A bandeira negra entre outras: (trans) nacionalismo e internacionalismo na construção do anarquismo no Brasil (1890-1930)

Autores

  • Kauan Willian Santos Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.28998/rchv11n21.2020.0004

Resumo

Este artigo, resultado parcial da tese de doutorado em desenvolvimento pelo departamento de História Social da Universidade de São Paulo, busca refletir sobre a conexão do anarquismo com o internacionalismo e transnacionalismo, através da imigração, redes militantes-ativistas e circulação de ideias e experiências, incluindo a visão de nação, nacionalismo, patriotismo e raça de seus agentes, assim como suas imbricações com seus conceitos e práticas de classe. Após uma justificativa a partir de um debate teórico sobre o tema, sugerimos a divisão em três momentos dentro do periódico republicano brasileiro, onde observamos mudanças, tanto em suas práticas, formas de inserção e relação, debates e visão acerca de seu movimento e os elementos analisados.

Biografia do Autor

Kauan Willian Santos, Universidade de São Paulo

Doutorando em História Social pela Universidade de São Paulo

Referências

ANDERSON, Benedict. ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: Reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

______. Sob três bandeiras: Anarquismo e Imaginação anticolonial. Campinas – São Paulo: Editora da Unicamp; Fortaleza – Ceará: Editora da Universidade Estadual do Ceará, 2014.

AVELINO, Nildo. “Errico Malatesta – revolta e ética anarquista”. Verve, v. 4, p.228-263, 2003.

BATALHA, Claudio. “A historiografia da classe operária no Brasil: trajetória e tendências.” In: FREITAS, Marcos Cezar de (org.). Historiografia Brasileira em Perspectiva. Bragança Paulista: Universidade São Francisco; São Paulo: Contexto, 1998.

BERTONHA, João Fabio. “Italianos na cidade do Rio de Janeiro: uma comunidade (re)descoberta.” Revista do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, v. 8, p. 415-428, 2014.

BIONDI, Luigi. “Anarquistas italianos em São Paulo. O grupo do jornal anarquista 'La Battaglia' e a sua visão da sociedade brasileira: o embate entre imaginários libertários e etnocêntricos.” Cadernos AEL: Anarquismo e Anarquistas, Campinas – São Paulo, v. 5, n.8/9, p. 117-147, 1998.

______. “Associativismo e militância política dos italianos em Minas Gerais na Primeira República: um olhar comparativo.” Locus (UFJF), v. 2, p. 41-66, 2008.

CASTRO, Celso. “A resistência à implantação do serviço militar obrigatório no Brasil.” In: GOMES, Angêla de Castro. Direitos e cidadania: justiça, poder e mídia. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 2007. p.255.

_____. Classe e Nação: trabalhadores e socialistas italianos em São Paulo, 1890-1920.Campinas- São Paulo: Editora da Unicamp, 2011.

COLOMBO, Eduardo et all (Orgs.). História do Movimento Operário Revolucionário. São Paulo: Imaginário, 2004.

CORRÊA, Felipe. “Introdução.” In: BAKUNIN, Mikhail. Revolução e Liberdade: Cartas. São Paulo: Hedra, 2010.

______; SILVA, Alessandro Soares da; SILVA, Rafael Viana da (Orgs.) Teoria e História do Anarquismo. Curitiba: Editora Prismas, 2014.

FELICI, Isabelle. “A verdadeira história da Colônia Cecília de Giovanni Rossi.” Cadernos Ael: Anarquismo e Anarquistas, v.8/9, p.9-66, 1998.

GARNER, Jason. Goals and Means: Anarchism, Syndicalism, and the Internationalism in the Origins of the Federácion Anarquista Ibérica. Ak Press: London, 2014.

GODOY, Clayton Peron. Ação Direta: transnacionalismo, visibilidade e latência na formação do movimento anarquista em São Paulo (1892-1908).Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade de São Paulo, 2013.

HOBSBAWM, Eric. Nações e Nacionalismo desde 1780: Programa, Mito e Realidade. São Paulo: Paz e Terra, 2013

HWANG, Dongyoun. “Korean Anarchism before 1945: a regional and transnational approach.” In: HIRSCH, Steven; VAN DER WALT, Lucien (Orgs.). Anarchism and Syndicalism in the Colonial and Postcolonial World, 1870-1940: The praxis of national liberation, internationalism and social revolution. Leiden, Brill, 2010. p.95-130.

LEAL, Claudia. Pensiero e Dinamite: Anarquismo e repressão em São Paulo nos anos de 1890. Tese (Doutorado em História). Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2006.

MACHADO, Maria Helena. O Plano e o Pânico: os movimentos sociais na década da Abolição. Rio de Janeiro: Edusp/ UFRJ, 1994.

MARAM, Sheldon. Anarquismo, imigrantes e o movimento operário brasileiro: 1890-1920. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

MATTOS, Marcelo Badaró. Escravizados e Livres: experiências comuns na formação da classe trabalhadora carioca. Rio de Janeiro: Bom Texto, 2008.

_____. “Trajetórias entre fronteiras: o fim da escravidão e o fazer-se da classe trabalhadora no Rio de Janeiro.” Revista Mundos do Trabalho, Santa Catarina, vol.1, n. 1, 2009.

OLIVEIRA, Carla Mary. “O Rio de Janeiro da Primeira República e a imigração portuguesa: panorama histórico.” Revista do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, v. 3, p. 149-168, 2009.

ROMANI, Carlo. Oreste Ristori: Uma aventura anarquista. São Paulo: AnnaBlume/Fapesp,2002.

SAMIS, Alexandre.“Minha pátria é o mundo inteiro”: Neno Vasco, anarquismo e as estratégias sindicais nas primeiras décadas do século XX . Tese (doutorado em História).Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2009.

_____. Negras Tormentas: o federalismo e o internacionalismo na Comuna de Paris. São Paulo: Hedra, 2011.

SANTOS, Kauan Willian dos. “Paz entre nós, guerra aos senhores:” o internacionalismo anarquista e as articulações políticas e sindicais dos periódicos e grupos Guerra Sociale e A Plebe na segunda década do século XX em São Paulo. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos – São Paulo, 2016.

TOLEDO, Edilene. “O nacionalismo na formação e nas trajetórias de dois militantes sindicalistas italianos exilados no Brasil.”Anais do XIX Encontro Regional de História: Poder, Violência e Exclusão. ANPUH/SP – USP. São Paulo, 2008.

TRENTO, Angelo. Do outro lado do Atlântico: Um século de imigração italiana no Brasil. São Paulo, Nobel, 1988.

VAN DER WALT, Lucien. “Negro e Vermelho: anarquismo, sindicalismo revolucionário e pessoas de cor na África Meridional nas décadas de 1880-1920.” Revista Mundos do Trabalho, vol. 2, n. 4, p. 174-218, 2010.

Downloads

Publicado

14/07/2020

Como Citar

Santos, K. W. (2020). A bandeira negra entre outras: (trans) nacionalismo e internacionalismo na construção do anarquismo no Brasil (1890-1930). Revista Crítica Histórica, 11(21), 34–65. https://doi.org/10.28998/rchv11n21.2020.0004