da UFSM; Bauru: EDUSC, 1999.

Downloads

Publicado

01/12/2011

Como Citar

Milengrosso, C. E. (2011). Honra e Conduta: Populares e Práticas Amorosas em Porto Alegre (1898-1923). Revista Crítica Histórica, 2(4). https://doi.org/10.28998/rchvl2n04.2011.0009

Edição

Seção

Fluxo Contínuo