Nas Trilhas do Saber e Fazer: Intelectualidade e Política Institucional no Piauí

Autores

  • Pedro Pio Fontineles Filho
  • Cláudia Cristina da Silva Fontineles

DOI:

https://doi.org/10.28998/rchvl7n14.2016.0009

Resumo

O presente estudo tem o objeto principal de discutir a atuação políticoinstitucional de intelectuais, apontando para os aspectos das relações de poder no que se refere às políticas educacionais nacionais e suas ressonâncias na esfera local do estado do Piauí, sobretudo os aspectos ligados ao ensino da chamada “Literatura Piauiense”. O recorte temporal, no sentido amplo de periodização, abarca posicionamentos que vão desde a década de 1930, passando pela atuação da Faculdade de Filosofia, a implantação da Universidade Federal do Piauí, até princípios do século XXI, fazendo menção ao ensino de “Literatura Piauiense”. Para tanto, metodologicamente, o estudo se deu pela leitura analítico-interpretativa dos relatos escritos e orais de literatos e intelectuais que, de forma direta ou indireta, atuaram na estruturação de espaços de ensino no Piauí. Nesse sentido, o estudo se ancora, também, nas esferas da construção de memórias. Para tanto, como arcabouço teórico-metodológico, foram utilizadas as discussões feitas sobre fontes orais por Marieta Ferreira (2012; 1996) e Verena Alberti (2010;2007). Recorreu-se, também, às proposições de Bourdieu (2010), Compagnon (2009), Sirinelli (2003) e Chartier (2002; 1990), para compreender as interligações e noções de “campo” e suas interpenetrações com a política e o poder.

Referências

ALBERTI. Verena. Ouvir contar: textos em História Oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

ALBERTI. Verena. Manual de História Oral. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

CHARTIER, Roger. Do Palco à Página: publicar teatro e ler romances na época moderna: séculos XVI-XVIII. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2002.

CHARTIER, Roger.. História Cultural: entre Práticas e Representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

COMPAGNON, Antoine. Literatura para quê? Tradução de Laura Tadei Brandini. Belo Horizonte: UFMG, 2009.

CHAGAS, Francisco José das. Linguagem e comunicação: Gilson Silva fala sobre Chico Miguel. Disponível em: <http://www.recantodasletras.com.br/artigos/3905877>. Acesso em:

out. 2013.

FERREIRA, Marieta de Moares. História oral: velhas questões, novos desafios. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. (Orgs.). Novos domínios da história. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

FERREIRA, Marieta de Moares. História oral e tempo presente. In. MEIHY, José Carlos Sebe (Org.). (Re)introduzindo a história oral no Brasil. São Paulo: Xamã, 1996.

FONTINELES, Cláudia Cristina da Silva. Entre Heráclito e Parmênides: a modernização em Teresina nas décadas de 1960 e 1970. In: FRANCO, R. K. G.;VASCONCELOS, José Gerardo (Orgs.). Outras histórias do Piauí. Fortaleza: Edições UFC, 2007, p. 110-125.

GOMES, Antônio José; SANTOS JÚNIOR, Luiz Souza. Universidade Federal do Piauí: 40 anos de contribuição à História da Educação do Piauí. Disponível em:

http://www.ufpi.br/arquivos/File/UFPI%20ESPECIAL%2040%20ANOS.pdf. Acesso em: 12 nov. 2013.

HELENA, Lúcia. A literatura tem poder? In: HELENA, Lúcia; PIETRANI, Anélia (Orgs.). Literatura e poder. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria/CNPq, 2006, p. 09-15.

KRUEL, Kenard. Literatura brasileira de expressão piauiense. Artigo postado em 24 de agosto de 2009. Disponível em: <http://krudu.blogspot.com.br/2009/08/literatura-brasileira deexpressao.html>. Acesso em: 26 maio 2013.

LIMA, Fábio. Deputado quer alterar lei e obrigar ensino de literatura piauiense. Publicado originalmente em 24/03/11. Disponível em:<http://www.cidadeverde.com/deputado-queralterar-lei-e-obrigar-ensino-de-literatura-piauiense-75125>. Acesso em: 22 nov.

http://www.cidadeverde.com/deputado-quer-alterar-lei-e-obrigar-ensino-de-literaturapiauiense-75125

MEDEIROS, Antônio José de Castelo Branco. Depoimento concedido à Maria do Amparo

Alves de Carvalho. Teresina, Set. 1997. In: CARVALHO, Maria do Amparo Alves de. História e repressão: fragmentos de uma memória oculta em meio às tensões entre Igreja Católica e regime militar em Teresina. Dissertação (Mestrado). Teresina: Programa de Pós Graduação

em História do Brasil, 2006.

MOURA, Francisco Miguel de. Linguagem e comunicação em O. G. Rego de Carvalho. Rio de Janeiro: Artenova, 1972.

NUNES, Manoel Paulo. As solidões justapostas. Teresina: Academia Piauiense de Letras, 1992.

NUNES, Manoel Paulo. A Geração Perdida: ensaios e notas críticas. Rio de Janeiro: Artenova, 1979.

PORTO, Waldênio. Em defesa do livro, do escritor e da identidade cultural nordestina. In: Revista da Academia Piauiense de Letras. n. 63, Ano LXXXVIII, dez. 2005, p. 129.

QUEIROZ, Teresinha (Org.). Conversas com M. Paulo Nunes. Teresina: EDUFPI, 2012.

SIRINELLI, Jean-François. Os intelectuais. In: RÉMOND, René (Org.). Por uma história política. 2. ed. Rio de Janeiro: EDUFGV, 2003, p. 230-269.

SOARES, Padre Raimundo José Airemorais. Depoimento concedido à Maria do Amparo Alves de Carvalho. Teresina, Abr. 1998. In: CARVALHO, Maria do Amparo Alves de. História e repressão: fragmentos de uma memória oculta em meio às tensões entre Igreja Católica e regime militar em Teresina. Dissertação (Mestrado). Teresina: Programa de Pós Graduação em História do Brasil, 2006.

Downloads

Publicado

31/12/2016

Como Citar

Fontineles Filho, P. P., & Fontineles, C. C. da S. (2016). Nas Trilhas do Saber e Fazer: Intelectualidade e Política Institucional no Piauí. Revista Crítica Histórica, 7(14). https://doi.org/10.28998/rchvl7n14.2016.0009