“Nada de sexo sob o meu teto": sexualidade adolescente nos EUA e nos Países Baixos a partir dos anos 1880

Autores

  • Cas Wouters Utrech University

Palavras-chave:

sexualidade adolescente, competição por status, informalização

Resumo

A tirada “nada de sexo sob o meu teto” é usada para reforçar a regra de abstinência sexual pré-matrimonial até os filhos adolescentes casarem ou saírem de casa. Nos EUA, a maioria dos pais ainda mantém-se ligada a essa norma, enquanto nos Países Baixos, desde o final da década de 1960, uma nova regra se desenvolveu, permitindo que os filhos adolescentes fizessem sexo desde que eles “sentissem algo forte um pelo outro” e se sentissem “prontos” para isso. Este artigo descreve e compara desenvolvimentos nos EUA e nos Países Baixos a partir de 1880, focando na regulação social da sexualidade adolescente e baseando-se principalmente em fontes como livros de etiqueta e estudos de sexologia. O artigo propõe uma explicação das duas trajetórias a partir de diferenças nacionais no funcionamento das boas sociedades, particularmente na regulação da competição social e da mobilidade social.

O surgimento, nos EUA, de um sistema de encontros (dating system) altamente competitivo e uma complicada moralidade sexual, indica um menor declínio da diferença de poder entre classes, gêneros e gerações, o que parcialmente explica a persistência da velha regra. Explicação adicional é encontrada no baixo nível de integração social da América e na competição mais aberta entre vários centros de poder e de boas sociedades.

A preparação para a emergência de uma nova regra entre os pais holandeses foi uma informalização do “ficar noivos”, a difusão do verkering (ficar estável) e das políticas parentais de ficar “na cena”, indicando níveis mais altos de integração social e maiores declínios das diferenças de poder entre classes, gêneros e gerações. No entanto, a longa preservação de uma boa sociedade homogênea, criou um disparidade crescente entre a fachada de decência e as realidades dos bastidores. Quando essa disparidade foi varrida nas Revoluções Expressiva e Sexual dos anos 1960, ela também levou consigo a velha regra, e crescentes números de pais permitiram abertamente que seus filhos fizessem sexo, mesmo em casa.

Downloads

Publicado

14/05/2018

Como Citar

Wouters, C. (2018). “Nada de sexo sob o meu teto": sexualidade adolescente nos EUA e nos Países Baixos a partir dos anos 1880. Latitude, 11(1). Recuperado de https://www.seer.ufal.br/index.php/latitude/article/view/3862

Edição

Seção

Dossiê Sociologia e Erotismo