Aspetos estruturantes da morfossintaxe da LGP: expressão da quantidade e das categorias de sexo dos referentes animados

Celda Morgado Choupina

Resumo


Este artigo inscreve-se no âmbito da Linguística Comparativa e tem como principal objetivo mostrar que a LGP apresenta aspetos estruturantes semelhantes aos que se verificam em línguas orais em contacto com o Português. Faremos uma apresentação dos fenómenos de expressão da quantidade e das categorias de sexo dos referentes e dos seus processos de realização. A LGP tem a possibilidade de comunicar a quantidade através de mecanismos variados, manuais e não manuais, e permite transmitir, quando necessária à comunicação, a informação da categoria biológica sexo dos referentes animados envolvidos no discurso; no entanto, não integra o grupo de línguas com número formal e género gramatical, pelo que nenhuma das categorias em análise na LGP - quantidade e categorias de sexo dos referentes - apresenta implicações na concordância morfossintática das palavras nos sintagmas e nas frases, ainda que se recorra a mecanismos lexicais, morfossintáticos e prosódicos para as expressar.


DOI: 10.28998/2317-9945.2017v1n58p4-25


Palavras-chave


Linguística; LGP; Género Gramatical; Categorias de Sexo; Número formal e Quantidade

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2018 Revista Leitura



ISSN (on-line): 2317-9945 (a partir de 2011)

ISSN: 0103-6858 (até 2010)

 

Indexações

         

 

 

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.