O Ensino Coletivo de Instrumentos de Sopro na Formação de Licenciandos em Música

Autores

  • Leandro Libardi Serafim Universidade Federal do Ceará Université Laval

Palavras-chave:

Educação Musical, ECIM, Banda de Música Escolar

Resumo

As bandas de música estão presentes nas escolas brasileiras desde meados do século XIX (SERAFIM, 2015), contudo, muito embora tenham ocorrido tentativas, elas não estão integradas ao currículo escolar, como acontece em diversos países. Para que isto aconteça, consideramos de vital importância, que os cursos de licenciatura em música incluam em seu currículo, disciplinas teóricas que promovam a discussão dos processos de ensino-aprendizagem neste contexto, bem como disciplinas práticas que utilizem o Ensino Coletivo de Instrumentos Musicais (ECIM). Esta pesquisa ex-post-facto tem seus resultados apresentados através de abordagem qualitativa formulada a partir da coleta de dados realizada com questionário composto de perguntas abertas e de múltipla-escolha, tendo como população investigada os alunos que compuseram a Banda Sinfônica da Universidade Federal do Ceará (UFC) no primeiro semestre de 2015. A pesquisa realizada busca responder a seguinte questão: a metodologia e as abordagens utilizadas naquele contexto promoveram o aprendizado de instrumentos musicais de forma colaborativa e a reflexão sobre a viabilidade de inserção de grupos de sopro e percussão no currículo escolar? Os resultados demonstram a efetividade da metodologia e abordagens empregadas, contudo, identificaram-se lacunas que poderiam ser suprimidas com a criação de novas disciplinas no currículo do curso em questão.

Biografia do Autor

Leandro Libardi Serafim, Universidade Federal do Ceará Université Laval

Trompetista, maestro e professor, nascido em Gramado-RS, técnico em música com habilitação em trompete pela EST (São Leopoldo), licenciado em música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mestre em educação musical pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutorando em educação, no eixo de música, na Universidade Federal do Ceará e doutorando em educação musical na Université Laval, em Quebec, Canadá. Tem por experiência profissional: a regência e o ensino de instrumentos de sopro e percussão em bandas escolares; a função de trompetista em diversas orquestras; o cargo de técnico de planejamento e controle de produção do curso de Licenciatura em Música da UFRGS em Modalidade a Distância; a regência da Orquestra Jovem de Gramado e da Orquestra Jovem de Novo Hamburgo; a Direção Artística da Orquestra de Sopros de Novo Hamburgo; a Coordenação Artística das seis primeiras edições do Gramado in Concert - Festival Internacional de Música, onde também atuou como regente da Banda Sinfônica do Festival, coordenador do Concurso Jovens Solistas e Concurso de Composição; e a participação como maestro convidado e coordenador da International Brass Ensemble do Festival de Orquestras Jovens Eurochestries nas seguintes edições: Sobral/Brasil (2015 e 2019), Charente Maritime/França (2016), Qingdao/China (2017) e Québec/Canadá (2018). Atualmente é professor de sopros - metais da Universidade Federal do Ceará, atuando também como regente da Orquestra Sinfônica e da Banda Sinfônica da UFC.

Referências

ALMEIDA, José Robson Maia de. Aprendizagem musical compartilhada: a prática coletiva dos instrumentos de sopros/madeiras no Curso de Música da UFCA. 2014. 350f. – Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2014.

ANDRADE, Hermes de. A banda de música na escola de primeiro e segundo graus. Dissertação (Mestrado em Música). Rio de Janeiro: Conservatório Brasileiro de Música, 1988.

BARBOSA, Joel L. Considerando a Viabilidade de Inserir Música Instrumental no Ensino de Primeiro Grau. In Revista Abem, v.3, n.3, p. 39 - 49, 1996.

_____. Da Capo: método elementar para o ensino coletivo e/ou individual de instrumentos de banda. Regência. 1ª. ed. Jundiaí, São Paulo: Keyboard Editora Musical, 2004. 230 p.

CÁRICOL, Kassìa. Panorama do ensino musical. In: Revista A Música na Escola. São Paulo, 2012. Disponível em: <http://www.amusicanaescola.com.br/pdf/PanoramaEnsinoMusical.pdf>. Acesso em: 23 abr. 2015.

KIEFER, Bruno. História da música brasileira: dos primórdios ao início do século XX. 144 p. 4 ed. Porto Alegre: Ed. Movimento, 1997.

MOREIRA, Marcos dos S. Bandas de Música e Gênero: uma busca da ativa participação da mulher nordestina. In Revista Latino-americana de Geografia e Gênero, Ponta Grossa, v. 4, n. 2, p. 66 - 76, ago. / dez. 2013.

SALLES, Vicente. Sociedade de Euterpe: as bandas de música no Grão-Pará. 227 p. Gene Gráfica Editora, Rio de Janeiro, 1985.

SERAFIM, Leandro L.. Modelos pedagógicos no ensino de instrumentos musicais em modalidade a distância: projetando o ensino de instrumentos de sopro. 177 f. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação Musical) – Programa de Pós-Graduação em Música, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

_____. Ensino de Instrumentos de Sopro: do Brasil pré-descobrimento aos nossos dias. In: Memória e história das bandas e sociedades musicais brasileiras. BIANCHI, Leonor; PEREIRA, Rúben (organizadores). Nova Friburgo: E-ditora, 2015. P. 19 – 42.

Downloads

Publicado

24/10/2019