Walter Benjamin: Inspirações para a Historiografia da Educação

Autores

  • Rafael Alexandre Belo Universidade Federal de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.28998/rchvl2n03.2011.0011

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de apresentar princípios metodológicos e proposições teóricas para a história da educação a partir da leitura de Walter Benjamin. Consideramos como alicerces epistemológicos da presente construção: a concepção de tempo (Jetztzeit); a dimensão teológica; a concepção de história; a crítica ao progresso; e a concepção de experiência (Erfahung). A articulação desses princípios como elementos metodológicos demonstrou ser uma importante contribuição para investigações de grupos silenciados pela história oficial. 

Biografia do Autor

Rafael Alexandre Belo, Universidade Federal de Alagoas

Psicologia

Referências

BELO, Rafael A. Espiritualidade: dialógica e experimental. A perspectiva da psicologia fenomenológica existencial diante da espiritualidade humana. Maceió: Edufal, 2008.

BENJAMIN, Walter. Experiência e pobreza. In.: ______. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. 7.ed. São Paulo: Brasiliense, 1994a. p. 114-119.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito da história. In.: ______. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. 7.ed. São Paulo: Brasiliense, 1994b. p. 222-232

BENJAMIN, Walter. O narrador. Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In.: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. 7.ed. São Paulo: Brasiliense, 1994c. p. 197-221

BENJAMIN, Walter. N – Teoria do Conhecimento, Teoria do Progresso. In: ______. Passagens. Belo Horizonte: EditoraUFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007. p. 499 - 530

BOLLE, Willi. “Um painel dom milhares de lâmpadas”. Metrópole e Megacidade. In.: BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007. p. 1141 - 1159

BUBER, Martin. Eu e Tu. 2ªed. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.

FONSECA, Afonso Lisboa da. Nietzsche e a História. Notas da Palestra ministrada na disciplina Historiografia da Educação, do Mestrado em Educação Brasileira da Ufal. Maceió, 2008.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Prefácio. Walter Benjamin ou a história aberta. In: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. 7.ed. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 7-19

LÖWY, Michael. Walter Benjamin: um aviso de incêndio. Uma leitura das teses “Sobre o conceito de história.” São Paulo: Boitempo, 2005

NIETZSCHE, F. W. Considerações Extemporâneas II – Da utilidade e desvantagem da história para a vida. In.: NIETZSCHE, F. W. Obras Incompletas. São Paulo: Nova Cultural, 2000. p. 273 – 287

NUNES, Clarice. Walter Benjamin: os limites da razão. In.: FARIA FILHO, L. M. (org.) Pensadores sociais e História da Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p.87-98

Downloads

Publicado

01/06/2011

Como Citar

Belo, R. A. (2011). Walter Benjamin: Inspirações para a Historiografia da Educação. Revista Crítica Histórica, 2(3). https://doi.org/10.28998/rchvl2n03.2011.0011