Anarquismo italiano, transnacionalismo e emigração ao Brasil: Contribuições ao debate teórico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/rchv11n21.2020.0003

Resumo

As redes transnacionais criadas pelos ativistas anarquistas, especialmente entre o fim do XIX e início do XX são bastante conhecidas da historiografia. No caso do anarquismo italiano, devido às fortes perseguições políticas sofridas na última década do século XIX, a transnacionalidade do movimento constitui-se em regra. A vinda de imigrantes anarquistas para o Brasil faz parte dessa história transatlântica. Em São Paulo, o encontro de anarquistas italianos permitiu a criação de grupos de afinidade articulados em rede que foram muito profícuas para a propaganda. Um desses esforços gerou o periódico “La Battaglia” (1904-1913), talvez o principal meio de difusão do anarquismo no Brasil no início do século XX.

Biografia do Autor

Carlo Romani, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Unirio

Professor Associado, Departamento de História da Unievrsidade Fedetral do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, Doutor em História UNICAMP (2003)

Referências

ADDOR, Carlos Augusto. A insurreição anarquista no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Achiamé, 2002.

ALVIM, Zuleika. Imigrantes: a vida privada dos pobres do campo. In: SEVCENKO, Nicolau, NOVAIS, Fernando (orgs.). História da vida privada no Brasil. Da Belle Epoque à Era do Rádio. Vol 3. São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 215-288.

ANTONIOLI, Maurizio. Il Sindacalismo italiano. Dalle origini al fascismo. Studi e ricerche. Pisa: BFS ed., 1997.

ANTONIOLI, Maurizio. Luigi Fabbri e il sindacalismo. In: ANTONIOLI, Maurizio e GIULIANELLI, Roberto (orgs.). Da Fabriano a Montevideo. Luigi Fabbri: vita e idee di un intelletuale anarchisco e antifascista. Pisa: BFS ed., 2006, p. 77-98.

ANTONIOLI, Maurizio et al (orgs.). Dizionario bibliografico degli anarchici italiani. Vol 2. Pisa: BFS ed., 2004. Disponível em Collezioni Digitali Biblioteca Franco Serantini <http://bfscollezionidigitali.org/index.php/Detail/Object/Show/object_id/2259>

ANTONIOLI, Maurizio e GANAPINI, Luigi. I sindacati occidentali dall’800 ad oggi. Pisa: BFS ed., 2004.

ANTONIOLI, Maurizio e MASINI, Pier Carlo. Il sol dell'avvenire. L'anarchismo in Italia dalle origini alla prima guerra mondiale (1871-1918). Pisa: BFS ed., 1999.

BENEVIDES, Bruno Corrêa de Sá. A trajetória libertária de Angelo Bandoni entre propaganda e educação, Semina (UPF), v. 15, n. 2, p. 76-95, jun-dez 2016. Disponível em <http://seer.upf.br/index.php/ph/article/view/6855>.

BERTHIER, René. Commentaires sur “Black Flame”. Paris: Cercle d'Études libertaires Gaston-Leval, 2017.

CÁNOVAS, Marília Dalva Klaumann. Imigrantes Espanhóis na Paulicéia. Trabalho e sociabilidade urbana (1890-1922). São Paulo: EDUSP, 2009.

CERRITO, Gino. Dall'insurrezionalismo alla settimana rossa: Per una storia dell'anarchismo in Italia, 1881-1914. Florença: Crescita Politica, 1977.

___________. "Il ruolo della organizzazione anarchica". L'efficientismo organizzativo, il problema della minoranza, il periodo transitorio, classimo e umanesimo. Catania: RL, 1973

DADÀ, Adriana. L’anarchismo in Italia: fra movimento e partito. Milão: Teti, 1984.

DAMIANI, Gigi. Le colonie sperimentali. La colonia Cecilia di Giovanni Rossi. Umanità Nova, a. XXVIII, n. 6, Roma, 8 fev. 1948.

FELICI, Isabelle. Les Italiens dans le mouvement anarchiste au Brésil, 1890-1920. Tese / Doutorado em Estudos Italianos. Univ. Sorbonne Nouvelle-Paris III, Paris, 1994.

_________. Gli anarchici italiani di San Paolo e il problema dell'organizzazione operaia (1898-1917). In: BLENGINO, Vanni, FRANZINA, Emilio, PEPE, Adolfo (orgs). La Riscoperta delle Americhe. Milão: Teti ed., 1994a, p. 326-38.

FABBRI, Luce. Luigi Fabbri. Storia di un uomo libero. Pisa: BFS ed, 1996.

FABBRI, Luigi. L' organizzazione operaia e l'anarchia : (a proposito del sindacalismo). Roma : Casa Ed. "Il Pensiero", 1906.

FONTENIS, Georges. Manifeste du Communisme Libertaire. Paris: Éditions du Libertaire, 1953.

FRANZINA, Emilio. A Grande Emigração. O êxodo dos italianos do Vêneto para o Brasil. Campinas: Ed. Unicamp, 2006.

FRESCURA, Bernardino. Guida allo Stato di San Paolo nel Brasile. Piacenza: Favari, 1904.

GALEANO, Diego, ALBORNOZ, Martin. Anarquistas y policías en el atlántico sudamericano: una red transnacional, 1890-1910, Boletín del Ravignani”, Buenos Aires, n. 47, 2017, p. 101-34. Disponível em <http://ppct.caicyt.gov.ar/index.php/ravignani/article/download/11080/9900>

HALL, Michael. Emigrazione italiana a San Paolo tra 1880 e 1920. Quaderni Storici, Urbino, n. 25, a. IX (1), 1974, p. 138-159.

HOBSBAWM, Eric. Rebeldes primitivos. Estudos de formas arcaicas de movimentos sociais. Rio de Janeiro: Zahar ed., 1970.

KLEIN, Herbert. A integração dos imigrantes italianos no Brasil, na Argentina e Estados Unidos. Revista Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, n. 25, 1989, p. 95-117.

JENSEN, Richard Bach. The International Campaign Against Anarchist Terrorism, 1880–1930s. Terrorism and Political Violence, v. 21, 2009, p. 89-109. Disponível em <http://dx.doi.org/10.1080/09546550802544862>

LEVY, Carl. Italian Anarchism, 1870–1926. In: GOODWAY, David (org.). For Anarchism: History, Theory, and Practice. Londres: Routledge, 1989.

LOPREATO, Cristina. O espírito da revolta. São Paulo: Annablume, 2000.

MALATESTA, Errico. Em torno de uma polêmica. Anarquismo libertário e Revisionismo autoritário. São Paulo, 1932.

___________. Sindicalismo: a crítica de um anarquista. In: WOODCOCK, George (org.) Os grandes escritos anarquistas. Porto Alegre: L&PM, 1981, p. 203-207.

MASINI, Pier Carlo. Storia degli anarchici italiani. Da Bakunin a Malatesta. Milão: Rizzoli, 1982.

___________. Storia degli anarchici italiani nell’epoca degli attentati. Milão: Rizzoli, 1983.

MARINI, Gualtiero. Revolução, anarquia e comunismo. Às origens do socialismo internacionalista italiano (1871-1876). Tese / Doutorado em Ciência Política. IFCH-UNICAMP, Campinas, 2017.

MUELLER, Helena Isabel. Flores aos rebeldes que falharam. Giovanni Rossi e a utopia anarquista: Colônia Cecília. Curitiba: Aos Quatro Ventos, 1999.

PERNICONE, Nunzio. Italian Anarchism, 1864–1892. Princeton, NJ: Princeton University Press, 1993.

ROCKER, Rudolf. Os sovietes traídos pelos bolcheviques. São Paulo: Hedra, 2007.

RODRIGUES, Edgar. Os Companheiros. Vol 1. Rio de Janeiro: VJR ed., 1994.

ROMANI, Carlo. Oreste Ristori. Vita avventurosa di un anarchico tra Toscana e Sudamerica. Pisa: BFS ed., 2015.

____________. Italianos, antifascismo e perseguição política na Era Vargas (1930-1937). In: VIANNA, Marly de Almeida, SILVA, Erica Sarmiento, GONÇALVES, Leandro Pereira (orgs.). Presos Políticos e perseguidos Estrangeiros na Era Vargas. Rio de Janeiro: Mauad X, 2014, p. 89-110.

ROSOLI, Gianfausto. Un secolo di emigrazione italiana 1876-1976. Roma: Cser, 1978.

ROSSI, Adolfo. Condizioni dei coloni italiani nello Stato di San Paolo (Brasile). L'Italia coloniale, Roma, a. III, n. 6, jun.1902.

ROSSI, Giovanni. Un comune socialista, Milão: Biblioteca socialista della Plebe, Tip. F. Pagnoni, 1878.

SAMIS, Alexandre. Neno Vasco: minha pátria é o mundo inteiro. Lisboa: Letra Livre, 2009.

SANTARELLI, Enzo. Il socialismo anarchico in Italia. Milão, Feltrinelli, 1973.

SENTA, Antonio. Utopia e azione. Una storia dell'anarchismo in Italia (1848-1894). Milão: Eleuthera, 2015.

SEYFERTH, Giralda. Colonização, imigração e a questão racial no Brasil. Revista USP, São Paulo, n. 53, p. 117-149, mar/mai. 2002.

SEIXAS, Jacy. Memoire et oubli. Paris: Ed. Maison des Sciences le l'homme, 1992.

SILVA, Erica Sarmiento. Galegos no Rio de Xaneiro (1850-1920). Santiago de Compostela: USC, 2007.

__________. Galegos no Rio de Xaneiro. Estudos Migratórios, v. 1, 2009, p. 7-29.

SILVA, Pedro Henrique Prado. A escola operária 1º de maio e Pedro Matera: a Educação popular como instrumento Revolucionário no Brasil (1903-1934). Dissertação / Mestrado em Educação, UNIRIO/CCH, Rio de Janeiro, 2015.

SOUSA, Fernando et al (orgs.). A emigração portuguesa para o Brasil. Porto: Afrontamento, 2006.

TOLEDO, Edilene. Anarquismo e sindicalismo revolucionário. Trabalhadores e militantes na São Paulo da Primeira República. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

TRENTO, Angelo. Do outo lado do Atlântico. Um século de imigração italiana no Brasil. São Paulo: Nobel, 1989.

TURCATO, Davide. Italian Anarchism as a Transnational Movement, 1885-1915. IRSH, Amsterdam, n. 52, p. 407–444, 2007. Doi:10.1017/S0020859007003057.

__________. Errico Malatesta: Opere complete Vol. 3 a 5. Milão: Zero in Condotta, 2011, 2015.

WOODCOCK, Georges. História das ideias e movimentos anarquistas 2 vol. Porto Alegre: L&PM, 2002.

Downloads

Publicado

14/07/2020

Como Citar

Romani, C. (2020). Anarquismo italiano, transnacionalismo e emigração ao Brasil: Contribuições ao debate teórico. Revista Crítica Histórica, 11(21), 10–33. https://doi.org/10.28998/rchv11n21.2020.0003