Grotesco desejo: erotismo, monstruosidade e internet desde a animação pornô

Autores

  • Alexandre Eustáquio Teixeira Departamento de Ciências Sociais / PUC Minas

DOI:

https://doi.org/10.28998/lte.2017.n.1.3245

Palavras-chave:

animação pornográfica, representação, monstruosidade, dispositivo da sexualidade, socialidades mediadas na internet

Resumo

No contexto das dinâmicas contemporâneas do erotismo, a pornografia produzida, distribuída e consumida a partir da internet ocupa um lugar central na produção de certa socialidade erótica. Ainda nesse contexto, surgem produtos que deslocam e suspendem sentidos e significados para as representações sobre o sexo, entre elas a animação. A partir de uma pesquisa desenvolvida a partir de acervos imagéticos em sites de compartilhamento de conteúdo pornográfico o presente artigo discute os processos de pornonificação de corpos conceituáveis como abjetos pela ausência de atributos humanos em sua constituição: os monstros. No texto sinalizamos para as zonas de convergência e encontro que produzem esses corpos a partir de uma dupla posição entre alteridades e excitação a partir de recursos técnicos e narrativos específicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Eustáquio Teixeira, Departamento de Ciências Sociais / PUC Minas

Professor adjunto IV do Departamento de Ciências Sociais da PUC Minas. Doutor e Mestre em Ciências Sociais pela PUC Minas.

Referências

ABREU, Nuno Cesar. O olhar pornô. A representação do obsceno no cinema e no vídeo. Campinas: Mercado das Letras, 1996.

BARSS, Pathen. Erotic Engine. How pornography has powered mass communication from Gutenberg to Google. s.L.: Anchor Canada, 2010.

COHEN, Karl F. Censorship of Theatrical Animation. In: Forbiden Animation. Censorede Cartoons and Blacklisted Animators in America. Jefferson: McFarland & Company Inc., 2004.

COURTINE, Jean-Jacque. Uma arqueologia da curiosidade. In: Decifrar o corpo. Pensar com Foucault. Petrópolis: Editora Vozes. 2013. (Cap.3)

COURTINE, Jean-Jacque. O corpo inumano. In: CORBIN, Alan;

COURTINE, Jean-Jacques; VIGARELLO, Georges. História do Corpo. Da Renascença às Luzes. 4.ed. Petropolis: Vozes, 2010.

CRUZ, Paula Ribeiro da. Do Desenho Animado à Computação Gráfica: A Estética da Animação à Luz das Novas Tecnologias. Monografia de conclusão de curso. Faculdade de Comunicação. Universidade Federal da Bahia, 2006.

DE LA FLOR, Alexandra Flores. La exhibicíon de seres deformes (Monstruous) em España durante la Edad Moderna. In: Revista Sans Solei – Estudios de la Imagen, vol. 7, 2015, pp. 25-44.

DÍAZ-BENITEZ, Maria Elvira. Nas redes do sexo. Os bastidores do pornô brasileiro. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

DOMINGUES, Delmar Galise. O uso de metáforas na computação. Programa de Pós Gradução em Comunicação Comunicação (Mestrado). Universidade de São Paulo, 2001. DURAN, Gilbert. O imaginário. Ensaio acerca da ciência e da filosofia da imagem. Rio de Janeiro: Difel, 2011.

EL FARR, Alessandra. Páginas de Sensação: literatura popular e pornográfica no Rio de Janeiro (1870-1924). Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2004.

FAUSTO-STERLING, Anne. Sexing the body. Nova York: Basic Books, 2000.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade. A vontade de saber. 13.ed. Rio de Janeiro: Graal, 1999. Vol. 1.

FOUCAULT, Michel. Os anormais. Curso no Collège de France (1974-1975). São Paulo: Martins Fontes, 2002.

GERACE, Rodrigo. Cinema Explícito. Representações cinematográficas do sexo. São Paulo: Editora Senac, 2016.

GIL, José. Monstros. Porto: Editora Relógio d’Água, 2006. (Coleção Antropos).

GREGORI, Maria Filomena. Prazeres Perigosos. Erotismo, gênero e limites da sexualidade. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

HARAWAY, Donna. “Saberes Localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial”. In: Cadernos Pagu, vol. 5. Campinas, 1995. p.07-41.

HUNT, Lyn. A invenção da pornografia: a obscenidade e as origens da modernidade. São Paulo: Hedra, 1999.

KHAR, Brett. As fantasias. In: O sexo e a psique. Rio de Janeiro: Editora Best Seller, 2009. (Parte 3).

LEHA, Julio (org.) Monstros e Monstruosidades na literatura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

LEITE JUNIOR, Jorge Leite. Das maravilhas e prodígios sexuais. A pornografia bizarra como entretenimento. Rio de Janeiro: Annablume, 2006.

LUCENA JUNIOR, Alberto. Arte da Animação: Técnica e estética através da história. 3.ed. São Paulo: Editora Senac, 2001.

MACHADO, Paula Sandrine. O Sexo dos anjos: representações e práticas em torno do gerenciamento sociomédico e cotidiano da intersexualidade. Tese de Doutoramento em Antropologia Social. Porto Alegre: Programa de Pós-graduação em Antropologia Social/Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2008.

MARTIN, Emily. “The eff and the sperm: how science has constructed a romance based on stereotypical male-female roles”. In: LASLETT, Barbara; KOHLSTEDT, Sally; LONGINO, Hellen; HAMMONDS, Evelyn, (Eds.). Gender and Scientific authority. Chicago: University of Chicago Press, 1996, p.323-339.

OGIEN, Ruwen. Pensar la pornografia. Barcelona: Paidós, 2005.

PRECIADO, Beatriz (Paul). Texto Yonqui: sexo, drogas y biopolítica. Barcelona: Anagrama, 2010.

PRECIADO, Paul (Beatriz). Manifesto Contrassexual. Barcelona: Editora Anagrama, 2011.

RUBIN, Gayle. “O Tráfico sexual – entrevista com Gayle Rubin”. Cadernos Pagu, n. 23. Vol.1. Campinas, 2003

SANTAELLA, Lúcia. Navegar no ciberespaço. O perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus, 2004. (Coleção Comunicação)

SYPER, Juliano. Teoria e Tecnologia. In: Conectado. O que a internet fez com você e que você pode fazer com ela. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

TEIXEIRA, Alexandre Eustáquio. A Fabricação do corpo, a animação do outro: um estudo sobre imagens e representação do monstro na animação pornográfica contemporânea. Tese de Doutoramento em Ciências Sociais. Belo Horizonte: Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais / PUC-Minas, 2017.

WAGNER, Roy. A Invenção da Cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

WAGNER, Ro. Habu: innovation and meaning in Daribi religion. Chicago: Chicago University Press, 1972.

WILLIAMS, Linda. “Screeming sex: revelando e dissimulando o sexo”. Cadernos Pagu, vol.38, n.1. Campinas: Unicamp, 2012, p. 13-51.

WILLIANS, Linda. Hard Core. power, pleasure, and the frenzy of the visible. Los Angeles: California University Press, 1999

Downloads

Publicado

2018-05-14

Como Citar

TEIXEIRA, Alexandre Eustáquio. Grotesco desejo: erotismo, monstruosidade e internet desde a animação pornô. Latitude, Maceió-AL, Brasil, v. 11, n. 1, 2018. DOI: 10.28998/lte.2017.n.1.3245. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/3245. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Sociologia e Erotismo

Artigos Semelhantes

1 2 3 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.